Ganhador.com

Fórmula 1

Vitória de Rosberg garante campeonato antecipado à Mercedes

Nico Rosberg

A fase do alemão Nico Rosberg é tão, mas tão boa que hoje ele consegue estar em dois lugares ao mesmo tempo: nas nuvens e voando baixo. O piloto da Mercedes venceu neste domingo o GP do Japão, disputado no tradicional circuito de Suzuka, e contou com o terceiro lugar do companheiro Lewis Hamilton para abrir 33 pontos de vantagem na liderança do Mundial de Pilotos.

Rosberg nem precisa mais vencer nesta temporada para ser campeão. Uma combinação com segundos e terceiros lugares já vai ser suficiente para que ele fique com a primeira taça da sua carreira na F-1 e coloque uma pausa no domínio de Hamilton, campeão nos últimos dois anos.
Largando na pole-position, Rosberg só saiu da liderança para parar nos boxes. Sua vitória sem sustos pagou 275% de lucro. Ou seja, um rendimento de R$ 2,75 a cada R$ 1,00 apostado, segundo os números do Oddsshark.com/br que previa favoritismo de Hamilton para a vitória no Japão. A primeira colocação do inglês devolveria R$ 2,25.
Nas cotações vinham depois o australiano Daniel Ricciardo (R$ 7,00), vencedor na Malásia, seu companheiro de Red Bull Max Verstappen (R$ 8,00), e a dupla da Ferrari formada pelo alemão Sebastian Vettel (R$ 23,00) e o finlandês Kimi Raikkonen (R$ 28,00).

 

Palco digno

Como sempre ocorre em Suzuka, o GP do Japão foi intenso e propício a pilotagens brilhantes. O próprio Hamilton foi muito bem, ressurgindo da má largada, quando caiu para oitavo, até chegar à zona de pódio, colocação que ofereceu um pouco mais de peso às suas chances de título.
Na primeira parte da prova, depois dos pit stops dos adversários, Hamilton apareceu em quarto já na volta 16. Caiu para sétimo depois da sua parada, mas logo foi para cima de Ricciardo, Massa e Bottas para tentar retomar o quarto lugar.

Na segunda janela de “pit stops”, ao redor da volta 30, Vettel então assumiu a liderança, com Hamilton em segundo e, atrás deles, Rosberg e Verstappen, que já haviam feito suas paradas.

Lewis foi para os boxes na 34ª volta e acelerou forte assim que voltou à pista. Começava ali o grande show do GP do Japão. Vettel parou na volta seguinte e retornou à pista atrás do inglês da Mercedes, que assumia assim o terceiro lugar e partia para cima de Verstappen, que estava cerca de 5s0 à frente.

Hamilton encostou e deu sinais de que reduziria a distância a ponto de abrir a asa móvel e realizar a ultrapassagem, mas o holandês da Red Bull mudou de estratégia. Max passou a guiar de maneira que impedia a chegada de Lewis. A estratégia de Verstappen era contornar a última chicane de maneira a dificultar a chegada de Hamilton na reta principal, e a tática funcionou.

Mas antes do final, todos os que acompanhavam a prova tiveram uma grande surpresa. Verstappen se defendeu na chicane mudando a trajetória de seu Red Bull já durante a freada. A guinada assustou Hamilton, que precisou sair da pista para evitar a batida. A agressividade de Verstappen e a queixa de Hamilton depois da corrida levantaram a hipótese de o inglês da Mercedes herdar a segunda posição devido à conduta perigosa do holandês, mas os comissários de prova resolveram manter a ordem final para alegria de Verstappen e, claro, de Rosberg, que viu sua distância para Hamilton no campeonato aumentar ainda mais.

A virada de Rosberg contra Hamilton nas últimas provas já o coloca também nas apostas como o grande favorito ao título mundial. O título do alemão vai pagar R$ 1,16 a cada R$ 1,00 apostado. A improvável taça de Hamilton vai render R$ 4,50 a cada R$ 1,00 investido.

O campeonato que já está mesmo definido é o de Construtores. Com quatro provas de antecedência, a Mercedes conquistou matematicamente seu terceiro título entre as equipes.

Depois do trio Rosberg, Verstappen e Hamilton, fecharam a zona de pontos em Suzuka os sete seguintes pilotos: Vettel, Raikkonen, Ricciardo, Pérez, Hülkenberg, Massa e Bottas. Rosberg foi a 23 vitórias na carreira, empatando com o brasileiro Nelson Piquet neste item das estatísticas. Como curiosidade, vale ressaltar que o pai de Nico, Keke Rosberg, foi um grande rival de Piquet na Fórmula 1 dos anos 80.

 

Confira as quatro provas que restam para o fim da temporada 2016:

  • 23 de outubro – GP dos EUA, em Austin
  • 30 de outubro – GP do México, na Cidade do México
  • 13 de novembro – GP do Brasil, em Interlagos
  • 27 de novembro – GP de Abu Dhabi, em Yas Marina

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar