Ganhador.com

UFC

A polêmica derrota de Michel Pereira contra Diego Sanchez no #UFC

Michel Pereira enfrentou Diego Sanchez pelo UFC Rio Rancho
Foto: Divulgação / UFC

Depois de ser fortemente criticado pelo excesso de firulas, piruetas, cambalhotas, acrobacias e afins na última luta, quando foi derrotado na decisão por Tristan Conelly, Michel Pereira prometeu não mudar seu estilo. Pois bem: ele mudou um pouco, sim. Quase na medida certa.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$600

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1000

Saque em 1-2 - Dias

Saiba como apostar no UFC

Diante de Diego Sanchez, no UFC Fight Night Rio Rancho, Michel não abriu mão dos golpes plásticos, mas foi nítida a mudança na postura. Mais cauteloso, o brasileiro dosou a energia ao longo dos três rounds e só aplicou seus golpes plásticos em momentos pontuais. Teve showtime kick, chute alto rodado, superman punch pegando impulso na grade e, claro, teve cambalhota.

Mesmo contra Sanchez, um cara que tem um bom jogo de wrestling e jiu-jitsu, Michel conseguiu se manter de pé e controlou totalmente as ações da luta. O maior mérito do brasileiro no combate foi ter mais consciência de que o show visual que ele protagoniza no octógono tem um preço. Parece que ele entendeu que se não controlar melhor o gasto de energia, ele sempre vai cansar rápido.

Ele teve mais paciência, calculou melhor a distância e apesar de alguns golpes no vazio, conectou muito bem seu boxe e encaixou pelo menos umas quatro joelhadas voadoras no rival. Aliás, incrível a facilidade do brasileiro pra aplicar joelhada voadora. Tudo bem que o Diego Sanchez tem uma altura perfeita pra engolir aquele joelho do Michel, mas ainda assim impressiona a facilidade com a qual o brasileiro consegue saltar no cage.

Segundo o UFC.com, Michel conectou 53 golpes significativos, mais do que o dobro de Diego Sanchez. O brasileiro ainda aplicou duas quedas no rival.

Tudo vinha bem, até que no terceiro round, depois de encurralar o americano, Michel acertou uma joelhada ilegal no americano quando ele tava caído. O juiz interrompeu a luta, chamou o médico e avaliou a situação do americano. A menos de dois minutos do fim, Diego Sanchez tinha duas opções: ou ele dizia que queria terminar a luta, apesar do corte que se abriu na cabeça, ou ele admitia que não tinha condições de voltar a lutar e o duelo acabava com sua vitória e a desqualificação de Michel Pereira.

A parada é que primeiro Sanchez pediu pra falar com o córner, e depois perguntou pro árbitro da luta o que aconteceria se ele não continuasse lutando. E só depois que o arbitro disse que o brasileiro seria desqualificado, o americano disse que não conseguia mais enxergar.

Resultado: Michel Pereira que tava vencendo a luta com tranquilidade por dois rounds a zero no cartão dos três juizes laterais acabou derrotado por desqualificação via golpe ilegal.

De qualquer forma, vale ressaltar que o vacilo foi do brasileiro. Paciência. Que ele tome mais cuidado da próxima vez. Ele tinha tudo pra garantir uma vitória tranquila e dominante e acabou pagando o preço, mas mesmo com a segunda derrota consecutiva, Michel Pereira voltou a lutar bem e o mais importante: parece ter aprendido com os erros da última luta. Bateu bem o peso e encontrou um meio termo onde dosou mais o gás sem abrir mão totalmente dos efeitos visuais que ja o tornaram famoso no mundo das lutas. O paraense voador tem, sim, futuro no UFC. Desde que siga evoluindo.


Coutinho
(21) 99686-9227
coutinho.encarada@gmail.com
Canal Encarada

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar