UFC

Lesão de campeão cancela disputa de título agendada para o UFC 213. E agora?

Foto: Reprodução/UFC

O primeiro plano do Ultimate era ter a superluta entre Georges Saint-Pierre e Michael Bisping como confronto principal do UFC 213, que acontece no dia 8 de julho, em Las Vegas (EUA). O evento que marca o fim da anual “semana internacional da luta” na cidade americana é sempre prestigiado com uma disputa de título especial no octógono. Mas, pelo terceiro ano consecutivo, a “bruxa solta” ataca e acaba fazendo com que o evento tenha uma luta principal menos expressiva devido lesões – ou ao menos força a mudança de planos inicial.

Com a ideia de GSP Vs Bisping em julho frustrada, a organização anunciou Cody Garbrandt Vs TJ Dillashaw como luta principal do show. Mas a bruxa é incansável. Neste fim de semana, Garbrandt, atual campeão dos galos, anunciou uma lesão nas costas e que está fora do UFC 213. Com isso, o Ultimate tem duas opções: ou faz uma mágica e promove outra disputa de título ou a luta entre Amanda Nunes e Valentina Shevchenko, válida pelo cinturão peso galo feminino, será promovida a luta principal.

É o terceiro ano consecutivo que os planos iniciais do evento da “semana internacional da luta” (leia-se primeira semana de julho em Vegas) são frustrados. Em 2015, José Aldo e Conor McGregor fariam a luta principal do UFC 189. Uma lesão do brasileiro adiou a luta no show de julho e o evento acabou com McGregor Vs Chad Mendes. Ano passado, outra frustração. Escalada para a luta principal do UFC 200, a revanche entre Jon Jones e Daniel Cormier acabou cancelada a dois dias do evento por conta do doping de Jones. A luta promovida nesta ocasião foi Miesha Tate Vs Amanda Nunes.

A mudança de planos sempre fez parte da rotina do UFC. Lutadores se machucam e têm de deixar seus compromissos a todo momento. O problema já foi tão grave que até palestras e ações de conscientização para prevenções de lesões foram promovidas pela franquia. A direção do Ultimate está acostumada a lidar com tais imprevistos – e mais do que isso, na maioria das vezes consegue virar o jogo com soluções ainda melhores do que a ideia inicial. A questão é que não resta muito tempo até o dia 8 de julho para um “Plano B” viável.

A lesão de Garbrandt é ainda pior porque o The Ultimate Fighter 25 está sendo transmitido nos Estados Unidos. Isso significa que a disputa de título seria realizada exatamente ao fim da temporada, quando a edição do programa chegaria ao seu clímax após semanas de rivalidade transmitida na TV americana. Remarcar a revanche “quebra o protocolo” e faz falhar uma das principais ideias do TUF ao colocar técnicos rivais em confronto.

O UFC 213 acontece no dia 8 de julho, em Las Vegas. Sem Garbrandt Vs Dillashaw, o show fica com Amanda Vs Shevchenko. Caso a organização não encontre outro combate para liderar o show, a luta principal do evento cai em boas mãos. O duelo feminino pode até ser menos expressivo e chamar menos atenção, mas tem tudo para ser uma luta tão empolgante quanto.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar