Ganhador.com

Futebol: Podcast

Corinthians goleia e segue líder; Palmeiras perde mais uma e se complica. Acompanhe agora o resumo da 5ª rodada do Brasileirão

A quinta rodada do Campeonato Brasileiro – a primeira com jogos no meio de semana  –, chegou como um furacão e causou estragos na tabela e nos bastidores de alguns clubes.

O Corinthians, líder do campeonato, foi a São Januário e, depois de um leve susto, atropelou o Vasco e garantiu-se na liderança da tabela por mais uma rodada – independentemente do resultado do jogo entre Chapecoense e Grêmio, hoje à noite. Foram 90 minutos eletrizantes e 7 gols. Logo aos 3 minutos, Marquinhos Gabriel (que fez, talvez, a sua melhor partida com a camisa do Timão), recebeu cruzamento de Guilherme Arana e mandou pro fundo das redes de Martín Silva.

O Vasco não se abateu e foi pra cima explorando, principalmente, o lado direito da defesa paulista onde o improvisado Paulo Roberto mostrava muita dificuldade e insegurança na função de lateral. Mesmo assim, em contra-ataque preciso aos 38 minutos, Jô ampliou para os vistantes. Em desvantagem no placar, o Vasco voltou para o segundo tempo com outra atitude e em dois minutos Luis Fabiano, o carrasco corintiano, empatou o jogo.

Sentindo a falta de quatro titulares, o entrosado esquema defensivo do Timão dava aos donos da casa espaços que normalmente não aparecem. Mas a equipe paulista não se abateu e em novo contra-ataque (quando o Vasco era ligeiramente melhor), Maycon recebeu de Clayson e, de biquinho, recolocou o Corinthians na frente. Sem ter mais o que fazer, o cruzmaltino foi pra cima e deu pro alvinegro tudo que ele queria: o contra-golpe. Foi assim que Clayton marcou duas vezes – seus primeiros gols com a camisa do Corinthians – e fechou o placar em 5 a 2 para os paulistas. Vale notar que na quinta rodada, até o momento, esta foi a única vitória de um time visitante.

O fraco desempenho dos visitantes foi ruim para o então favorito Palmeiras, que foi até o Couto Pereira enfrentar o Coritiba e trouxe de volta para São Paulo mais uma derrota. No dia em que completou 55 anos – e jogando na sua cidade natal – Cuca testou uma nova formação, com Felipe Melo (ele voltou!) atuando mais à frente na posição de segundo volante e Thiago Santos mais recuado, fazendo a proteção à zaga do desfalcado alviverde, que sentiu as ausências dos colombianos Borja e Mina (convocados). O Verdão começou em cima dos donos da casa e teve uma boa chance com o próprio Melo, mas o Coxa logo equilibrou as ações e o jogo se manteve parelho no primeiro tempo. Sem modificações na volta do intervalo, o Coritiba abriu o placar com Galdezani que aproveitou passe longo de Márcio para encobrir o goleiro Fernando Prass. Imediantamente, Cuca mexeu: tirou o volante Thiago Santos e colocou o meia Raphael Veiga. Não adiantou nada. Trocou, então, o lateral-esquerdo Egídio pelo também meia Hyoran. De novo, não adiantou nada. O Coritiba ainda perdeu uma chance com Iago Dias, que entrou no lugar de Henrique Almeida. E foi só.

O Coxa assume a vice-liderança do campeonato torcendo para um empate entre Chapecoense e Grêmio – que o manteria no segundo lugar. O Palmeiras volta para São Paulo muito questionado e precisando vencer o Fluminense de qualquer modo na próxima rodada.

Fluminense, inclusive, que recebeu o Atlético Paranaense no Maracanã e deixou escapar a chance de ser líder do Campeonato por uma noite. Abrindo a rodada na terça-feira, o Tricolor das Laranjeiras vacilou logo no início do primeiro tempo e tomou o gol do rubro-negro em um rápido contra-ataque concluido por Pablo. À partir daí, os visitantes se fecharam e buscaram ampliar em mais um contra-golpe. Não deu e os donos da casa empataram com Reginaldo que completou cruzamento de Gustavo Scarpa.

No segundo tempo, o Atlético voltou afim de jogo e com Nikão conseguiu suas melhores jogadas – entre elas, perder o gol mais feito do jogo aos 51 minutos. Com pouco mais de dez minutos para o final do segundo tempo, Gustavo Scarpa cobrou falta na área atleticana, Paulo André desviou de cabeça e Renato acertou o rosto de Wanderson em cheio – de modo totalmente involuntário – enquanto tentava uma bicicleta. O zagueiro do Atlético-PR ficou desacordado e foi retirado de campo pela ambulância. Como já tinha feito as três substituições, o Furacão foi com um jogador a menos até o fim da partida que terminou em 1 a 1 mesmo.

De volta à quarta-feira, o Sport – na base do “eu, eu, eu, 87 já morreu!” –, conquistou a primeira vitória com o “pofexô” Vanderlei Luxemburgo e despachou o Flamengo de volta para o Rio de Janeiro em crise, com o goleiro Alex Muralha contestadíssimo após (mais) algumas falhas grosseiras, na 14ª posição do campeonato e sem a invencibilidade (que não significava muita coisa, já que era baseada numa coleção absurda de empates).

Os cariocas bem que tentaram e começaram pressionando os donos da casa que aos poucos assumiram o controle do jogo que, no final primeiro tempo, estava equilibrado. No segundo tempo, Muralha deu uma péssima saída de bola nos pés de Osvaldo que não perdoou, e mandou pro fundo do gol: Sport 1 a 0. No desespero, o Flamengo foi pra cima, mas tudo o que conseguiu foi tomar o segundo gol, marcado por Thomás – cria da base do Mengão – que comemorou fazendo o símbolo de 87.

Com o resultado, o Sport sobe um tanto na tabela – é o 9º colocado – e o Flamengo volta para a casa mergulhado na crise e com ecos nos corredores da Gávea que sussuram “Waaaaalteeeeeer” (goleiro do Corinthians) e “Doooooorivaaaalll”. Não sei se o técnico Zé Ricardo continua esquentando o banco do Fla até a próxima rodada.

Jogando no Independência, o Atlético Mineiro não fez mais do que sua obrigação e ganhou do Avaí. 1 a 0 marcado ainda no primeiro tempo por Fred. O goleiro atleticano, Vitor, foi o nome do jogo. Não fosse por ele, o Galo, que de novo não jogou bem, poderia ter amargado um novo empate – ou até derrota – em casa, frente a pressão da equipe catarinense. O goleirão garantiu o “bicho” dos mineiros.

Com isso o Galo chega à sua primeira vitória, sai do Z-4 (está em 13º na tabela) e afunda o Avaí mais um pouquinho na zona do rebaixamento.

E finalmente, o Santos do interino Elano sem mostrar qualquer evolução no futebol dos tempos de Dorival Júnior (período também conhecido como “sábado passado”) manteve-se com 100% no Pacaembu – com 20 vitórias nos últimos 20 jogos. Numa falha de Helton Leite após cobrança de falta de Vitor Ferraz, já no final do segundo tempo, o Peixe levou pra casa os 3 pontos em cima do Botafogo – que embora tenha pressionado o jogo inteiro, fez uma partida muito abaixo do que vinha apresentando até aqui no Brasileiro.

Melhor para o time santista, que terá um clima um pouco melhor para receber seu novo técnico, Levir Culpi.

 

Jogos em 08/06/17

São Paulo x Vitória

Morumbi – 19:30

Atlético-GO x Ponte Preta

Estádio Olímpico (GO) – 19:30

Chapecoense x Grêmio

Arena Condá – 20:00

Bahia x Cruzeiro

Fonte Nova – 21:00

 

Resultados da Rodada

06/06/17 – terça-feira

• Fluminense 1 x 1 Atlético-PR

07/06/17 – quarta-feira

• Atlético-MG 1 x 0 Avaí

• Coritiba 1 x 0 Palmeiras

• Santos 1 x 0 Botafogo

• Vasco 2 x 5 Corinthians

• Sport 2 x 0 Flamengo

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar