Ganhador.com

Futebol: Podcast

Caneladas de Segunda #6 – Análise da 2ª rodada do Brasileirão 2017

A segunda rodada do Campeonato Brasileiro vai chegando ao fim. Resta apenas o jogo entre São Paulo e Avaí, nesta segunda-feira, mas o resultado não afeta muito a análise da competição até aqui.

De início, confirmamos aquilo que todo mundo já sabia: os técnicos estão na pilha de ferrarem com meus prognósticos e derrubarem meu time no Cartola. Tudo bem. Eu posso viver com isso.

As surpresas ficam por conta de Grêmio e Fluminense no topo da tabela com, 100% de aproveitamento, e da derrota do Palmeiras no jogo contra a Chapecoense na Arena Condá. Muitos dirão que “era o Palmeiras reserva”, mas a verdade é que ERA o Palmeiras, vestia o uniforme do Palmeiras e tinha a missão de jogar como o Palmeiras (falaremos sobre isso mais à frente).

Também merece destaque o desempenho decepcionante do Bahia que, após uma sacolada de 6 a 2 para cima do Atlético-PR, se apequenou em São Januário e reabilitou o Vasco.

Vale um destaque inicial também para o jogo Vitória x Corinthians, que pode ser resumido como “90 minutos da minha vida que nunca mais voltarão…”.

Desse modo, chega de enrolação e vamos para os jogos!

 

Chapecoense 1×0 Palmeiras

Era o jogo pra garantir o Palmeiras na ponta da tabela.

Era.

Preocupado com a rodada do meio de semana pela Libertadores, o técnico Cuca levou para a Arena Condá um time reserva e calças da cor errada. Posição diferente de seu oponente Wagner Mancini – que, mesmo tendo um jogo decisivo no meio de semana, levou para a partida o que tinha de melhor à sua disposição. E colheu os frutos disso.

O primeiro tempo foi uma “nhaca” desgraçada: um único lance de perigo em uma cabeçada de Andrei Girotto (ex-palmeiras) aos 27 minutos. E mais nada.

O segundo tempo foi diferente para a Chape (o Palmeiras ameaçou renascer para o jogo em um chute perigoso de William, mas ficou nisso). Os donos da casa pressionaram e criaram chances de gol até que aos 27 minutos, o meia Luiz Antonio pegou rebote de Fernando Prass e empurrou a bola para o fundo das redes.

O restante foi um jogo em que o desorganizado Palmeiras buscava o gol e a Chapecoense se mostrava mais eficiente – os donos da casa sempre estiveram mais perto de fazer o segundo do que de tomar o empate.

Cuca disse depois do jogo que o fato de ter usado o time reserva não serve de desculpa – e não serve mesmo. Afinal, eles jogam juntos, treinam juntos, participam das atividades juntos e alguns até almoçam juntos. Ter alguma dificuldade ou falta de ritmo é aceitável, mas não dar um único chute com perigo nos primeiros 45 minutos é muito diferente. E não dá para explicar isso só com dizendo que é o time reserva. Cuca sabe disso e muito provavelmente não vai mais lavar a calça vinho antes do final do campeonato.

O resultado como um todo não é um desastre, já que esta é a apenas a segunda rodada do Brasileirão. Mas Cuca precisa tirar mais deste elenco, independente das calças que estiver vestindo e do time que estiver em campo.

Score pessoal: Errei feio achando que o jogo ficaria num chato 1 a 1.

Próximo jogo no Brasileiro: São Paulo x Palmeiras; Chapecoense x Avaí.

 

Santos 1×0 Coritiba

O desgastado Santos recebeu o Coritiba na Vila Belmiro e, aos 4 minutos de jogo, já aumentou sua lista de problemas: Lucas Lima sentiu uma lesão na coxa direita e teve que deixar o gramado e, talvez, a Seleção Brasileira (o jogador será reavaliado nesta segunda-feira).

Mesmo depois da batalha com um jogador a menos em La Paz – e a classificação antecipada na Libertadores – e a cansativa viagem de volta para o Brasil, o técnico Dorival Junior poupou apenas três titulares na partida – Victor Ramos, Renato e Vitor Bueno. E foi recompensado com o gol de David Braz aos 7 minutos do primeiro tempo.

A partir disso, restou ao Santos suportar a pressão imposta pelo Coritiba: foram 22 finalizações e um pênalti de Alecssandro aos 47 minutos do segundo tempo, defendido por Vanderlei – o herói da Baixada.

Mesmo com o resultado ruim, a torcida do Coxa não tem do que reclamar: o time jogou bem, criou e tem potencial pra crescer durante o campeonato.

Já a torcida do Santos não está nem aí. Pouco mais de 5 mil pessoas foram assistir à partida. Jogar com os portões fechados teria sido até mais digno. O time do Santos não merece isso.

Score pessoal: Apostei que o desgaste santista seria maior e o Coxa levaria por 2 a 1. Errei feio e minha estatística pessoal está virando pó…

Próximo jogo no Brasileiro: Santos x Cruzeiro; Vitória x Coritiba.

 

Atlético-GO 0x3 Flamengo

Depois da eliminação na Libertadores 2017 para o San Lorenzo, na última quarta-feira, o Flamengo fez o que dele se esperava: foi ao Serra Dourada e impôs sua maior qualidade técnica e elenco sobre o esforçado time do Atlético-GO, voltando para o Rio com os 3 pontos na bagagem. Um resultado excelente para os comandados do técnico Zé Ricardo, que alivia um pouco a pressão que já vinha das arquibancadas – apesar da recente conquista do Campeonato Carioca.

Para o Dragão, não havia muito o que fazer. Como disse em outras ocasiões, este é um time que luta para não cair e nada mais. Uma tarefa muito difícil para o limitado elenco goianiense.

Score pessoal: Errei por um: apostei que o Fla ganhava por 2 a 0 e o resultado final foi 3 a 0. Mas o que importa são os 3 pontos.

Próximo jogo no Brasileiro: Atlético-PR x Flamengo; Atlético-GO x Corinthians.

 

Vasco 2×1 Bahia

Com Nenê no banco e um terço novo nas mãos do técnico Milton Mendes, o Vasco impôs seu jogo em São Januário, viu os zagueiros Paulão e Breno estrearem e Luis Fabiano marcar seu 400º gol. Não foi pouca coisa para um jogo às 11 da manhã.

A verdade é que o Cruz-Maltino fez valer seu mando de campo e não deu chances ao Bahia – que vinha embalado pela maior goleada da rodada de abertura do Brasileirão, mas que mantém a cabeça na decisão da Copa do Nordeste neste meio de semana.

Desse modo, o Vasco fatura seus primeiros pontos no Brasileirão, ganha uma semana de paz e ferra com meus prognósticos.

Score pessoal: Apostei que o Bahia levava por 1 a 0. Deu 2 a 1 para o Vasco, mas pelo menos eu acertei o gol do Bahia – o que na prática não quer dizer absolutamente nada.

Próximo jogo no Brasileiro: Vasco x Fluminense; Botafogo x Bahia.

 

Atlético-MG 1×2 Fluminense

Num jogo muito movimentado, o Galo recebeu o Tricolor no Estádio Independência e viu seu maior volume de jogo ser batido pela eficiência da equipe carioca.

Com poucos minutos do primeiro tempo, o Fluminense já vencia por 2 a 0 e controlava as investidas do Atlético – que pressionava, mas abusava do direito de errar. Mas a má pontaria começou a enervar a equipe mineira, que ainda conseguiu diminuir com Gabriel, aos 40 do primeiro tempo.

O Galo mudou no segundo tempo, foi pra cima, mas continuou parando no próprio nervosismo. Principalmente quando, contundido, o equatoriano Sonorza saiu de campo e deixou o Flu – que já havia feito suas três substituições – com um a menos.

Score pessoal: Acertei o placar (2 a 1) e errei quem vencia e quem perdia. E a média segue ladeira abaixo…

Próximo jogo no Brasileiro: Vasco x Fluminense; Atlético-MG x Ponte Preta.

 

Vitória 0x1 Corinthians

O Corinthians foi à Bahia e conseguiu golear o Vitória por 1 a 0 – sim, 1 a 0 é goleada para os lados do Parque São Jorge – e voltou pra São Paulo com 3 pontos na bagagem.

Em um jogo chato de doer, com pouquíssimos lances de emoção, o Alvinegro abriu o placar depois que o técnico Fábio Carille perdeu a paciência com a falta de objetividade do meia Maicon – bom jogador, mas que há tempos está devendo uma boa atuação –, e o substituiu por Marquinhos Gabriel. Este entrou ligado no jogo e, em suas primeiras ações, já puxou um contra-ataque fatal, passou para Jadson, recebeu de volta e tocou para Jô marcar. E foi só.

O Vitória segue sem marcar gols no Brasileirão – e não fez por merecê-los ontem – e soma um ponto apenas.

Para o Corinthians, a má notícia pode ser a lesão do zagueiro Balbuena, que sentiu na metade do segundo tempo e foi substituído pelo jovem – e muito bom defensor – Léo Santos.

Fora isso, mais nada. Jogo chato com placar idem, mas que joga o Timão para a parte de cima da tabela.

Score pessoal: Acertei o vencedor. Apenas fui um tanto generoso com os gols. Imaginei um placar de 2 a 1 para o Alvinegro, o que não aconteceu.

Próximo jogo no Brasileiro: Vitória x Coritiba; Atlético-GO x Corinthians.

 

Atlético-PR 0x2 Grêmio

Depois de um primeiro tempo modorrento, com um respeito exagerado dos dois lados, o Grêmio bancou o visitante mal educado e, aos 42 segundos do segundo tempo, abriu o placar na Arena da Baixada.

Disperso no jogo – talvez ainda em função da boa classificação para o mata-mata da Libertadores na última quarta-feira –, o Atlético vacilou e levou o segundo 13 minutos depois e, mesmo com um a mais após a expulsão do goleiro Marcelo Grohe – que abusou da cera –, não conseguiu sequer buscar o empate e segue sem pontuar no Brasileirão.

O tricolor gaúcho, por outro lado – com grande atuação de Barrios –, confirmou a boa estreia contra o Botafogo e, ao lado do Fluminense, segue com 100% de aproveitamento no campeonato, com duas vitórias em dois jogos. Números que darão tranquilidade para o técnico Renato Portaluppi na sequência de seu trabalho (que, pra variar, já começava a ser questionado).

Score pessoal: Cravei que o Atlético-PR, embalado pela classificação na Libertadores, engoliria o Grêmio em casa por 1 a 0. Mas é claro que eu errei de novo!

Próximo jogo no Brasileiro: Atlético-PR x Flamengo (jogo que encerra a trilogia atleticana do Mengo); Sport x Grêmio.

 

Botafogo 2×0 Ponte Preta

Com dois golaços dos volantes Bruno Silva e Rodrigo Lindoso em chutes de longe – um em cada tempo da partida –, o Botafogo venceu a primeira no Brasileiro e marcou seus primeiros 3 pontinhos, se recuperando assim da derrota para o Grêmio na abertura do campeonato. Junta-se à Ponte Preta no grupo dos times com 50% de aproveitamento – uma vitória e uma derrota.

Em um jogo movimentado e muito igual – inclusive nos erros nos passes finais –, o Botafogo conseguiu abrir o placar em um lindo chute de fora da área de Bruno Silva, que aproveitou uma bola mal afastada pela defesa da Ponte que partiu ao ataque, mas seguia errando muito no seu setor de criação.

O Botafogo deu mais campo para os visitantes no segundo tempo e se aproveitou dos contra-ataques para pressionar a defesa campineira até que, novamente de fora da área, Rodrigo Lindoso acertou um belo chute na meta de Aranha e deu números finais ao jogo – que poderia ter um placar mais elástico se os donos da casa tivessem se aproveitado melhor dos espaços deixados pela Ponte Preta após o segundo gol.

Boa recuperação do Fogão, que segue vivo nesta segunda rodada, e mal sinal para a Ponte, que se ressente das perdas de Potker e Clayson.

Score pessoal: Como se tratam de dois times muito parecidos, cravei um empate em 2 a 2. Acertei meio placar… faltou a Ponte me ajudar.

Próximo jogo no Brasileiro: Botafogo x Bahia; Atlético-MG x Ponte Preta.

 

Sport 1×1 Cruzeiro

O Sport segue sem saber o que é vencer no Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro segue sem saber o que é perder. E, como se trata de uma segunda rodada de um campeonato que tem 38, isso não quer dizer absolutamente nada. Mas fica bonito na manchete do jornal. Causa impacto e tudo mais.

Indo ao que importa, Sport e Cruzeiro fizeram um jogo amarrado e, na prática, de poucas chances. Em sua primeira jogada de ataque, o time mineiro conseguiu abrir o placar em boa finalização de Alisson. Tá certo que isso demorou um pouco para acontecer, já que o Cruzeiro começou o jogo muito desligado. O Sport não soube aproveitar este bom momento inicial e, depois, precisou correr atrás do resultado. E conseguiu depois que o goleiro Fábio fez pênalti em Diego Souza. Ele mesmo cobrou e deu números finais ao jogo ainda no primeiro tempo.

No segundo tempo o Cruzeiro veio melhor, mais ligado e buscando o resultado. Porém, parava no bom bloqueio defensivo montado pelos donos da casa, que tentaram ameaçar em alguns contra-ataques, mas sem sucesso.

E o jogo terminou assim: 1 a 1 que é ruim para ambos, mas um pouco pior para o Sport, que nesta semana disputa a final da Copa do Nordeste contra o Bahia e, em seguida, precisa reagir no Brasileirão.

Score pessoal: O Cruzeiro bem que tentou me ajudar, fez logo o gol e o placar que eu havia palpitado. Mas não deu. Para ferrar a minha estatística, Mano Menezes levou o empate para casa. E eu, mais uma paulada.

Próximo jogo no Brasileiro: Sport x Grêmio; Santos x Cruzeiro.

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Domínio tricolor: Grêmio e Fluminense lideram o Brasileirão; confira os palpites para a 3ª rodada | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar