Ganhador.com

Futebol: Podcast

Campeonato Brasileiro da Série A – 2017: o resumo do primeiro turno

Com o fim do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, é chegada a hora de uma avaliação do que foi a competição até o momento – e o que podemos esperar das próximas 19 rodadas. Como se saíram os favoritos? Quais as surpresas e as decepções? Qual a projeção para o segundo turno? Aperte o play, ouça nosso podcast e fique por dentro de tudo que aconteceu com o seu time no campeonato até aqui.

Em seguida, acompanhe nosso resumo da 19ª rodada do Brasileirão, a seguir.

 

Corinthians 3 x 1 Sport

Com certeza não foi o melhor jogo da rodada – e nem de longe o pior –, mas, sem dúvida, foi um dos mais importantes. O Sport – revigorado pela liderança do “pofexô” Luxemburgo – não foi páreo para o líder do Brasileirão que dominou as ações da partida desde o ínicio do primeiro tempo – algo raro no esquema de jogo do Corinthians que prefere dar ao oponente a iniciativa do jogo. Com um aproveitamento de 82,5%, 47 pontos, liderança isolada e a melhor campanha do primeiro turno de um Campeonato Brasileiro até hoje, o Timão deixou de ser o time que “vai despencar” quando não puder contar com os titulares “porque não tem elenco” para se tornar o grande favorito ao título e única equipe a depender apenas de si para levantar o caneco de Campeão Brasileiro 2017. Nada mal, nada mal mesmo, 4ª força. O resultado manteve o Sport na 6ª colocação – algo bem acima do que era projetado para a equipe no início da competição. Méritos de Vanderlei Luxemburgo que, lembrando seus velhos tempos, conseguiu extrair o máximo de um elenco limitado. Pode continuar sonhando com o G-6, sim.

 

Grêmio 2 x 0 Atlético-MG

De olho em seus duelos decisivos pelas oitavas de final da Libertadores no meio de semana, Grêmio e Atlético-MG foram a campo no domingo com equipes bastante descaracterizadas. Melhor para os gaúchos que sentiram menos o desentrosamento e passaram por cima do Galo que segue em uma fase pavorosa. Bastante desinteressado em campo, Robinho ainda perdeu um pênalti no final do jogo – que muito provavelmente não mudaria o resultado final, mas ajudaria no ambiente do grupo atleticano que vai mal. Com o resultado, o Grêmio – único do G-6 abaixo do líder a vencer na rodada – mantém em 8 pontos a distância para o Corinthians e segue com a possibilidade real de conquistar o título (difícil, mas nem de longe, impossível).

O Atlético-MG joga todas as suas fichas na Libertadores para “salvar” o ano e, com apenas 4 pontos de distância para o 17º colocado – o primeiro do Z-4 – preocupa-se em ficar acima da degola. Muito pouco para um time que começou o Brasileirão como favorito.

 

Flamengo 0 x 2 Vitória

Outro favorito ao título no começo do Brasileirão, o Flamengo coleciona uma decepção atrás da outra. A mais recente foi a “cerejinha do bolo” do primeiro turno: uma derrota por 2 a 0 para o então vice-lanterna, Vitória, em plena Ilha do Urubu. A torcida, com razão, ficou maluca da vida e hostilizou jogadores, o presidente do clube e o técnico Zé Ricardo – com direito a olé pró-Vitória no final do jogo. Muito pior que o resultado em si é constatar que, dificilmente, o Flamengo tentará jogar novamente com a formação ofensiva de ontem – esperem pelo retorno glorioso de Márcio Araújo no lugar de William Arão. Ou não, já que Zé Ricardo não é mais o piloto da “Ferrari”. Mas, com apenas 5 pontos conquistados nos últimos 15 disputados e só uma vitória nos últimos 7 jogos, o rubro-negro viu o Corinthians abrir 18 pontos de vantagem e o sonho de conquistar o Brasileirão virar pó.

Para o Vitória foi um resultado excelente. Sob o comando de Vagner Mancini há 3 jogos, a equipe conquistou uma invencibilidade inédita no campeonato – 1 empate e 2 vitórias – e, com 19 pontos começa a ver uma saída do Z-4. E é bem provável que algumas pessoas em Chapecó sintam um enorme arrependimento neste momento.

 

Palmeiras 0 x 1 Atlético-PR

Preocupado com o duelo decisivo contra o Barcelona de Guayaquil pela Libertadores neste meio de semana, o Palmeiras foi a campo com um time reserva e pagou o preço: derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR – gol de Thiago Heleno, ex-Palmeiras. Já fazem algumas rodadas, é verdade, que o Verdão “jogou a toalha” no Campeonato Brasileiro. O foco de Cuca é salvar o ano do Palmeiras conquistando a Libertadores – objetivo que também não é dos mais fáceis. Pelo menos, o desempenho recente do alviverde melhorou o suficiente para ser possível afirmar que a vaga no G-4 é quase certa. Não salva o ano e é muito pouco diante de tudo que foi investido na montagem do time, mas diminui o estrago.

O Atlético-PR, por outro lado, parece ter se encontrado novamente depois da demissão de Eduardo Baptista e, invicto há 3 rodadas – com 3 vitórias – conquistou 10 dos últimos 15 pontos que disputou e está, por enquanto classificado para a próxima Sul-Americana.

 

Avaí 0 x 0 Santos

Fechando o G-6, o Santos não foi bem contra o Avaí na Ressacada e, não fosse pela boa atuação de Vanderlei (mais uma), teria amargado a derrota para os donos da casa que ressentiram-se muito de um ataque um pouco melhor qualificado. De todo modo, o empate foi ruim para as duas equipes: o Santos viu o Corinthians aumentar para 12 pontos a distância entre eles e o Avaí, com 18 pontos, caiu para a vice-lanterna, sendo ultrapassado pelo Vitória que chegou aos 19 pontos.

 

Bahia 2 x 1 São Paulo

Candidato a um dos piores jogos da temporada – isso duas rodadas depois do jogão Botafogo x São Paulo –. o duelo de ontem na Fonte Nova entre os tricolores afundou mais um pouquinho o São Paulo no Z-4. Com um aproveitamento de 33,3% no Brasileirão, o time do Morumbi tem alguns jogadores de nome e talento, mas, mesmo assim, é ruim de doer. Incapaz de trocar passes de dois metros corretamente – não que o o Bahia tivesse conseguido também –, o São Paulo precisa aceitar urgentemente a sua realidade e entender que o seu campeonato em 2017 é para terminar entre o 13º e o 16º colocados. E mais nada. Esqueça Sul-Americana, G-6, G-4… o desempenho do São Paulo, hoje, é de time rebaixado. Se não aceitar que a luta real é na parte baixa da tabela e se planejar para um 2018 mais digno, vai jogar a Série B no ano que vem, sim. Há alguns anos, aliás, por culpa de sua diretoria, vem fazendo por merecer o tour pela segunda divisão.

A situação do Bahia também não é das melhores, não: os 3 pontos aliviam a pressão e dão sobrevida ao interino Preto Casagrande, mas o time não joga bem e flerta com o Z-4, sem dúvidas.

 

Fluminense 3 x 1 Atlético-GO; Coritiba 2 x 0 Chapecoense

O Fluminense recebeu o lanterna do Brasileirão e fez a lição de casa. Sem dar chances aos visitantes, venceu com um sonoro 3 a 1 e, tendo um jogo a menos – o duelo contra a Ponte Preta foi adiado para esta quarta-feira em função do falecimento do filho mais novo de Abel Braga, técnico do Flu –, o tricolor das laranjeiras pode ainda chegar aos 28 pontos e colar no G-6 (ficando atrás do Sport nos critérios de desempate). O Atlético-GO, para tristeza de sua torcida, segue fazendo figuração no campeonato e já procura apartamento para alugar na Série B.

O Cortitiba, por sua vez, tenta dar sinais de recuperação e, depois de 3 derrotas seguidas, emendou a segunda vitória e subiu 3 posições na tabela do Campeonato Brasileiro – é agora o 9º colocado com 25 pontos. E a Chapecoense, que conquistou apenas 4 dos últimos 15 pontos disputados, caiu 3 posições e, em 16º lugar com 22 pontos, está imediatamente à frente do São Paulo, com 19 pontos e na 17ª posição (a primeira que dá vaga na Série B). Com certeza, os torcedores de Chapecó agradecem a todos os envolvidos na demissão de Vagner Mancini – lembrando que o Vitória também está com 19 pontos e é, neste momento, uma ameaça à Chape.

 

Cruzeiro 0 x 0 Botafogo; Ponte Preta 0 x 0 Vasco

Jogando no Mineirão com seus principais jogadores, o Cruzeiro não foi capaz de derrubar o time reserva do Botafogo – que poupou jogadores para a Libertadores. Pior: o alvnegro teve a melhor oportunidade do jogo aos 43 do segundo tempo em finalização de Marcos Vinicíus, pra fora, cara a cara com Fábio. A Raposa pressionou, chutou, soprou e bufou mas, de novo, não levou. Com 47% de aproveitamento, o Cruzeiro segue fazendo uma campanha “mais ou menos”, podendo chegar ao G-6 e só. O Botafogo não vence há 5 jogos. Está, no momento, focado na Libertadores, mas, se não voltar a vencer logo cairá cada vez mais na tabela. Não há ponto de se preocupar com o rebaixamento, claro.

Ponte Preta e Vasco fizeram o jogo sonífero do final do primeiro turno. Numa preguiça absurda, os dois times não saíram do 0 a 0. De emoção mesmo apenas o desentendimento entre o zagueiro Rodrigo – que deixou o Vasco no começo do ano – e o técnico Milton Mendes, que foi duas vezes empurrado pelo atleta após o final do jogo. E mais nada. O resultado deixa os dois times na parte de baixo da tabela – mas a Ponte tem um jogo a menos e pode subir algumas posições.

 

Classificação provisória do primeiro turno do Campeonato Brasileiro

Faltando ainda o duelo entre Ponte Preta e Fluminense para encerrar o primeiro turno, a classificação do Brasileirão está assim:

  1. Corinthians – 47 pontos
  2. Grêmio – 39 pontos
  3. Santos – 35 pontos
  4. Palmeiras – 32 pontos
  5. Flamengo – 29 pontos
  6. Sport – 28 pontos
  7. Cruzeiro – 27 pontos
  8. Atlético-PR – 26 pontos
  9. Coritiba – 25 pontos
  10. Fluminense – 25 pontos (1 jogo a menos)
  11. Botafogo – 25 pontos
  12. Vasco – 24 pontos
  13. Bahia – 23 pontos
  14. Atlético-MG – 23 pontos
  15. Ponte Preta – 22 pontos (1 jogo a menos)
  16. Chapecoense – 22 pontos
  17. São Paulo – 19 pontos
  18. Vitória – 19 pontos
  19. Avaí – 18 pontos
  20. Atlético-GO – 12 pontos

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar