Ganhador.com

Tênis

Murray e Djokovic, no masculino, e Serena Williams, entre as mulheres, lideram cotações para o Australian Open 2017

Foto: Clive Brunskill/Getty Images

Torneio que abre a temporada dos Grand Slams ainda traz Wawrinka, del Potro e Federer como potenciais campeões, além da alemã Angelique Kerber, atual detentora do título no feminino

Os fãs do tênis já estão cheios de expectativa para o primeiro torneio de Grand Slam de 2017, o Australian Open, que reunirá as maiores estrelas do esporte, prontas para duelarem rumo ao título nas quadras de piso duro do complexo de Melbourne Park, que conta até com uma arena com teto retrátil – para que os atletas não sofram tanto com o rigoroso verão da Oceania, já que a competição acontecerá entre os dias 16 e 29 de janeiro. Abaixo, apresentaremos os prognósticos das disputas entre homens e mulheres, com a chancela do Oddsshark.com/br.

 

ANDY MURRAY

Eis o grande tenista de 2016. E não é à toa que o inglês Andy Murray, de 29 anos, aparece como o líder do ranking mundial (simples), em uma temporada que teve como ponto alto o título no World Tour Finals – torneio disputado, anualmente, no fim da temporada e que reúne os oito jogadores melhores ranqueados na ATP – em decisão contra o croata Novak Djokovic, nº 2 do mundo.

Outras grande façanhas, este ano, foram as conquistas em Wimbledon, o ouro olímpico na Rio 2016, sem falar no duplo vice-campeonato de Roland Garros e do próprio Australian Open, ambas perdidas para Djokovic. Mas como Murray se saiu melhor no desfecho deste ano e ostenta a liderança da lista dos melhores do planeta, ele é o principal favorito a faturar, finalmente, o Grand Slam australiano, do qual ficou em segundo em cinco ocasiões (2010, 2011, 2013, 2015 e 2016). O palpite no inglês vale o pagamento de R$ 2,50 sobre cada real.

 

NOVAK DJOKOVIC

Mas não será nem um pouco fácil para Murray vencer o Australian Open pela primeira vez. Afinal, o grande Djoko quer recuperar seu lugar no topo do ranking da ATP com o título nas quadras duras de Melbourne. Diferente do tenista inglês, o croata costuma se dar muito bem na terra dos cangurus, já que faturou o torneio em seis ocasiões: 2008, 2011, 2012, 2013, 2015 e 2016. Vale que ressaltar que, em cinco decisões, ele bateu, justamente, Andy Murray. Já fica aí a dica de que Novak Djokovic, pelo menos na Austrália, não sabe o que é perder para o atual número 1 do mundo.

E ele também teve um 2016 muito sortido, em termos de canecos, quando é importante ressaltar o título em Roland Garros. Advinha quem foi o vice? É, foi Murray outra vez. O croata ainda chegou à final do US Open, mas acabou batido pelo suíço Stanislas Wawrinka. Além de sua inquestionável capacidade como tenista, a aposta em Djokovic tem como maior apelo o histórico supervitorioso em Melbourne Park. Sendo assim, a margem de resgate na consagração do número 2 da ATP é de 263%.

 

OUTROS POSTULANTES AO TÍTULO ENTRE OS HOMENS

Na sequência, temos três grandes atletas bem cotados para ergueram o belo troféu do Australian Open no dia 29 de janeiro de 2017. O primeiro do trio só poderia ser o número três do ranking da ATP, Stanislas Wawrinka (Suíça), que faturou o cobiçado US Open, este ano, e faria os investidores obterem o retorno de R$ 11,50 por R$ 1, com a conquista do primeiro Grand Slam de 2017.

Depois, temos o argentino Juan Martín del Potro, quarto do mundo, e que foi prata na última Olimpíada, com a cota de R$ 15/R$ 1. Por fim, a lenda Roger Federer, também suíço, e disposto a voltar aos seus tempos de glória, mesmo aos 35 anos. Vale lembrar que Federer é o maior campeão de Grand Slams, em todos os tempos, com 17 taças, e o palpite nele vale a recompensa de R$ 16,50/R$ 1.

 

SERENA WILLIAMS NAS CABEÇAS

O que falar de uma tenista que ocupou o primeiro lugar no ranking da ATP por três consecutivos, além de ser a maior campeã de Grand Slams na era aberta, ao lado da alemã Steffi Graf, com 22 troféus? Esses são alguns predicados da magistral Serena Williams, ainda no auge, mesmo aos 35 anos – atualmente, é a nº 2 do mundo. Tetra no Australian Open (2005, 2007, 2009, 2010), a americana é favorita ao título, em 2017, com o pagamento de R$ 2,88 sobre cada real.

À sombra de Williams, aparece a atual campeã do torneio australiano, a alemã Angelique Kerber, líder da lista da ATP, desde setembro deste ano, e que ainda faturou o US Open e foi vice, em Wimbledon, em 2016, sem falar na prata da Rio 2016. Trata-se de uma grande esportista e que fará de tudo para assegurar o bi, que traria, aos apostadores, a margem de lucro de 550%.

 

Outras competidoras bem cotadas:

  • Simona Halep (Romênia): R$ 8,50/R$ 1
  • Garbine Muguruza (Venezuela): R$ 10,50/R$ 1
  • Petra Kvitova (República Tcheca): R$ 13/R$ 1
  • Karolina Pliskova (República Tcheca): R$ 15,50/R$ 1
  • Madison Keys (EUA): R$ 24,25/R$ 1

 

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar