Ganhador.com

Boxe

“Vovô” Hopkins é favorito a manter título contra Smith Jr.; Confira os prognósticos da luta

Foto: Drew Hallowell/Getty Images

Já na disputa entre os pesos médios, Usyk leva vantagem nos números sobre McHunu

Duas lutas envolvendo disputas por cinturão movimentam o sábado de boxe no Forum de Inglewood, na Califórnia (EUA). A principal traz o embate entre o lendário (e interminável) norte-americano Bernard Hopkins, de 51 anos, que colocará o cinturão dos médio-pesados da Federação Internacional de Boxe (FIB) contra o compatriota Joe Smith Jr. Já o combate preliminar conta com o duelo entre Oleksandr Usyk e Thabiso McHunu, na categoria dos pesos médios.

 

POR QUE HOPKINS É CONHECIDO COMO “O ALIEN”?

Ele já entrou para a história do boxe ao se tornar o pugilista mais velho a conquistar um título – contra Jean Pascal, do Canadá -, que lhe rendeu o cinturão do Conselho Mundial de Boxe (CMB). Com 46 anos e 126 dias, Hopkins superou o recorde de George Foreman, que havia sido campeão com 46 anos e 102 dias, ao derrotar o alemão Axel Schulz, no dia 22 de abril de 1995.

E mesmo cinco anos depois, o lutador da Filadélfia, assim como o personagem Rocky Balboa, boxeador criado pelo ator e diretor Sylvester Stallone, que deu vida ao personagem em sete filmes, ainda é muito competitivo. Mas há fortes rumores de que Bernard Hopkins fará sua última luta na carreira neste fim de semana. É a chance perfeita para o campeão terminar no auge e encerrar uma trajetória quase impossível de ser superada. Por esses e outros motivos, ficou conhecido como “O Alien” – apelido mais que apropriado.

Para o confronto contra Smith Jr., ranqueado em três representações –2º no Conselho Mundial de Boxe, 5º na Associação Mundial de Boxe e 12º na Organização Mundial de Boxe –, o veterano pugilista é apontado como favorito, quando a vitória geraria o pagamento de R$ 1,40 sobre cada real, enquanto o triunfo do desafiante renderia o prêmio de R$ 3,00 por R$ 1.

Mas para quem nunca ouviu falar no “vovô” Hopkins, que motivos seriam plausíveis para confiar que um atleta de 51 anos irá superar outro de 27 anos, com quase a metade da idade? Primeiro, é importante salientar os pontos fracos do desafiante, como o fato de ele poder ser considerado um lutador ainda verde quando o assunto em pauta é conquista de cinturões. Aliás, o currículo de Smith traz apenas duelos contra boxeadores do segundo e terceiro escalões. E este, talvez, seja o motivo de sua escalação – o que daria uma maior chance de uma despedida digna ao campeão.

Porém, é muito importante lembrar, também, que Bernard Hopkins não pisa em um ringue há dois anos – desde a derrota em novembro de 2014 (em decisão unânime, após 12 rounds) contra o russo Sergey Kovalev, um dos maiores boxeadores da atualidade. Tanto tempo de inatividade somado ao peso dos anos pode ter que efeito sobre a carcaça do Alien?

Logo, podemos concluir que a estratégia de Hopkins seria mais eficiente ao tentar resolver a luta em, no máximo, três assaltos – palpite que proporcionaria a valorização das aplicações em 1000%. No caso de Joe Smith Jr., as chances aumentam se ele alongar a disputa, que, se passar dos dez rounds, fará com que o investidor tenha 350% de retorno; ou 433%, se preferir optar pelo triunfo por meio de uma decisão técnica. Independentemente do resultado, Hopkins merece todas as homenagens no Forum.

 

OLEKSANDR USYK X THABISO MCHUNU

Antes do combate principal, o ucraniano Oleksandr Usyk e o sul-africano Thabiso McHunu se enfrentarão na disputa do cinturão dos pesos médios pela Organização Mundial de Boxe (OMB). E as bolsas de apostas têm se posicionado em favor de Usyk, campeão olímpico em Londres 2012 e que veio a se profissionalizar no ano seguinte. A aposta no ucraniano vale R$ 1,03 por R$ 1, contra o prêmio de R$ 11/R$ 1, na vitória de McHunu.

Pelas próprias cifras, é possível compreender que temos uma barbada à vista. Logo, para obter melhores lucros, é importante aplicar valores mais substanciais ou optar por investir em uma vitória por nocaute, que traz a valorização de 44%, ou também na opção de prever que Oleksandr Usyk ganharia o confronto entre o primeiro e o terceiro round, o que faria com que os aportes fossem elevados em 950% – modalidade bem mais atrativa.

Quanto ao sul-africano, os movimentos mais rentáveis são o triunfo por decisão técnica, cotado em R$ 26/R$ 1, se McHunu aguentar firme e souber explorar o ímpeto de Usyk; ou com vitória no fim do combate, que representaria a margem de resgate de astronômicos – mas não impossíveis – 1700%.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar