UFC

UFC 235: Jon Jones x Anthony Smith em números

Jon Jones nocauteou Alexander Gustafsson no UFC 232
Foto: Divulgação / UFC

O UFC 235, que acontece neste sábado, em Las Vegas (EUA), coloca Jon Jones de volta ao octógono pouco mais de meses depois de sua última apresentação. Diante de Anthony Smith, o campeão dos meio-pesados dispara como grande favorito na disputa de cinturão. O americano, um dos maiores nomes da história do esporte, busca a redenção após anos afastado do cage por casos de doping e quer lutar ao menos três vezes em 2019. E quando Jones luta, o mundo investe em sua luta.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Então que tal colocar na mesa alguns números do confronto entre Jones e Smith?

Aos 30 anos, Anthony Smith tem o apelido de “Lionheart” (coração de leão). O americano soma um cartel de 44 lutas e 31 vitórias, sendo 17 por nocaute e 11 por finalização. Apesar de mais jovem que Jones (30), Smith tem mais experiência competindo do que o rival. O número de vitórias por finalização ou nocaute (28) que Anthony acumula é mais do que o número de lutas da carreira de Jones (24).

Enquanto Jones soma um cartel de 23 vitórias e apenas uma derrota – esta por desqualificação, em 2009, devido a golpe ilegal contra Matt Hamill -, seu rival, Smith, tem 11 derrotas no cartel.

Um dado curioso sobre o confronto é em relação a envergadura. Anthony Smith, que tem 1,93m de alcance, tem retrospecto ótimo quando enfrenta adversários de envergadura menor. Das últimas seis vitórias no octógono, cinco foram contra atletas que tinham envergadura menor que ele. Apenas Mauricio Shogun, que tinha uma envergadura de mesmo tamanho, foi igualmente derrotado. Para comprovar a influência do fator envergadura nas lutas de Smith, basta olhar para as derrotas. Das últimas cinco derrotas da carreira de Smith, quatro delas foram contra brasileiros. Thiago Marreta, Cezar Mutante e Antônio Braga Neto pelo UFC e Roger Gracie pelo Strikeforce. O que eles têm em comum além de defenderem a mesma bandeira e já terem vencido Smith? Nenhum deles leva desvantagem na envergadura contra o americano. Tirando Marreta, que tem envergadura igual a de Smith, todos tinham envergadura maior contra Smith e venceram.

O que é um dado péssimo para Smith diante de um desafio no qual ele vai enfrentar um rival com 2,15 de envergadura. São 22cm de diferença. Segundo o UFC.com, 77% dos golpes deferidos por Smith tem a cabeça como alvo. A viagem até a cabeça de Jones é longa e pode causar danos ao entrar no raio de ação.

Quer mais dados interessantes? Jon Jones tem 56% de aproveitamento nos golpes aplicados na trocação, enquanto Smith alcança apenas 49%. O atual campeão tem uma média de 4,43 golpes significativos por minuto.

Esta será a décima terceira disputa de cinturão de Jon Jones no UFC. Ele nunca perdeu nenhuma. Foram cinco vitórias via decisão dos juízes, quatro por nocaute e três por finalização.

É bom lembrar que Anthony Smith fez toda sua carreira como peso-médio, lutando até 84kg, até que em fevereiro do ano passado, depois que foi nocauteado por Thiago Marreta, decidiu subir de peso. Virou lutador peso meio-pesado, agora atua até 93kg, e acumula três vitórias consecutivas, sendo duas por nocaute (contra Rashad Evans e Mauricio Shogun) e uma por finalização (contra Volkan Oezdemir).

Já Jon Jones, depois de ficar longo tempo afastado do octógono por conta das suspensões que recebeu pelo envolvimento em casos de doping, retornou em dezembro do ano passado, no UFC 232, quando nocauteou Alexander Gustafsson no terceiro round.

Segundo o Bodog, Jones é favorito gigante nas casas de apostas. Sua vitória rende apenas 11% de lucro, enquanto o triunfo de Smith alcança um rendimento de 525%.

Jones relatou um erro contra Gustafsson, quando eles lutaram da primeira vez e ele quase perdeu. Desde então, ele garante que leva seus rivais extremamente a sério, sejam eles grandes azarões ou não. Ele me parece sério, estudou Anthony Smith desde dias após o UFC 232. Jones é um cara de envergadura assustadora, e no retorno ao octógono contra Gustafsson lembrou ao mundo porque é um gigante do MMA. Ele segue sendo um mestre da adaptação, ataca de formas variadas, não se abala com golpes duros, é frio, estratégico e tem um arsenal interminável. Smith pode até ter poder de nocaute e estar chegando confiante para a disputa de cinturao do UFC 235, mas ainda acho que não tem o suficiente para destronar Jon Jones.

Odds para o UFC 235

Confira abaixo todos os odds do UFC 235, segundo o Bodog.

  • (R$ 1,11) Jon Jones x Anthony Smith (R$ 6,25)
  • (R$ 1,52) Tyron Woodley x Kamaru Usman  (R$ 2,55)
  • (R$ 3,20) Robbie Lawler x Ben Askren (R$ 1,35)
  • (R$ 2,15) Tecia Torres x Weili Zhang (R$ 1,69)
  • (R$ 1,57) Cody Garbrandt x Pedro Munhoz (R$ 2,45)
  • (R$ 1,40) Jeremy Stephens x Zabit Magomedsharipov (R$ 2,95)
  • (R$ 1,71) Johnny Walker x Misha Cirkunov (R$ 2,10)
  • (R$ 1,51) Alejandro Perez x Cody Stamann (R$ 2,40)
  • (R$ 3,65) Diego Sanchez x Mickey Gall (R$ 1,28)
  • (R$ 1,71) Edmen Shahbazyan x Charles Byrd (R$ 2,10)
  • (R$ 4,00) Gina Mazany x Mazy Chiasson (R$ 1,25)
  • (R$ 1,42) Marlon Vera x Frankie Saenz (R$ 2,85)
  • (R$ 1,27) Polyana Viana x Hannah Cifers (R$ 3,70)

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar