Ganhador.com

NBA

Como o poderoso Chicago Bulls virou a vergonha da NBA

Foto: Jonathan Daniel/Getty Images

Inacreditável: franquia que brilhou com Michael Jordan hoje é a lanterninha. Última surra foi nesta madrugada, contra os Cavs: 113×91             

Se fosse a Fórmula 1, diríamos que a Ferrari, também com esta marcante cor vermelha, está sempre largando na última fila. O que está acontecendo na atual temporada da NBA é inacreditável. O poderoso Chicago Bulls, que encantou uma geração de apaixonados pelo basquete, hoje é um triste saco de pancadas, colecionado vexames na pior campanha da atual temporada regular. O mais recente ato deste triste enredo veio nesta madrugada, quando a equipe perdeu feio para o Cleveland Cavaliers por 113×91.

Agora são incríveis 3 vitórias e 19 derrotas (!), o pior desempenho entre as 30 equipes da NBA, com somente 13% de aproveitamento. O segundo pior, o Atlanta Hawks, tem 21%.

Para quem viu Jordan, Pippen, Rodman, Kerr, Longley e tantos outros, é realmente de tropeçar ou cair da cadeira.

Um técnico bastante questionável

O que se faz quando uma equipe está tão mal assim? Cogita-se a troca de técnico. E isso inexplicavelmente não ocorre com este Bulls. Ninguém nos Estados Unidos consegue entender como Fred Hoiberg continua no cargo mesmo depois de tamanho vexame. É sua terceira temporada à frente da franquia. As anteriores já haviam sido fracas, quando ele não conseguiu levar aos playoffs, por exemplo, o timaço que tinha Jimmy Buttler, Rajon Rondo e Dwyane Wade. Mas o que ocorre agora é assustador. O Bulls está com uma efetividade comparável à dos Nets ou 76ers em seus piores anos. E Hoiberg segue à frente da equipe, em que pese a imprensa de Chicago relatar a sua notória dificuldade de relacionamento com os comandados. Nem é necessário informação alguma para deduzir isso: como se dar bem com um grupo perdendo tanto e tão feio?

É esse o dilema que os dirigentes do Bulls precisam resolver o quanto antes. O navio está afundando e o capitão não sabe o que fazer.

E essa falta de comando, vale lembrar, rendeu cenas bizarras como a troca de socos entre Bobby Portis e Nikola Mirotic antes mesmo da temporada começar. Diretoria, técnico e jogadores: todos estão perdidos no Bulls. Parecem que querem resolver a situação aos chifres, como o lendário touro do seu uniforme.

Imaturidade e deficiência

É impossível embasar qualquer análise de basquete sem recorrer às estatísticas. No caso do Bulls, a que mais chama a atenção é a que mostra a sua defesa totalmente escancarada, levando uma média absurda de 107 pontos por jogo! O ataque não chega nem perto disso: são 95 por partida e olhe lá.

É claro que a deficiência do time fica muito clara com tal placar negativo. Há bons times com atletas jovens, mas não é este o caso do Chicago. O time é novo demais, tem uma média de idade de só 24 anos – os Cavs que dominaram os novatos do Bulls nesta noite, por exemplo, giram em torno dos 31.

É impossível contar só com veteranos ou só com jovens. A mescla é sempre necessária. Mas a diretoria do Bulls não respeita esta regra tão básica. Caso respeitasse, impediria a saída de Jimmy Butler, por exemplo, o único jogador que poderia mudar um pouco esta situação caso permanecesse na equipe.

Butler foi esperto. Farejando o que estava por vir, caiu fora e hoje soma seus milhões pelo Minnesota Timberwolves – uma franquia sem o passado de glórias do Chicago, mas que pelo menos hoje ocupa uma respeitável sexta colocação na Conferência Oeste, com chances consideráveis de passar até mesmo aos playoffs.

O futuro do Bulls não é nada promissor. A equipe já está de olho na escolha 1 do draft para o próximo ano. E isso machuca os fãs do basquete como nenhuma outra decadência. Certos times deveriam ser proibidos de passar por esses papelões. No ano passado foi o Los Angeles Lakers. Neste ano, o Chicago Bulls. Nós, filhotes de Magic Johnson e Michael Jordan, estamos ultrapassados e ainda não percebemos.

Jogos da Temporada Regular da NBA 2017/2018

Segunda-feira, 4 de dezembro

 

  • Charlotte Hornets 104×94 Orlando Magic
  • Indiana Pacers 115×97 New York Knicks
  • Philadelphia 76ers 101×115 Phoenix Suns
  • Atlanta Hawks 90×110 Brooklyn Nets
  • Boston Celtics 111×100 Milwaukee Bucks
  • Chicago Bulls 91×113 Cleveland Cavaliers
  • Memphis Grizzlies 95×92 Minnesota Timberwolves
  • New Orleans Pelicans 115×125 Golden State Warriors
  • Dallas Mavericks 122×105 Denver Nuggets
  • San Antonio Spurs 96×93 Detroit Pistons

 

Terça-feira, 5 de dezembro

 

  • 22:30 – Toronto Raptors x Phoenix Suns – Palpite: Raptors
  • 23:00 – Oklahoma City Thunder x Utah Jazz – Palpite: Thunder

 

Quarta-feira, 6 de dezembro

 

00:00 – Portland Trail Blazers x Washington Wizards – Palpite: Wizards

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar