Ganhador.com

Seleção Brasileira

Espanha ou Inglaterra no caminho do Brasil? Entenda a fórmula do sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018

Foto: ADRIAN DENNIS/AFP/Getty Images

FIFA anuncia fórmula que garante ao menos uma seleção europeia em cada uma das oito chaves do Mundial da Rússia

No dia primeiro de dezembro, a FIFA irá realizar o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018, em Moscou, a partir das 13h (horário de Brasília). O palco do evento que definirá a divisão das 32 seleções classificadas para o Mundial, em oito chaves, será o Kremlin, que ficou famoso por sediar as mais importantes reuniões do Partido Comunista na União Soviética.

 

SORTEIO DOS GRUPOS DA COPA DO MUNDO DE 2018

A poucos dias da solenidade, a entidade máxima do futebol definiu as regras da formação dos grupos. Com exceção da UEFA, que terá 14 representantes na competição, não teremos dois membros de uma mesma confederação juntos. Dos oito cabeças de chave, seis são europeus. Sendo assim, seis grupos obrigatoriamente terão ao menos duas equipes do Velho Continente. Logo, é impossível que o Brasil não enfrente ao menos um time da Europa na primeira fase, que pode ser a Espanha, campeã em 2010. Abaixo, confira os quatro potes do sorteio (determinados pelo ranking de outubro):

  • POTE 1 (cabeças de chave): Rússia, Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia, França;
  • POTE 2: Espanha, Peru, Suíça, Inglaterra, Colômbia, México, Uruguai, Croácia;
  • POTE 3: Dinamarca, Islândia, Costa Rica, Suécia, Tunísia, Egito, Senegal, Irã;
  • POTE 4: Sérvia, Nigéria, Austrália, Japão, Marrocos, Panamá, Coreia do Sul, Arábia Saudita.

 

DINÂMICA DA DEFINIÇÃO DAS CHAVES DO MUNDIAL DE 2018

A posição A1 indica a presença da Rússia, país-sede, sendo que os demais cabeças de chave serão sorteados na primeira posição dos grupos restantes. Além disso, as seleções dos potes dois ao quatro entram randomicamente nas outras colocações conforme a retirada das bolinhas. Existirão ainda mais oito recipientes para a determinação da posição da seleção dentro do grupo, o que determina a ordem dos confrontos.

Como já é de praxe, muitos ex-jogadores que brilharam em Copas passadas ajudam na realização do sorteio. Neste ano, temos as presenças confirmadas do craque argentino Diego Maradona, do capitão do penta, Cafu, além do ex-goleiro inglês Gordon Banks, dos ex-zagueiros Fabio Canavarro (Itália) e Carles Puyol (Espanha), o uruguaio Diego Forlán, eleito o melhor atleta do Mundial de 2010, o russo Simonyan e o francês Laurent Blanc, que ergueu a taça FIFA com a camisa da França, em 1998. O evento será conduzido pelo ex-atacante inglês Gary Lineker, que defendeu o English Team em 1986 e 90, e pela jornalista local Maria Komandnaya.

 

POTENCIAIS ADVERSÁRIOS DO BRASIL

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, não quis entrar na onda das simulações. Ao lado de outros treinadores renomados, como Sebastião Lazaroni e Reinaldo Rueda, durante um evento realizado ontem (27), no Rio de Janeiro, o comandante do Brasil frisou que não adiante se preocupar com potenciais adversários sem uma equipe de qualidade.

“Não dá para controlar essa variável de quem vamos enfrentar. Não temos essa condição. Mas nos preparar da melhor forma possível, isso podemos e vamos fazer”, garantiu.

Tite prefere não pensar nas equipes que estarão no caminho do hexa, mas elas podem virar um pesadelo a partir da próxima sexta-feira (01). O Brasil corre o risco de ser o cabeça de chave do “grupo da morte” com dois representantes europeus. Em um exercício de hipótese, existe a chance de termos a companhia de Espanha, Suécia e Nigéria.

Como é certo que o time Canarinho será obrigado a encarar ao menos um europeu na primeira fase, dá para sonhar com uma chave mais branda, com Suíça, Tunísia e Panamá. Conforme a regra, os brasileiros não poderão medir forças com selecionados sul-americanos em uma mesma chave. Sendo assim, apresentaremos, abaixo, quais times poderão cair no grupo dos pentacampeões:

  • POTE 2: Espanha, Suíça, Inglaterra, México, Croácia;
  • POTE 3: Dinamarca, Islândia, Costa Rica, Suécia, Tunísia, Egito, Senegal, Irã;
  • POTE 4: Sérvia, Nigéria, Austrália, Japão, Marrocos, Panamá, Coreia do Sul, Arábia Saudita.

 

ANÁLISE POR PORTE

No pote dois, é notória que a fuga é de gigantes como Espanha e Inglaterra, que pode surpreender na Rússia com sua geração de ouro, que está pronta para brilhar com tudo em 2022. Mas não se engane com México e Croácia. Os mexicanos, que nos últimos sete mundiais passaram da primeira fase, costumam fazer às vezes de carrasco da Seleção Brasileira, como foi na disputa pelo ouro, na Olimpíada de 2012, e na final da Copa das Confederações de 1999. Ou mesmo como pedra no sapato do grupo – afinal, fecharam o gol e ficaram no 0 a 0 conosco na última copa aqui mesmo no Brasil. Já os croatas chegam animados com uma safra encabeçada por Lucas Modric (Real Madrid), Rakitic (Barcelona), Mandzukic (Juventus) e Perisic (Internazionale).

Nos demais potes, fica a expectativa de conseguir evitar os embates, logo de cara, com Dinamarca ou Suécia (pote 3), enquanto os nigerianos surgem como o grande perigo no pote quatro, que ainda tem o Japão e a Coreia do Sul.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar