Notícias

Favoritismo americano segue incontestável nas semis do basquete olímpico feminino

Parece apenas uma questão de tempo para que o basquete feminino dos Estados Unidos ganhe a sua sexta medalha de ouro consecutiva em Jogos Olímpicos. Após uma primeira fase brilhante onde venceu a maioria de seus jogos com uma diferença superior a quarenta pontos diante das rivais, as norte-americanas também não tiveram grandes dificuldades para passar pelo surpreendente Japão nas quartas de finais com um placar de 110 a 64. As cinco vezes campeãs de forma seguida seguem como amplas favoritas para subir no lugar mais alto do pódio e agora têm pela frente a França, na quinta-feira, às 19h (horário de Brasília).

De acordo com o site ‘OddsShark.com/br’, o favoritismo norte-americano chega a ser tão grande que se a taça for realmente levantada pelos Estados Unidos, o retorno de um investidor que apostou nesse desfecho para o torneio de basquete feminino será de apenas RS 1,03 para cada real investido. É um tipo de negócio considerado extremamente conservador.

Do outro lado da quadra nesta semifinal os Estados Unidos terão a França, mesma equipe que disputou a medalha de ouro com as norte-americanas quatro anos atrás, em Londres. Naquela ocasião, as francesas foram massacradas com um resultado de 86 a 50 e ficaram apenas com a segunda colocação.

As europeias ficaram em segundo lugar no Grupo A e passaram pelo Canadá nas quartas por um placar justo de 68 a 63.  Apoiadas pelo trio Endy Miyem, Valeriane Ayayi e Olivia Epoupa, a França perdeu apenas para a já eliminada Austrália até aqui nos Jogos Olímpicos. Apesar disso, será extremamente difícil contar com um triunfo das francesas. Caso elas cheguem à final passando pela extraordinária equipe dos Estados Unidos e conquistem o ouro, o investidor que arriscou colocar um dinheiro nessa enorme zebra sairá com um sorriso de orelha a orelha. Isso porque o ouro para França rende R$ 41 a cada real investido, uma taxa de retorno absolutamente fantástica.

Sérvia e Espanha brigam do outro lado da semifinal

Não muito longe da situação da França está a Sérvia. Após ter feito uma primeira fase fraca (foram três derrotas e apenas duas vitórias, sendo esses dois triunfos nas últimas duas partidas), o time europeu se classificou apenas na quarta colocação do Grupo B e foi medir forças logo com a Austrália, que vinha com campanha perfeita em cinco jogos e era a mais forte candidata a barrar os Estados Unidos.

Mas nada disso entra em quadra e a Sérvia conquistou uma vitória espetacular diante das australianas pelo placar de 73 a 71. Com direito a 24 pontos de Ana Dabovic, as servas conseguiram inibir a pivô de 2,03m da equipe rival, Liz Cambage, e eliminaram uma das principais forças do torneio feminino de basquete nas Olimpíadas.

Mesmo encorajadas pelo triunfo inesperado, a Sérvia é considerada a segunda equipe com menores chances de conquistar o torneio. Se isso acontecer, o investidor que colocou um singelo real na ideia de ver as servas campeãs vibrará enlouquecidamente com cada ponto ao receber de volta 26 reais. A proporção se torna ainda maior se você imaginar que R$ 100 podem trazer R$ 2.600,00. Dá para fazer uma festinha bacana, não?

Acontece que essa taxa de retorno tão elevada não é por um acaso, claro. A Sérvia não terá vida fácil pela frente. Antes mesmo de poder sonhar com uma final diante das americanas, as europeias ainda devem passar pela Espanha, que estará do outro lado da quadra e possui um time muito bem organizado.

Ainda de acordo com o site ‘OddsShark.com/br’, se excluirmos os Estados Unidos, a Espanha é a seleção que tem mais chances de conquistar a medalha de ouro dentre as quatro seleções que sobraram. A taxa de retorno financeiro das espanholas fica na casa dos R$ 17 para cada real apostado. Obviamente, ainda é um índice excelente, mas bem abaixo dos de Sérvia e França.

Na primeira fase, a equipe espanhola perdeu apenas para os Estados Unidos. É verdade que não foi uma experiência nada agradável, já que as norte-americanas colocaram simplesmente 40 pontos de vantagem em um 103 a 63 bastante indigesto para as europeias, mas esse foi seu único revés na competição.

Nas quartas de finais, a vitória espanhola diante da seleção da Turquia veio no último segundo com uma cesta salvadora de Anna Cruz, cestinha do time vencedor com 14 pontos. O triunfo foi por apenas dois pontos (64 a 62). O duelo entre Espanha e Sérvia acontecerá na quinta-feira (18), às 15h (horário de Brasília).

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.