IndyCar

Acidente espetacular marcou as 500 milhas de Indianápolis

Foto: AP Photo/Marty Seppala

Takuma Sato brilhou: um japonês venceu pela primeira vez a tradicional prova de automobilismo mundial.

A edição 2017 das 500 milhas de Indianápolis foi marcada pela imagem espetacular de um acidente envolvendo Scott Dixon e Jay Howard. Ela também se transformou num marco para o esporte japonês, que viu sua bandeira tremular no alto do pódio pela primeira vez na história.

 

A vitória japonesa

Os grandes prêmios mais velozes de Fórmula Indy, normalmente realizados em circuitos ovais, são sempre emocionantes. O roteiro não foi diferente ontem. A prova só foi decidida a quatro voltas de seu fim quando o japonês Takuma Sato, que se manteve durante todo o domingo no pelotão da frente, ultrapassou Hélio Castroneves. Momentos antes, era o brasileiro quem assumia a ponta, pois o carro do britânico Max Chilton deu sinais de perda de potência e o atleta desacelerava.

O vencedor completou a prova em 3h13m03s.3584. Dezenove pilotos chegaram ao fim, sendo que dezesseis na mesma volta.

Vale lembrar que Takuma Sato foi muito contestado quando competia na Fórmula 1, onde esteve entre 2002 e 2008. Pilotando Jordan, BAR e Super Aguri, ele só subiu ao pódio uma única vez.

O resultado marcou também o bicampeonato da prova para a equipe Andretti Autosport. Em 2016, o primeiro lugar ficou com o então estreante Alexander Rossi.

 

Largada limpa

Quem esperava toques ou batidas na largada se frustrou. Scott Dixon acelerou e manteve a ponta. A melhor saída foi de Tony Kanaan, que de sétimo, pulou para o quarto lugar. Já Alonso estreou caindo para a nona posição.

Vale o registro que o início de prova de Kanaan foi excelente. Na terceira volta ele assumiu a terceira posição e na sequência passaria por Ed Carpenter para ficar em segundo.

 

Boa prova de Alonso

Os olhos dos amantes do automobilismo estavam focados em Fernando Alonso, que sacrificara o Grande Prêmio de Mônaco da Fórmula 1 para correr pela primeira vez na Fórmula Indy, logo em sua prova mais tradicional.

Apesar de ter perdido posições na largada, seu desempenho foi bom e o espanhol se manteve nas cabeças. Nos treinos para a corrida, ele conseguiu o quinto melhor tempo. Depois de perder quatro posições após o sinal verde, foi galgando ultrapassagens à medida que a corrida ia se desenrolando.

Na volta 37, a expectativa por uma boa prova foi confirmada e Alonso assumiu a ponta. Sua liderança durou 17 voltas. No giro 130, ele voltaria a liderar por mais quatro. Ao todo, o espanhol ficou na frente por 21 voltas. Infelizmente, seu motor o traiu a 21 voltas da bandeirada e ele teve que parar.

 

Acidente espetacular

Na 54a volta, o britânico Jay Howard perdeu o controle de seu carro e bateu no muro interno. Scott Dixon não conseguiu desviar e atingiu o carro na pista. Ele bateu de ponta cabeça no guard-rail. A máquina do neozelandês foi completamente destruída e por poucos centímetros sua cabeça não se chocou contra o concreto. Apesar das cenas impactantes, ambos os competidores saíram caminhando de seus carros. Como muitos destroços e restos de carroceria ficaram pela pista, a prova teve que ser interrompida para limpeza (bandeira vermelha).

Outra batida aconteceu com Conor Daly que bateu no muro externo. Uma peça de seu carro voou e acertou Jack Harvey. Ambos abandonaram a corrida.

Algumas outras batidas aconteceram durante o grande prêmio mas nenhuma chamou tanta atenção quanto estas duas.

 

Brasileiro lidera

Com os resultados de ontem, o primeiro lugar da classificação do campeonato pertence a Hélio Castroneves, que tem 245 pontos, onze a mais que o francês atual campeão Simon Pagenaud, que Takuma Sato, e que o neozelandês Scott Dixon.

A Fórmula Indy é bastante equilibrada. Em seis corridas nesta temporada tivemos seis vencedores diferentes. A Penske ganhou com Josef Newgarden (GP de Birmingham), Simon Pagenaud (GP de Phoenix) e Will Power (GP de Indianápolis); a Date Coyne Racing venceu o GP de São Petersburgo com Sébastien Bourdais; e, finalmente, a Schmidt Peterson Motorsports conduziu James Hinchcliffe ao lugar mais alto do pódio no GP de Long Beach. Agora, foi a vez da Andretti Autosport brilhar com Takuma Sato nas 500 milhas de Indianópolis.

Semana que vem, teremos duas provas em Detroit, uma no sábado e outra no domingo. Elas acontecerão no circuito de Belle Isle Park. Ainda em junho, os pilotos participarão do GP do Texas (em Fort Worth) e do GP de Kohler (em Elkhart Lake).

A japonesa Honda lidera entre os construtores. Infelizmente, trata-se de uma contenda entre apenas duas montadoras.

 

Resultado da prova:

  1. Takuma Sato
  2. Hélio Castroneves
  3. Ed Jones
  4. Max Chilton
  5. Tony Kanaan
  6. Juan Pablo Montoya
  7. Alexander Rossi
  8. Marco Andretti
  9. Gabby Chaves
  10. Carlos Muñoz
  11. Ed Carpenter
  12. Graham Rahal
  13. Mikhail Aleshin
  14. Simon Pagenaud
  15. Sebastián Saavedra
  16. J. R. Hildebrand
  17. Pippa Mann
  18. Spencer Pigot
  19. Josef Newgarden

 

Classificação de pilotos:

  1. Hélio Castroneves – 245
  2. Simon Pagenaud – 234
  3. Takuma Sato – 234
  4. Scott Dixon – 234
  5. Alexander Rossi – 190
  6. Tony Kanaan – 188
  7. Will Power – 186
  8. Josef Newgarden – 186
  9. Ed Jones – 185
  10. James Hinchcliffe – 170
  11. Max Chilton – 170
  12. Ryan Hunter-Reay – 152
  13. J. R. Hildebrand – 148
  14. Marco Andretti – 147
  15. Graham Rahal – 144
  16. Sébastien Bourdais – 136
  17. Mikhail Aleshin – 134
  18. Carlos Muñoz – 133
  19. Ed Carpenter – 105
  20. Charlis Kimball – 99
  21. Spencer Pigot – 95
  22. Juan Pablo Montoya – 93
  23. Conor Daly – 88
  24. Gabby Chaves – 53
  25. Fernando Alonso – 47
  26. Oriol Servià – 40
  27. Sebastián Saavedra – 33
  28. Pippa Mann – 32
  29. Jay Howard – 24
  30. Zach Veach – 23
  31. Sage Karam – 23
  32. James Davison – 21
  33. Jack Harvey – 17
  34. Buddy Lazier – 14

    

Classificação de construtores:

  1. Honda – 565
  2. Chevrolet – 547

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar