Ganhador.com

UFC

Drama de Jon Jones esconde grandeza incalculável no MMA

Foto: Ethan Miller/Getty Images

Jon Jones não luta desde abril desse ano. Seu retorno não foi dos melhores, mas ainda assim terminou como de costume, com uma vitória contra um esforçado Ovince St. Preux. O problema é que como se já não bastasse a espera pelo retorno após se envolver nos primeiros casos de doping, em 2015, o americano fora flagrado mais uma vez por doping e agora só poderá voltar ao octógono em julho de 2017. Mas antes de seu retorno uma questão surge após tantas polêmicas. Será que um dia veremos Jon Jones em performance no máximo de sua forma?

A dúvida surge por alguns motivos. O primeiro deles é que pouco antes de voltar a lutar, após o flagra por uso de cocaína, Jones confessou que era alcoólatra. Além do álcool, o ex-campeão dos meio-pesados do UFC conviveu tempos sob o uso de maconha também. Isso tudo enquanto já era campeão do UFC. Jovem, talentoso e único. Se Jones conseguia atropelar seus rivais e fazê-los parecer iniciantes dentro do octógono aliando a preparação para uma luta de MMA em alto nível ao consumo de drogas, do que ele seria capaz se seguisse à risca as condutas de um atleta exemplar dentro e fora do octógono?

Mais impressionante ainda foi a declaração de Jon Jones ao programa “The Joe Rogan Experience”, nesta semana. O americano revelou que tinha como costume “encher a cara até apagar” na semana anterior a uma defesa de cinturão. Uma semana antes de defender o cinturão do UFC! É algo inacreditável. Primeiro porque é uma atitude reprovável para qualquer atleta. Mais reprovável ainda para um lutador que era tido como exemplo ao redor do mundo como campeão dominante. Pra completar, o risco que ele se colocava de perder tudo o que conquistou por conta dessas festas é algo estúpido. Ele ainda explicou que usava tais devaneios para usar como desculpa em caso de derrota. Vai entender…

Não vale à pena passar por nada disso quando se é um campeão do UFC. O problema é fazer um jovem que conquistou o mundo aos 23 anos entender que existem limites a serem respeitados. Com o mundo a seus pés, deve ser difícil controlar certas tentações. Diversos outros astros do esporte já passaram por isso. Acontece, infelizmente. Mas exatamente por ainda ser jovem – hoje ele tem 29 anos – ainda há tempo de recuperar o tempo perdido.

Hoje, Jones garante que se livrou dos vícios e tudo aquilo que lhe fazia mal. Longe das drogas, do álcool e com a meta de recuperar seu título, ele só poderá retomar a missão a partir de julho do próximo ano. Até lá, ele segue sendo polêmico nas redes sociais, trocando provocações com rivais, fãs, e longe de ser um modelo de atleta. Mas certamente nada disso importará se quando voltar ele mostrar que ainda é o lutador temido que sempre foi dentro do octógono. Afinal, se nem ele sabe, é claro que todos nós sonhamos com o dia em que descobriremos juntos: será que um dia veremos o máximo que Jon Jones pode oferecer ao mundo como lutador de MMA?

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar