Ganhador.com

Futebol: Podcast

Nenhuma surpresa nos classificados para as quartas de final da Copa do Brasil

Ontem foi uma noite sem surpresas na Copa do Brasil (mas não sem emoção). Grêmio, Atlético-PR, Atlético-MG, Palmeiras e Botafogo confirmaram o favoritismo e passaram para as quartas de final da competição. Hoje, encerrando as oitavas de final, a Chapecoense recebe o Cruzeiro na Arena Condá precisando reverter a derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

Acompanhe agora nosso resumo sobre cada um dos jogos de ontem, leia nosso prognóstico para Chapecoense x Cruzeiro e ouça nosso podcast com o comentário bem-humorado sobre a rodada de ontem no futebol nacional.

 

Inter 2 x 1 Palmeiras

Com  a vantagem de 1 a 0 no placar construído em São Paulo no jogo de ida, o Palmeiras foi ao Beira-Rio com alguma tranquilidade. E tinha motivos pra isso: o Inter vem de uma campanha ruim na Série B do Campeonato Brasileiro – ocupa a 12ª posição –, demitiu o técnico Antonio Carlos Zago e o interino, Odair Hellman, estava na França com a Seleção Sub-20 e retornou a Porto Alegre sem tempo de aplicar um único treino. Seria uma “barbada” para o time de Cuca.

Não fosse um detalhe: a disposição do elenco colorado em mostrar que suas qualidades estão ali e que a má-campanha atual tem muito a ver com o desempenho do ex-técnico. E foi com esta disposição inesperada que os donos da casa fizeram uma verdadeira blitz na defesa do Palmeiras e, contando com uma atuação desastrosa de Edu Dracena (substituído no intervalo), abriu o placar com Nico Lopez, concluindo a boa jogada de Edenílson e D’Alessandro (que ontem, mais do que nunca, foi o maestro do time). O Inter devolvia o placar de São Paulo e estava levando o jogo para os pênaltis.

Para ajudar ainda mais, o capitão palmeirense Dudu, sentiu uma contusão e foi substituído por Keno na metade final do primeiro tempo. As coisas não estavam boas para o alviverde que, mais uma vez, fazia uma partida abaixo da sua capacidade.

E no segundo tempo, depois de nova jogada envolvendo Edenílson e D’Alessandro (e o lateral William), Nico Lopez fez o gol que classificava o Inter para as quartas de final. Mas, então, na base do “abafa” – tendo inclusive o zagueiro Mina como centroavante –, o volante Thiago Santos (que entrara no lugar de Edu Dracena no intervalo) aproveitou a confusão no meio da área colorada para colocar a bola no fundo das redes de Danilo Fernandes.

Com o resultado a seu favor, o Palmeiras voltou a ter “organização” tática – Mina voltou para sua posicão –, e aproveitou o nervosismo do Internacional para garantir sua vaga nas quartas de final.

Para o torcedor do Palmeiras fica o sinal de alerta: o time não jogou bem de novo. Conseguiu o resultado num momento de “desespero” e “vale tudo”. Isso funciona uma vez ou outra, mas não dá pra ganhar campeonatos assim.

Para o torcedor do Internacional, um alento: o time caiu de pé. Mostrou qualidade e, tivesse jogado assim em São Paulo, poderia estar classificado. Para Guto Ferreira, que deixou o Bahia para assumir a equipe gaúcha, são boas notícias. Um sinal de que a caminhada na Série B pode ser mais tranquila daqui pra frente.

 

Fluminense 0 x 2 Grêmio

O Fluminense recebeu o Grêmio com uma missão ingrata: devolver o placar de 3 a 1 do jogo de ida. Isso contra um time que tem marcado gols em todos os jogos.

O tricolor carioca começou pressionando e quase conseguiu diminuir a diferença após falta cobrada por Gustavo Scarpa para a confusão na área. E então, veio o lance que definiu o jogo: Nogueira deu uma tesoura por trás em Luan e foi expulso. Aí o jogo ficou ao gosto do Grêmio que, com a vantagem no placar agregado e um à mais em campo, fez dois gols ainda no primeiro tempo e “cozinhou” o Flu até o apito final que lhe garantiria nas quartas de final.

O resumo é que a expulsão de Nogueira acabou com o jogo. O Grêmio controlou a partida, ampliou a vantagem e em nenhum momento foi ameaçado– exceto numa finalização de cabeça de Henrique que foi no travessão no segundo tempo. Com  o placar adverso, a equipe da casa se enervou e houve algum prinícpio de confusão. Ao final, a torcida carioca aplaudiu a disposição do time que precisa evoluir daqui pra frente se não quiser entrar numa decrescente no Brasileirão.

Para o Grêmio, este foi mais um passo na defesa do bi-campeonato.

 

Sport 1 x 1 Botafogo

Deu a lógica na Ilha do Retiro.

Na estréia do técnico Vanderlei Luxemburgo no comando do Leão, a equipe mostrou diposição. E Só. O que foi pouco para bater o organizado Botafogo que, após vencer por 2 a 1 o jogo de ida, precisava apenas de um empate para se garantir nas quartas de final.

Depois de segurar a pressão incial dos donos da casa, a equipe carioca equilibrou a partida e abriu o placar com um belo gol de Roger ainda no primeiro tempo. Luxemburgo gesticulava muito na beira do gramado tentando organizar seu time, mas não era o bastante. A expulsão de Rogério após falta violenta em João Paulo, tornou a missão do Sport ainda mais difícil. O gol de Durval empatou o jogo e deu algum ânimo à equipe, mas, com um a menos, faltou precisão final para devolver o placar e levar o jogo para os pênaltis.

O Botafogo – que teve um gol legítimo de Rodrigo Pimpão mal-anulado –, segue adiante na competição, enquanto que o Sport, sob novo comando despede-se da Copa do Brasil e buscará a recuperação do Campeonato Brasileiro neste final de semana enfrentando o Avaí em Santa Catarina.

 

Atlético-MG 2 x 0 Paraná

Com um gol olímpico de Otero e um gol de Fred – que encerrou o jejum de três jogos sem marcar –, o Atlético-MG não sofreu nenhum “apagão” e eliminou o Paraná na partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

Pressionando desde o primeiro momento, o Atlético, que chegou a ter 79% de posse de bola, não dava espaços para o Paraná, que aceitava a pressão e torcia para a bola não entrar em seu gol – tanto que só foi ameaçar a meta de Vitor aos 30 minutos do primeiro tempo. A estratégia da equipe paranaense foi por terra quando, no terço final do primeiro tempo, Otero marcou um sensacional gol olímpico.

O segundo tempo foi mais equilibrado, mas faltava ao Paraná qualidade para empatar e complicar, de vez, a vida do time mineiro que garantiu a vitória com Fred que completou passe de Cazares, batendo por cima do goleiro Léo. No lance, sem nenhuma intenção, o atacante acabou acertando o olho do goleiro adversário. Vendo a gravidade da situação, Fred pediu a entrada dos médicos e pouca importância deu para o gol (a atitude mais correta, claro). Segundo boletins médicos divugados hoje, apesar do inchaço no local, não houve fratura e o olho de Léo não foi lesionado.

Com Douglas no gol, o Paraná seguiu tentando um golzinho que o colocaria de volta ao jogo, mas parou no bom controle mineiro que segurou a partida até o fim e a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil.

 

Atlético-PR 2 x 0 Santa Cruz

Com um gol em cada tempo do jogo, o Atlético-PR eliminou o quase inofensivo Santa Cruz no jogo de volta da Copa do Brasil e avançou às quartas de final. Nikão e Lucho González marcaram para os donos da casa. Foi a primeira vitória do técnico Eduardo Baptista no comando da equipe paranaense.

Sem ser muito ameaçado pelo Santa Cruz, o Atlético abriu o placar com Nikão e buscou, à partir daí, controlar o jogo – o que fez com relativa tranquilidade. No segundo tempo o Santa Cruz voltou mais ligado e buscando o gol que o colocaria nas quartas de final (qualquer empate com gols classificaria os vistantes), mas, quando parecia viver um melhor momento na partida, foi surpreendido pelo gol de Lucho González que daria números definitivos ao duelo.

O Furacão segue bem na Copa do Brasil e buscará neste final de semana no clássico contra o Coritiba, uma recuperação no Campeonato Brasileiro. Já o Santa Cruz foca-se na Série B e enfrenta no sábado o ABC-RN em sua busca pela vaga para a Série A de 2018.

 

Chapecoense x Cruzeiro

01-07-17 – Arena Condá – 21:30

Os líderes do Campeonato Brasileiro se encontram hoje na Arena Condá para definir quem fica com a oitava e última vaga para as quartas de final da Copa do Brasil. No jogo de ida deu Cruzeiro por 1 a 0 – o que dá aos mineiros a vantagem de jogar pelo empate (ou derrota, se fizerem um gol).

A Chape precisará furar o bom bloqueio defensivo da Raposa que está se especializando em jogar de modo pragmático, com as regras embaixo do braço e fazendo apenas o esforço necessário para seguir em frente – como que se “guardando” para jogos finais. Mas a equipe catarinense tem se mostrado mestra na arte da superação e de buscar o que muitos consideram impossível. Embalada pela liderança do Campeonato Brasileiro e jogando em casa, a Chapecoense – mesmo tendo um certo cansaço por ter jogado na segunda-feira – pode sim surpreender o Cruzeiro que irá para o jogos desfalcado de Arrascaeta e Dedé.

Nosso palpite: A Chape devolve o resultado, leva a decisão para os pênaltis e avança para as quartas de final.

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Comentários e prognósticos para a 4ª rodada do Campeonato Brasileiro | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar