UFC

As opções de Cigano para salvar o UFC Halifax

Foto: Christian Petersen/Getty Images

Junior Cigano vive dias de incerteza no UFC. Escalado para fazer a luta principal do UFC Fight Night que acontece em Halifax, Canadá, no dia 19 de fevereiro, o brasileiro viu Stefan Struve, inicialmente acertado para ser seu rival no show, sofrer uma lesão no ombro e sair da disputa. Dias após a baixa, a organização segue mantendo Cigano como astro principal do show, mas ainda busca um rival para o brasileiro.

O brasileiro vem de vitória contra Ben Rothwell, em abril do ano passado, e busca a segunda vitória consecutiva. Com rivais como Stipe Miocic, Cain Velásquez e Fabricio Werdum no topo da divisão, o catarinense sabe que precisa lutar para garantir seu lugar no topo da divisão dos pesados – o brasileiro já enfrentou (e venceu) todos os três. Qualquer resultado positivo à essa altura pode alçá-lo a uma chance pelo título da categoria, atualmente em posse de Miocic.

A dificuldade agora é encontrar um rival que aceite enfrentá-lo com apenas um mês de preparação. Atual quarto colocado no ranking dos pesados, Cigano tem poucas opções. Dos nove primeiros colocados da divisão, seis já tem lutas marcadas ou estão machucados. Sobram Cain Velásquez (2º colocado), Fabricio Werdum (1º) e Ben Rothwell (5º). O se lesionou em dezembro e está em fase de recuperação. Rothwell foi a última vítima de Cigano no octógono. Não faz nenhum sentido. Quem sobra? Werdum. Mas, como nem tudo é tão fácil como parece, segundo o próprio Cigano, o compatriota recusou um confronto com ele, talvez alimentando uma esperança de fazer a revanche contra Stipe Miocic pelo cinturão do UFC.

O que pode acontecer é o UFC fazer alguma mudança e trocar algumas lutas para que Cigano não perca o posto de astro do UFC Halifax. Andrei Arlovski (7º), Derrick Lewis (8º) e até Travis Browne (9º), apesar de já terem lutas marcadas, se encaixariam bem. A questão é se algum deles está disposto a encarar o ex-campeão dos pesados com pouco tempo de preparo. Mantê-lo no card é do interesse do UFC, devido a sua expressividade mundial. Sem um rival para o Cigano, o trabalho é maior, pois seria preciso casar outro duelo relevante para o show. Fora que é mais fácil convencer um atleta a lutar com apenas um mês de preparação do que dois.

Mas, convenhamos… O UFC já solucionou problemas maiores e certamente vai encontrar uma forma de manter Cigano no show. Caso contrário já teria anunciado o adiamento – e não o cancelamento – da luta com Struve. E se o brasileiro for inteligente ele vai aceitar o adversário que for, pois se manter em ação é um trunfo na categoria dos pesados. E ele está mais perto de uma chance pelo cinturão do UFC que parece.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.