Ganhador.com

Futebol: Podcast

A 10ª rodada do Brasileirão trouxe como resultados o Corinthias líder isolado, Palmeiras e Flamengo no G-4 e o São Paulo tropeçando em casa (de novo)

Tratado como uma “final” do momento atual do Campeonato Brasileiro, o duelo entre os líderes Grêmio e Corinthians, ontem em Porto Alegre, entregou tudo o que vinha prometendo desde a última quinta-feira – e um pouco mais. Preocupados em jogar bola, as duas equipes que seguiram fiéis aos seus estilos de jogo – os donos da casa altamente ofensivos e os visitantes encolhidos, esperando o momento de dar o bote fatal –, fizeram um primeiro tempo movimentado e com algumas excelentes oportunidades.

E o segundo tempo seguia no mesmo embalo até que Paulo Roberto – sim, aquele mesmo que deu sustos quando improvisado na lateral-direita – puxou um contra-ataque no meio-campo, cruzou na entrada da área do Grêmio e, na furada de Jô, Jadson ficou livre para fuzilar por entre as pernas do goleiro Marcelo Gröhe: Grêmio 0 x 1 Corinthians. Com a vantagem no placar, o Timão fez aquilo que sempre faz – sem o menor pudor, diga-se: encolheu-se como time pequeno em seu campo de defesa e passou o restante de jogo bloqueando as ações ofensivas do tricolor, até que aos 37 minutos, Marquinhos Gabriel, que acabara de entrar, fez um pênalti infantil em Pedro Geromel. Luan, o craque gaúcho foi pra cobrança e Cássio – que já havia feito pelo menos duas defesas difíceis e importantes – teve frieza para esperar a batida e buscou a bola no canto certo.

O lance esfriou um pouco o Grêmio, que buscou o empate até o final, mas com menos “empolgação” – o que não impediu os donos da casa de exigirem nova defesa complicada de Cássio – uma verdadeira muralha ontem.

O resultado não muda em nada o excelente trabalho de Renato Gaúcho à frente do Grêmio e deixa o Corinthians de Fábio Carille dependendo apenas de suas forças para ser campeão. Vamos ver se conseguirá manter-se com este desempenho até o final do Brasileirão. O G-4, ao que tudo indica, já está garantido.

 

São Paulo tropeça, Cruzeiro triunfa

Os dois técnicos “na berlinda” da rodada tiveram resultados bem distintos: enquanto que o Cruzeiro de Mano Menezes voltou a vencer e se aproximou de novo do G-6, o São Paulo de Rogério Ceni tropeçou em casa (de novo) e com o empate diante do Fluminense ficou perigosamente próximo no Z-4.

Com gols de Thiago Neves e Rafael Sóbis, o Cruzeiro estreou a camisa nova (muito bonita, aliás) passando por cima do inoperante Coritiba e pondo um fim à sequência negativa no Brasielirão. O resultado deixa a Raposa a 1 ponto do G-6 e amplia para 5 o número de jogos sem vitórias do Coxa, que também não marca gols há 4 partidas e segue despencando na tabela do Brasileirão.

O São Paulo recebeu o Fluminense no Morumbi e, como tem acontecido em todos os jogos do tricolor paulista, fez nos primeiros 30 minutos uma boa partida e abriu o placar com Jucilei. Depois disso, os donos da casa foram “perdendo o gás” – uma marca deste time – e o Flu cresceu no jogo e passou a ter as melhores oportunidades até que, numa cobrança de falta rápida de Scarpa, Wendell mandou uma paulada da intermediária que Renan Ribeiro aceitou. Com o 1 a 1 no placar, o tricolor carioca seguiu mais perigoso e por pouco não ampliou.

Ao término da partida, Abel Braga considerou o empate um bom resultado e Rogério Ceni ouviu as primeiras vaias dirigidas especificamente ao seu trabalho. Ainda estão “baixas”, mas se os resultados não vierem, a tendência é que se tornem insuportavelmente altas.

 

Palmeiras pegou embalo e Atlético-MG voltou a vencer

O Palmeiras estava com a Ponte Preta engasgada: desde 2013 a equipe da capital não vencia em Campinas. Pra piorar tudo, teve a eliminação alviverde na semifinal do Paulistão diante, claro, da equipe alvinegra. Mas, com uma equipe mista e contando com uma atuação brilhante de Guerra (autor de 2 gols), o Verdão voltou pra casa com os 3 pontos na mala e ainda acabou com 100% de aproveitamento da Macaca no Moisés Lucarelli neste Brasileirão.

O final do jogo ainda ficou quente: Rodrigo e Renato Cajá (Ponte) e Tchê-tchê (Palmeiras) foram expulsos. Mas isso não mudou em nada o placar que levou o Palmeiras até o G-4, depois de 3 vitórias seguidas, e derrubou a Ponte para a 11ª posição.

De olho na partida de meio de semana pela Libertadores, o técnico Roger Machado levou um  Atlético-MG reserva até a Arena Condá e, sem jogar bem, impôs mais uma derrota à Chapecoense (a terceira em seguida). Ao final do jogo, a equipe da casa foi bastante vaiada e o, até então, bom trabalho de Vagner Mancini passou a ser duramente criticado.

O resultado tira o Galo do Z-4 (14ª posição) e derruba a Chape para o 13º lugar na tabela – à frente dos mineiros nos critérios de desempate.

 

Flamengo e Vasco confirmam o favoritismo

Os dois clubes cariocas confirmaram seus favoritismos e venceram seus duelos. Em um jogo ruim de doer que roubou pouco mais de 90 minutos da vida dos pobres coitados que se aventuraram a seguir prestando atenção na matinê do Brasileirão, o Vasco contou com o talento de Nenê na bola parada para triunfar sobre o Atlético-GO em São Januário. E só. O jogo foi ruim demais e não dá pra falar muita coisa.

Como também não dá pra falar de Bahia e Flamengo – outro jogo ruim. Com um jogador a mais desde os 30 minutos do primeiro tempo, o rubro-negro não soube se impôr na Fonte Nova e, apesar da melhor qualidade de seu elenco, voltou para o Rio com os 3 pontos e um magro 1 a 0 na mala (gol de Berrío). Foi o bastante para chegar ao G-4 e manter o clima sereno pros lados da Gávea – mas um time que tem Diego, Everton Ribeiro e Guerrero, pode – e deve – jogar muito mais que isso.

Com o resultado, o Bahia completa 5 jogos sem vitórias (4 derrotas e 1 empate) e chega com pompa e elegância no Z-4. Agora, o truque é sair de lá.

 

Atlético-PR segue se recuperando e Santos perde em casa

Depois de começar atrás no placar, o Atlético-PR respirou fundo, se reorganizou e passou por cima do Vitória como se fosse um trator: 4 a 1 no Couto Pereira. Depois de um início de campeonato bem ruim, o tricolor paranaense parece ter encontrado seu ponto de equilíbrio e com a terceira vitória em seguida, sai do Z-4 e assume a 12ª posição na tabela. Com a derrota – a segunda nos últimos 5 jogos –, o Vitória segue no rebaixamento com apenas 8 pontos.

Atuando no lugar do suspenso David Braz, o zagueiro Noguera, do Santos, vacilou e entregou para o atacante Osvaldo o gol que selou a vitória do Sport – a primeira como visitante – na noite de sábado. Bem armado com 2 linhas de 4 bem compactas, o time do “profexô” Luxemburgo não deu chances para os comandados de Levir Culpi que viu chegar ao fim a série invicta do Peixe – eram 4 jogos sem derrotas. O resultado tirou o alvinegro do G-4 e colocou-o no G-6. Nada para se desesperar. Já o Sport conquista os primeiros 3 pontos fora de casa e, com 12 pontos, dá uma escapada de leve do Z-4.

 

Encerrando

Botafogo e Avaí fazem hoje o jogo que encerra a 10ª rodada do Brasileirão, à partir das 20 horas no Engenhão.

 

Todos os resultados

E a 10ª rodada ficou assim:

  • Santos 0 x 1 Sport
  • Vasco 1 x 0 Atlético-GO
  • São Paulo 1 x 1 Fluminense
  • Cruzeiro 2 x 0 Coritiba
  • Atlético-PR 4 x 1 Vitória
  • Grêmio 0 x 1 Corinthians
  • Ponte Preta 1 x 2 Palmeiras
  • Bahia 0 x 1 Flamengo
  • Chapecoense 0 x 1 Atlético-MG
  • Botafogo x Avaí encerram hoje a rodada

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: “Quarta força” no topo? | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar