Ganhador.com

Notícias

Equilíbrio e investimentos em surpresas marcam ciclismo de estrada no Rio

A primeira medalha da Rio-2016 tem hora e local para sair. Será a partir das 9h30 (horário de Brasília) deste sábado (6) com o ciclismo de estrada masculino, que vai começar e terminar no Forte de Copacabana. A prova terá um total de 241 quilômetros e 144 inscritos. E promete ser das mais imprevisíveis da história dos Jogos Olímpicos.

Prova do equilíbrio a ser visto sobre as duas rodas nas redondezas do Rio de Janeiro, o mais bem cotado de antemão é o espanhol Alejandro Valverde, que paga US$ 5,00 para cada US$ 1,00 apostado, segundo as estatísticas do Oddsshark.com/br. O retorno equivale a 400%, o que em um investimento de US$ 100, por exemplo, renderia US$ 400.

Ciclista apontado como mais completo das últimas temporadas, Valverde tem 36 anos e um currículo recheado de conquistas em seu país e em seu continente, mas convém ponderar que suas grandes vitórias estão cada vez mais no passado. A Espanha sequer conquistou medalha no ciclismo também na última Olimpíada, em Londres, abrindo espaço para ciclistas de outros países que possam fazem a festa de investidores atentos aos resultados recentes.

Aparecem bem posicionados nas cotações levantadas pelo Oddsshark.com/br também os seguintes ciclistas: o italiano Vincenzo Nibali (US$ 8,00), o inglês Chris Froome (US$ 9,00), o francês Julian Alaphilippe (US$ 13,00), o espanhol Joaquim Rodriguez (US$ 14,00), o irlandês Daniel Martin (US$ 17,00) e o francês Romain Bardet (US$ 17,00). Vale ressaltar que os retornos são medidos sempre a cada dólar investido.

Em Londres-2012, a corrida durou 5h47min e foi vencida pelo ucraniano Alexander Vinokourov, do Cazaquistão. Vinokourov era uma surpresa. E uma inspiração a novas apostas inusitadas.

Dos seis citados, o espanhol Rodriguez (US$ 14,00) é o que demonstra mais condições de ficar com o ouro e pode ser uma boa opção de investimento. Aos 37 anos, aprendeu a dosar o ritmo forte que o fez ganhar etapas da Volta da França com características técnicas similares às que serão encontradas no Rio. No Odds Shark, por exemplo, uma vitória de Rodriguez geraria uma bolada ao investidor. Com US$ 100 investidos, o retorno seria de US$ 1.300,00.

Quem também merece atenção especial é o francês Romain Bardet (US$ 17,00). Entre os inscritos, foi o que terminou na melhor posição no evento-teste realizado em agosto do ano passado. Ficou em terceiro. Já os dois melhores nem vieram ao Rio.

Outro item a ser considerado é a topografia que favorece ciclistas escaladores. A combinação de subidas íngremes e descidas técnicas fará que o calor seja ainda mais sentido – oportunidade perfeita para ciclistas latinos acostumados às altas temperaturas nesta fase do ano.

Em Londres, por exemplo, um colombiano, Rigoberto Uran, ficou com a prata. Ele aparece com uma cotação de US$ 26,00 em caso de ouro neste sábado no Rio. Trata-se de uma boa aposta. Os treinos que fez de abril para cá mostram que seu ritmo é até mais forte que o de Londres, quando tinha 25 anos. Hoje está com 29, idade próxima ao auge da maioria dos ciclistas: 33 anos.

Uran chega ao Rio fisicamente e mentalmente apto para aquela que seria a maior façanha da sua carreira e uma das maiores alegrias aos investidores que teriam um expressivo lucro com seu resultado nesta Olimpíada.

Os candidatos da casa são os brasileiros Murilo Fischer e Kléber Ramos, ambos zebras sem chances expressivas. Por isso, suas cotações beiram o surreal. Oferecem cerca de US$ 300,00 de retorno a cada dólar investido em uma hipotética medalha de ouro.

Domínio europeu

A edição feminina do ciclismo de estrada vai ocorrer no dia seguinte, domingo, com largada prevista para ocorrer às 12h30 e percurso de 141 quilômetros.

A favorita é a holandesa Anna Van Der Breggen, de 26 anos, disparada a ciclista de melhor resultado nas competições europeias. Ela paga US$ 4,50 a cada US$ 1,00 investido, ainda de acordo com o Oddsshark.com/br.

A inglesa Elizabeth ‘Lizzie’ Armitstead (US$ 5,00), a holandesa Marianne Vos (US$ 5,50), a americana Megan Guarnier (US$ 6,50), a sueca Emma Johansson (US$ 10,00) e a italiana Elisa Longo Borghini (US$ 13,00) são as que vêm a seguir.

Johansson e Borghini valem atenção especial. A sueca desde cedo trabalhou seu ponto fraco, as provas disputadas com forte calor, e hoje é das mais empenhadas em competições do tipo. É aposta especialmente promissora caso o típico sol carioca do meio dia apareça para desafiá-la.

A italiana Borghini é famosa na Europa por ser a ciclista mais raçuda do momento. Se bem dosada, a sua explosão típica dos 24 anos pode fazer a diferença a seu favor.

As brasileiras não aparecem com boas chances. Entre Clemilda Fernandes, do Mato Grosso do Sul, e Flávia Oliveira, de Niterói, a segunda é a que tem cotação um pouco melhor – R$ 251 de retorno a cada R$ 1 apostado.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar