Copa Verde

Copa Verde conta com 18 clubes de onze estados brasileiros

Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Gigantes Paysandu e Remo são os chamarizes da competição

Com o sucesso da Copa do Nordeste, as agremiações do norte e centro-oeste se uniram para viabilizar um torneio mais vantajoso economicamente e tecnicamente que os diversos Estaduais destas regiões do país. O Espírito Santo, da região sudeste, se uniu na causa. A única exceção é o estado de Goiás, que concorreu pela última vez em 2016, com o Aparecidense. Confira abaixo as últimas notícias da Copa Verde.

Os participantes

Os concorrentes são em sua maioria os campeões estaduais. São os casos de Atlético-AC, Santos-AP, Manaus-AM, Brasiliense-DF, Cuiabá-MT, Corumbaense-MS, Paysandu-PA, Real Ariquemes-RO, São Raimundo-RR e Interporto-TO.

Por causa do ranking da CBF alguns estados têm direito a mais vagas e classificaram outras equipes de acordo com suas performances nos Estaduais de 2017: Ceilândia-DF, Operário-MS e Sparta-TO.

O Espírito Santo utiliza sua Copa ES para determinar seu representante na Copa Verde: o Atlético Itapemirim.

As últimas quatro vagas saíram através do ranking de clubes da CBF: Rio Branco-AC (67º), Princesa do Solimões-AM (78º), Luverdense-MT (35º) e Remo-PA (57º).

Fórmula de disputa atrativa

A Copa Verde é toda ela disputada no formato de mata-mata com pelejas de ida e de volta. A fase preliminar tem duas chaves envolvendo quatro times. Ela acontece em janeiro e os dois sobreviventes completam os emparelhamentos das oitavas de final, agendadas para janeiro e fevereiro.

O calendário prevê as quartas de final em março, as semifinais em março e abril e as finais em abril e maio.

Os cruzamentos

Fase Preliminar:

  • Interporto x Princesa do Solimões (jogo 1)
  • Corumbaense x Ceilândia (jogo 2)

Oitavas de final:

  • vencedor do jogo 1 x Paysandu (jogo 3)
  • Atlético-AC x Santos-AP (jogo 4)
  • Manaus x Remo (jogo 5)
  • São Raimundo-RR x Rio Branco-AC (jogo 6)
  • vencedor do jogo 2 x Luverdense (jogo 7)
  • Sparta x Real Ariquemes (jogo 8)
  • Atlético Itapemirim x Brasiliense (jogo 9)
  • Operário-MS x Cuiabá (jogo 10)

Quartas de final:

  • vencedor do jogo 3 x vencedor do jogo 4
  • vencedor do jogo 5 x vencedor do jogo 6
  • vencedor do jogo 7 x vencedor do jogo 8
  • vencedor do jogo 9 x vencedor do jogo 10

Como foi este ano?

O Luverdense conquistou o título com autoridade ao fazer 3 a 1 e segurar o 1 a 1 com o Paysandu na grande final calando o Mangueirão, que recebeu quase 30 mil pessoas. Ao longo da campanha, os mato-grossenses passaram por Ceilândia, Rio Branco-ES e Rondoniense-RO.

As forças do Pará e do Matogrosso do Sul

O Paysandu talvez seja o maior favorito a subir no lugar mais alto do pódio. Seu currículo inclui 47 títulos Paraenses, além de dois da segundona do Campeonato Brasileiro. A conquista da extinta Copa dos Campeões em 2002, o levou à Taça Libertadores de 2003, na qual terminou na nona posição. O Papão está afastado da elite nacional desde 2005.

O Remo é o maior rival do Bicolor. Campeão da Série C de 2005, o Leão Azul já faturou o Estadual Paraense em 44 oportunidades. Não desfila na primeira divisão do Brasil desde a Copa João Havelange de 2000.

Correndo muito fora, chamamos a atenção do Operário-MS. Ninguém dá nada por ele. Em 1977, tampouco acreditavam no alvinegro, mas ele terminou o Brasileirão em terceiro lugar, atrás somente do campeão São Paulo e do vice Atlético-MG.

 

Ranking de campeões

  • Remo-PA, 3 (Copas Norte de 1968, 1969 e 1971)
  • São Raimundo-AM, 3 (Copas Norte de 1999, 2000 e 2001)
  • Paysandu-PA, 2 (Copa Norte de 2002 e Copa Verde de 2016)
  • Brasília-DF, 1 (Copa Verde de 2014)
  • Cuiabá-MT, 1 (Copa Verde de 2015)
  • Fast-AM, 1 (Copa Norte de 1970)
  • Luverdense-MT, 1 (Copa Verde de 2017)
  • Rio Branco-AC, 1 (Copa Norte de 1997)
  • Sampaio Corrêa-MA, 1 (Copa Norte de 1998)

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar