UFC

St-Pierre aceitou a pior luta de sua vida

UFC Georges St-Pierre

Georges Saint Pierre flerta com o retorno ao MMA desde meses após anunciar a interrupção de sua carreira, em dezembro de 2013. O astro do UFC declarou que estava deixando o esporte de lado devido à então pressão de ser o campeão da organização por tanto tempo, além de precisar lidar com problemas pessoais. O tempo passou, as especulações foram aumentando e quase três anos depois, quando o retorno ao octógono parecia estar próximo… Em entrevista ao “The MMA Hour”, ele divulgou que não chegou a um acordo com o Ultimate. Disse que, segundo seu advogado, conseguiu se tornar um “free agent”, livre para negociar contratos fora do UFC. Para completar, a organização respondeu e negou que o vínculo com o canadense tenha acabado. Resultado? A luta será no tribunal.

St-Pierre garante que quer voltar a lutar, se diz “no auge de sua forma” e confiante o suficiente para encarar os melhores da atualidade. Sim, seria mais fácil chegar a um acordo com o UFC, voltar a lutar para seus fãs e trabalhar para um retorno triunfal. Mas ele sabe seu valor e não vai aceitar qualquer contrato. Segundo GSP, a negociação, que não era simples, foi congelada quando os novos donos do UFC assumiram a direção da companhia, em julho. Chateado, ele procurou um advogado especialista no caso e garante que agora está livre do Ultimate. Georges sequer confirmou que volta a lutar mesmo diante da “liberdade”. Pediu tempo para colocar a cabeça no lugar. Ah, essa cabeça…

Três anos depois de abdicar do cinturão dos meio-médios do UFC, o canadense afirmou que o processo de cerca de oito meses para chegar a um acordo com o UFC foi suficiente para fazê-lo precisar de um tempo para colocar a cabeça no lugar após a decepção. Pois bem. Ele que aguarde o que está por vir nos próximos meses, e que tenha a cabeça no lugar para lidar com uma possível guerra nos tribunais. Isso não costuma ser simples.

O caso é até um pouco parecido com o de José Aldo, que anunciou sua aposentadoria e pediu desligamento do UFC recentemente. A organização sabe que, caso livre o atleta de seu contrato, o mesmo pode acabar lutando no evento concorrente. E isso seria péssimo para qualquer empresa. O que eles ganham com isso? Nada! Como evento determinado a dominar o mercado do MMA, o UFC provavelmente vai lutar até onde puder para prender St-Pierre ao contrato e se certificar de que ele não acabará em outra franquia. Ou, em um mundo perfeito, ambas as partes entrarão em acordo e, quem sabe, Georges volte atrás e pise no octógono mais uma vez. Se a equipe do ex-campeão conseguir fazer valer sua vontade e encontrar uma brecha no contrato que o libere sem a aceitação do UFC, terá realizado uma proeza, algo raro de se ver.

Até tudo se resolver, St-Pierre terá um desafio complicado. A pessoa com a qual ele tinha mais facilidade para negociar era Lorenzo Fertitta. Porém, com a compra do Ultimate pela grupo WME-IMG, Lorenzo perdeu o título de presidente da franquia e saiu de cena. Agora, Georges tem de negociar com Dana White, com quem sua relação não é das melhores.

Duro, perigoso e poderoso. O UFC é o pior adversário possível para Georges Saint Pierre enfrentar nesse momento da carreira. Mas, pra quem sempre se mostrou um atleta determinado a vencer… Nada é impossível.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.