UFC

Conheça três opções de rivais que podem encarar Cris Cyborg em próxima luta no UFC

Foto: Divulgação/UFC

Agora que alcançou o sonhado título peso pena feminino do UFC, Cris Cyborg pode relaxar. Mas não por muito tempo. Mal lutou pelo UFC 214 e seu futuro já é debatido e projetado por especialistas, fãs e rivais no mundo das lutas. E talvez com razão. A brasileira tem tudo para reinar de forma dominante no octógono, e algumas opções de rivais são interessantes para que ela comece sua trajetória como campeã na organização com o pé direito.

Holly Holm

A ex-campeã peso galo feminino foi uma das opções citadas por Cyborg na coletiva de imprensa pós-UFC 214. Ela provavelmente é o maior desafio na atualidade para a brasileira. Embora tenha perdido sua única luta na divisão peso pena feminino, quando disputou o cinturão inaugural da categoria contra Germaine de Randamie, Holm tem um jogo de trocação que pode fazer frente a Cyborg com a estratégia certa. Fora que se trata de uma ex-campeã, o que chama a atenção do público e torna um confronto com Cris altamente vendável.

Megan Anderson

A australiana estava escalada para encarar Cyborg no UFC 214, mas devido a problemas com o visto teve de se retirar do combate e deu lugar a Tonya Evinger. Megan era a campeã peso pena do Invicta FC. Ela foi a sucessora de Cris no show. Por contato de sua altura e longa envergadura, ela pode representar um “xadrez” complicado para a brasileira. É uma boa opção também.

Cat Zingano

A terceira e não menos interessante opção é Zingano, atleta top da divisão dos galos. Ela vem de derrota e não luta desde julho passado, mas diante da escassez de alternativas para Cyborg, pode encaixar bem. É uma luta competitiva e um nome expressivo que pode render bons números. Cat é mais famosa e mais perigosa que as três rivais de Cris no octógono.

O futuro de Cyborg no UFC ainda não foi negociado. A brasileira também tem questões contratuais que precisam ser resolvidas junto à maior organização de MMA do mundo. Mas vale a pena olhar com carinho para estas três opções. Elas representam a chance de Cris iniciar sua trajetória como campeã do UFC de forma expressiva. Não que ela precise, mas seu caminho daqui pra frente deve ser brilhante o suficiente para garantir a si o já merecido posto de melhor lutadora da história do MMA. Ela é capaz de derrubar adversárias muito mais duras do que as que ela já enfrentou até aqui.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar