Ganhador.com

e-Sports

Com campeões no Fifa e no PES, Brasil é celeiro de craques também no futebol virtual

Guilherme "GuiFera" Fonseca é apresentado no Santos. Foto: Ivan Storti / Santos FC
Guilherme "GuiFera" Fonseca é apresentado no Santos. Foto: Ivan Storti / Santos FC

A expansão do mercado de games se reflete nas premiações, e o negócio se torna altamente lucrativo

Foi-se o tempo em que videogames eram apenas uma brincadeira para crianças. O negócio se expandiu, e hoje supera os lucros do cinema e da música, com um cresimento anual na casa dos 10%. Somente no Brasil, o setor registrou um faturamento de US$ 1,6 bilhão no ano passado.

O futebol contribui de forma significativa para este sucesso através de duas franquias que são fenômenos de popularidade. Fifa 17 para PS4 foi o jogo mais vendido no mundo em 2016, com 7,5 milhões de cópias, além de contar com outras três edições na lista do cem primeiros. Embora tenha números mais modestos, o Pro Evolution Soccer arrebata uma legião de apaixonados, especialmente em território tupiniquim.

 

Fifa ou PES, qual o melhor jogo?

O embate entre as franquias de EA Sports e Konami gera discussões acaloradas a respeito de qual seria o melhor game de futebol, e os defensores de ambos os lados apresentam argumentos bastante convincentes. A verdade é que a escolha do game ideal varia muito de acordo com o perfil do jogador.

O PES apresenta uma jogabilidade mais fluida, e é o ideal para quem deseja utilizar times brasileiros. Todos os clubes da Série A são licenciados, e é possível ainda disputar a Champions League em seu formato original. Seus pontos negativos são a ausência de ligas importantes, como as da Espanha e Inglaterra, e a qualidade inferior dos gráficos, falha que vem sendo corrigida nos últimos anos.

O Fifa, por sua vez, apresenta situações mais parecidas com as de uma partida de futebol real, exigindo maior prática do jogador até que consiga desempenhar em alto nível. Tem como trunfo a grande quantidade de ligas licenciadas, permitindo ao usuário disputar desde a Premier League até o Campeonato Coreano. Quando se trata de Brasileirão, no entanto, deixa a desejar, com elencos genéricos e nenhum estádio de time nacional.

 

Franquias oferecem grandes premiações em 2018

Em ano de Copa do Mundo, o mais popular dos esportes estará em evidência também em sua versão eletrônica. Tanto a EA Sports como a Konami preparam grandes eventos para 2018, com premiações que ultrapassam R$ 1 milhão.

A Fifa eWorld Cup realiza seletivas desde o novembro de 2017 para escolher os 64 melhores e-atletas do mundo em cada console. Estes jogadores participarão de um mata-mata em janeiro, em local ainda não definido, e os trinta e dois que sobreviverem disputarão a fase final em agosto.

A PES League, por sua vez, está atrelada à UEFA Champions League, e terá seu desfecho junto com o maior torneio de clubes da Europa, no dia 26 de maio, em Kiev, na Ucrânia. O modelo de seleção dos participantes será o mesmo de seu concorrente, através de etapas regionais que levarão aos trinta e dois melhores jogadores do planeta.

 

Brasileiros brilham no Fifa

A exemplo do que acontece nos gramados, o Brasil é um dos maiores expoentes em todo o planeta quando se trata de futebol eletrônico. Daqui saiu o primeiro campeão do mundo de Fifa Soccer, o carioca Thiago Carrico de Azevedo, que ficou com o título em 2004.

As seletivas para o campeonato mundial do ano que vem contam com nada menos do que doze jogadores nascidos no país, na plataforma Xbox One. Um deles se tornou bastante conhecido por brilhar em outra área antes de assumir o joystick.

Ex-jogador do Goianésia, Wendell Lira ganhou notoriedade ao conquistar o Prêmio Puskas de gol mais bonito do ano de 2015, após acertar uma bela bicicleta na vitória de seu time contra o Atlético Goianiense. No mesmo dia em que recebeu a honraria, o brasileiro foi desafiado para uma partida de Fifa Soccer contra o então campeão do mundo, o saudita Abdulaziz Alshehri, e para surpresa geral, venceu por 6×1.  A partir daí estava consolidada sua fama de craque virtual.

Ao voltar ao Brasil e se encontrar às voltas com inúmeras contusões, Lira decidiu largar os campos e se dedicar integralmente ao que até então fazia apenas como passatempo. Hoje, é um dos principais jogadores do país, e possui um vlog onde trata do assunto. Com uma excelente marca de 152 vitórias em 160 partidas, o goianiense é um dos favoritos ao título.

 

No PES, a taça do mundo é nossa

As glórias brasileiras no futebol virtual não ficam restritas ao âmbito do  jogo da EA Sports. O atual campeão mundial de Pro Evolution Soccer também é nascido aqui. O jovem Guilherme Fonseca, de apenas 17 anos, conhecido como GuiFera, conquistou o título mundial de 2017 ao superar o então campeão Ettore Giannuzzi, o Ettorito97, da Itália, na grande decisão disputada no Emirates Stadium, casa do Arsenal.

O paulista, que no mesmo ano já havia conquistado o campeonato brasileiro, recebeu o prêmio no Millennium Stadium, em Cardiff, junto aos vencedores da Champions League, e de quebra embolsou US$ 200 mil, cerca de R$ 648 mil na cotação atual.

Guilherme firmou recentemente um contrato com o Santos. Ele vai represent o Alvinegro Praiano em competições no Brasil e no exterior, e além de receber um salário do clube, terá suas despesas custeadas. A diretoria se comprometeu ainda a auxiliar o e-atleta na busca por patrocínios. Nada mau para quem tinha a atividade apenas como hobby!

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar