Ganhador.com

Natação

César Cielo volta às piscinas no Troféu Brasil Maria Lenk!

Foto: Buda Mendes/Getty Images

Competição começa hoje e terminará no sábado.

O 57o Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação terá como maior atração o retorno de César Cielo às piscinas. O torneio será a última seletiva para o Mundial de Esportes Aquáticos (em julho, em Budapeste) e para o Mundial Júnior (em agosto, em Indianápolis).

 

A volta do campeão Olímpico César Cielo

A natação brasileira assistirá ao retorno do campeão olímpico César Cielo, que defenderá a touca do Pinheiros. Além de inspirar a nova geração da agremiação, ele transmitirá toda sua experiência às categorias de base. “Voltei para dar o melhor de mim. Quero nadar bem e servir como mentor. Quero ajudar no processo rumo à Olimpíada de 2020, mesmo se eu não estiver lá”.

 

Pinheiros favorito ao Tri

Atual bicampeão e maior laureado da competição com 15 taças, os paulistanos são favoritos a mais uma conquista. Sua delegação contará com 54 nadadores, incluindo João Gomes Jr., Guilherme Guido, Manuella Lyrio, Jhennifer Conceição e Gabriel Santos, que competiram nas últimas Olimpíadas. Além destes, o clube contratou para esta temporada Luiz Altamir (ex-Flamengo), Natalia de Luccas (ex-Corinthians) e André Pereira (ex-Grêmio Náutico União). Isso sem falar em César Cielo.

Segundo o técnico principal Albertinho, os nadadores deverão fazer uma grande apresentação esta semana: “A preparação foi excelente. Vi um grupo novo de idade, mas desde já muito comprometido com os resultados”.

Ano passado, os pinheirenses ganharam 11 das 26 medalhas de ouro em disputa, somando 1.436 pontos, contra 607 do Corinthians e 549,5 do Minas Tênis Clube.

 

Minas vem forte

A delegação minastenista conta com 33 atletas. Para este ano o clube trouxe o comandante Sérgio Marques, que tem conseguido obter de seus atletas as melhores marcas de suas carreiras nos torneios mineiros. Por isso, a expectativa para o Brasileiro é boa. Entre os destaques da equipe estão alguns atletas olímpicos, como Henrique Martins, Ítalo Manzine, Kaio Márcio, Miguel Valente e Felipe Lima. Além destes, brigarão pelas vagas no Mundial Bruna Rocha, Lorrane Ferreira e Renata Sander. Já Camila Campos e Camila Lins são candidatas à revelação da modalidade.

 

Unisanta sonha com inédita conquista

A Unisanta sonha em brigar de igual para igual com o Pinheiros para dar a volta olímpica. Além de renovar os contratos das fundistas Poliana Okimoto e Ana Marcela, e dos velocistas Matheus Santana e Felipe Souza, o clube se reforçou com Felipe França, Thiago Simon, Leonardo de Deus e Joanna Maranhão. A argentina Julia Sebastián é a contratação internacional da representação santista, que contará com 31 nadadores.

 

Corinthians reduziu o investimento

Com o mercado de transferências aquecido, o Corinthians decidiu cortar verba e liberou alguns de seus atletas. Mesmo assim, os alvinegros inscreveram 26 atletas em sua delegação: “é uma nova fase da natação do Corinthians. A gente está indo disputar um campeonato absoluto com uma base juvenil e júnior”, declarou o treinador Carlos Matheus.

Outro clube que irá se apresentar com talentos feitos em casa é o Grêmio Náutico União. Serão 17 nadadores que sonham em chegar à seleção brasileira.

    

Ausências

Apesar dos grandes nomes e da rivalidade dos times, a edição de 2017 não terá alguns dos atletas olímpicos que competiram ano passado na Cidade Maravilhosa. Thiago Pereira (ex-Minas Tênis Clube) se aposentou e Larissa Oliveira (do Pinheiros) passou por uma cirurgia. Já Nicolas Oliveira (ex-Minas Tênis Clube) e João de Lucca (ex-Pinheiros) vivem e treinam nos Estados Unidos e não têm vínculos com nenhum clube nacional.

 

Clubes do Rio investem em estrutura

Nos últimos cinco anos os parques aquáticos de Botafogo, Flamengo e Fluminense foram modernizados. A última equipe de ponta carioca foi a rubro-negra, que venceu o Troféu Brasil de 2012. De lá para cá, os investimentos na Natação minguaram. O trio, junto com o Tijuca, faz um forte trabalho de base mas os melhores talentos acabam se transferindo para fora do estado quando atingem a idade adulta.

Mesmo assim, o Rio contará com 40 nadadores no certame (17 nadam na Gávea, 16 nas Laranjeiras, quatro na Tijuca, dois no Mourisco e um no Marina Barra Clube).

Outro que iniciou a reforma de seu estádio de natação é o Vasco da Gama, cujas obras estão em andamento. Sua reinauguração está prevista para o segundo semestre.

 

O parque aquático Maria Lenk

Um dos principais estádios de desportos aquáticos do país, e sem dúvida o mais moderno, completa dez anos. A praça esportiva foi idealizada e erguida para os Jogos Pan-Americanos de 2007 e foi utilizada nos Jogos Olímpicos de 2016. Ele pode abrigar também competições de pólo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado.

As piscinas homenageiam Maria Emma Hulga Lenk Zigler (1915-2007). Nadadora desde 1925, tornou-se a primeira mulher sul-americana a participar dos Jogos Olímpicos, em Los Angeles, em 1932. Nos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936, ela nadou borboleta numa prova de peito e o novo estilo foi aceito e adotado pela Federação Internacional até os dias de hoje. Três anos mais tarde, estabeleceu os novos recordes mundiais dos 200m e dos 400m peito.

Durante boa parte de sua carreira foi atleta do Flamengo e até o fim de sua vida continuou nadando e competindo na categoria máster, tanto pelo rubro-negro, quanto pela seleção brasileira.

Em 1988, foi homenageada ao entrar para o Hall da Fama Internacional da Natação.

Ao falecer em 2007, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos renomeou seu Troféu Brasil com o nome de Troféu Maria Lenk, que continua a ser a principal contenda interclubes do país.

 

Os Campeões:

  • 1962 e 1963 – Paulistano (SP)
  • 1964 a 1966 – Corinthians (SP)
  • 1967 – Botafogo
  • 1968 – Flamengo
  • 1969 e 1970 – Fluminense
  • 1971 a 1974 – Botafogo
  • 1975 e 1976 – Fluminense
  • 1977 – Pinheiros
  • 1978 – Fluminense
  • 1979 – Pinheiros
  • 1980 a 1987 – Flamengo
  • 1988 – Minas Tênis Clube
  • 1989 – Flamengo
  • 1990 – Minas Tênis Clube
  • 1991 – Flamengo
  • 1992 – Minas Tênis Clube
  • 1993 – Pinheiros
  • 1994 – Minas Tênis Clube
  • 1995 – Pinheiros
  • 1996 e 1997 – Minas Tênis Clube
  • 1998 – Pinheiros
  • 1999 a 2001 – Vasco da Gama
  • 2002 – Flamengo
  • 2003 a 2010 – Pinheiros
  • 2011 – Minas Tênis Clube
  • 2012 – Flamengo
  • 2013 – Minas Tênis Clube
  • 2014 – Corinthians
  • 2015 e 2016 – Pinheiros

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar