Brasileirão Série A

No balanço final, campeões estaduais não vão bem na primeira rodada do Brasileirão da Série A

O invicto caiu

Em noite mágica, Bruno Henrique conduz o Flamengo à vitória e acaba com a invencibilidade do Cruzeiro, atual campeão mineiro

FOTO: Flamengo/Reprodução

A primeira rodada do Campeonato Brasileiro chegou ao fim no domingo, dia 28, e a maioria dos campeões estaduais não começou bem e contribuiu para que as casas de apostas e até mesmo este Ganhador acreditassem em “barbadas” que não se concretizaram. Os campeões Paulista, Gaúcho, Mineiro, Catarinense e Cearense não foram bem e largaram com derrota na corrida pelo título de Campeão Brasileiro. É claro que é muito cedo para decretar verdades absolutas sobre as equipes e os reveses de Corinthians, Grêmio, Cruzeiro, Avaí e Fortaleza – muito improváveis apenas no caso dos dois primeiros – não podem ser, de maneira alguma, considerados “zebras”. Curioso mesmo é o fato de que todos os seus vices venceram na rodada de abertura, exceto pelo Internacional, vice-campeão gaúcho, que perdeu fora de casa para a Chapecoense, vice do Campeonato Catarinense. Santos, Atlético-MG e Ceará também venceram seus jogos e o Vozão, por conta do saldo de gols, é líder da competição ao lado do Palmeiras que busca o bicampeonato.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Flamengo 3 x 1 Cruzeiro

Bruno Henrique é “o cara” no Flamengo

Após mais um vacilo na Copa Libertadores no meio de semana o Flamengo recebeu o Cruzeiro no encerramento do primeiro dia da primeira rodada do Brasileirão precisando de um bom resultado para não aumentar o mal-humor da torcida. E conseguiu. Após o susto de ver a Raposa sair na frente com Pedro Rocha, o Urubu se reencontrou em campo e Bruno Henrique se tornou o nome do jogo, infernizando a defesa mineira a todo instante. Responsável pelo gol de empate e pela virada, ele também esteve no lance que terminou com a expulsão do zagueiro Murilo e, depois, na jogada que terminou no gol de Gabriel e na confirmação dos palpites deste Ganhador que davam a vitória carioca como melhor aposta. Agora, além de ser o artilheiro do Flamengo na temporada com 11 gols, Bruno Henrique é, também, o responsável direto pelo fim da invencibilidade de 22 jogos do Cruzeiro – até então, o único time invicto da Série A na temporada.

No último lance do jogo, um susto: Dedé subiu por baixo de Rodrigo Caio e atingiu seu rosto na disputa de uma bola alta. No lance – normal – o zagueiro do Flamengo levou a pior, desabou no chão e foi retirado, consciente, de ambulância do estádio. Em nota oficial na manhã de domingo, o clube da Gávea atualizou o estado de saúde do jogador através de nota oficial dizendo que:

“Rodrigo Caio recebeu alta na manhã deste domingo. O atleta passou a noite em observação no Hospital Vitória sem qualquer tipo de intercorrência. Rodrigo Caio está fora da partida contra o Internacional, na quarta-feira, e será reavaliado amanhã (segunda-feira, dia 29) pelos médicos do Flamengo. A partir daí será traçado o plano de retorno do atleta aos treinos”.

 

 

Como foram os demais jogos no sábado

São Paulo 2 x 0 Botafogo

São Paulo e Botafogo abriram oficialmente o Campeonato Brasileiro da Série A as 16 horas do último sábado, dia 27, no Morumbi. Os donos da casa não tiveram grandes dificuldades pela superar os visitantes e confirmar a dica de aposta do Ganhador que sugeria uma vitória do Tricolor do Morumbi.

Os números do jogo podem até contradizer o placar em um primeiro momento. O São Paulo teve muito menos posse de bola – 34% contra 66% com a bola em poder do Botafogo – porém, apostando em um jogo vertical e buscando o gol nos momentos em que teve o controle da partida, conseguiu passar pelo pesado alvinegro que mostrou evolução na comparação com o trabalho de Zé Ricardo mas deixa escancarado que o técnico Eduardo Barroca terá ainda um longo caminho pela frente em sua busca pela posse de bola aliada à criatividade e à ofensividade.

Pelo lado do São Paulo, Alexandre Pato fez uma (re)estreia discreta. Tchê Tchê, por outro lado, foi muito bem, participou das jogadas dos dois gols – acelerando o jogo e fazendo o passe para Antony cruzar e Everton fuzilar Gatito no primeiro tempo e, depois, no segundo, acelerando o jogo novamente e acionando Hernanes que passou para Hudson fechar o placar.

Como dissemos aqui, o São Paulo tem lenha para queimar e margem para evoluir durante o campeonato. O Botafogo por sua vez, melhorou, mas ainda vai mal das pernas e não anima a torcida.

Atlético-MG 2 x 1 Avaí

Teve emoção, teve pênalti, teve medo de novo fracasso diante da torcida e teve VAR em dois lances capitais no Horto onde Atlético-MG e Avaí fizeram suas estreias no Brasileirão 2019. O Galo confirmou a indicação de aposta do Ganhador e venceu – aliviando um pouco o ambiente conturbado do clube que ainda não confirmou quem será o técnico após a demissão de Levir Culpi e vive a ressaca da eliminação precoce na Copa Libertadores.

O primeiro tempo começou bastante truncado, com as duas equipes marcando muito – mais preocupados em não levar gol do que fazer. Pouco a pouco o Atlético-MG impôs seu jogo e passou a mandar na partida. Mas o gol só veio aos 46 minutos: Paulinho fez pênalti em Ricardo Oliveira. Fábio Santos cobrou e marcou.

O Avaí empatou no início do segundo tempo. Após consulta ao VAR o árbitro Rodolpho Toski (Fifa-PR) confirmou o gol de Brizuela. A alegria catarinense, entretanto, durou pouco: Ricardo Oliveira aproveitou boa jogada de Geuvânio e recolocou o Galo na frente aos 7 minutos. 12 depois, aos 19, Betão empatou, mas o VAR apontou toque de mão e anulou o tento – na Central do Apito, o comentarista Sandro Meira Ricci disse que houve, sim, o toque de mão no lance mas que antes a defesa atleticana cometeu pênalti (não marcado) em Betão.

O Avaí seguiu pressionando, mas não conseguiu buscar a igualdade e o Atlético-MG, no final, perdeu grande chance de ampliar com Ricardo Oliveira.

Chapecoense 2 x 0 Internacional

E o “vacilo” da primeira rodada no sábado vai para a conta do Internacional que derrubou nossas dicas de aposta – aqui – e manteve o tabu de nunca ter vencido a Chapecoense na Arena Condá na história do Campeonato Brasileiro. Foram cinco jogos e todos terminaram com derrota colorada. Debaixo muita chuva, a equipe comandada por Odair Hellmann teve dificuldades para impôr a qualidade maior de seu elenco e o jogo, muito disputado no meio-campo teve poucos lances de emoção até que aos 42 minutos, Douglas desviou cruzamento de cabeça; a bola bateu no braço do zagueiro Emerson Santos e o VAR acusou o pênalti contra o Colorado. Everaldo bateu e colocou a Chape na frente.

Na volta do segundo tempo, o Internacional pressionou a defesa do Verdão do Oeste por cerca de 14 minutos sem sucesso. O tempo foi passando e os donos da casa conseguiram se organizar, equilibrar as ações e assustar nos contra-ataques. Aos 42 minutos (de novo) Everaldo recebeu na área, girou sobre Moledo e bateu sem chances de defesa contra o gol de Marcelo Lomba: 2 a 0 e a primeira “zebra” do Campeonato Brasileiro da Série A em 2019.

 

Bahia 3 x 2 Corinthians

No domingo, Bahia impõe seu jogo e de virada derruba o Corinthians na Fonte Nova

Após passagens pouco memoráveis por Atlético-MG e Palmeiras o técnico Roger Machado parece estar disposto a dar a volta por cima com o Bahia neste Campeonato Brasileiro. E já fez a primeira vítima: o Corinthians de Fábio Carille que havia feito um grande jogo contra a Chapecoense na última quarta-feira pela Copa do Brasil e que, mais uma vez, não jogou a metade do que pode e, de virada, estreou com derrota no Brasileirão. Não devemos, é claro, esquecer dos  méritos do esquema tático do Bahia que travou o alvinegro dificultando a saída de bola e a criação de jogadas. Se deu bem quem seguiu a “dica de segurança” do Ganhador e investiu na hipótese-dupla de vitória para qualquer um dos dois times – um lucro menor, é verdade, mas ainda assim, lucro. O festival de gols entretanto nos pegou no contrapé: 5 gols ao todo que prejudicaram nossa previsão de um duelo abaixo dos 2,5 gols.

Com muita disputa no meio campo e com o Bahia apertando a saída de bola do Timão, que rodava o jogo de um lado a outro de sua defesa entre seus zagueiros mas tinha muita dificuldade para avançar pelo meio-campo, o jogo não grandes chances de gol. Em uma disputa de bola, Fernandão bateu com o supercílio na cabeça de Pedro Henrique e, com o olho bastante inchado, foi substituído ainda no primeiro tempo por Gilberto que, preso entre os zagueiros corintianos, ofereceu pouco perigo.

Pedrinho, o melhor jogador do Corinthians na partida, acertou grande chute de fora da área aos 46 minutos do primeiro tempo e colocou os visitantes à frente no placar. Mas a alegria durou pouco: na saída de bola, Arthur Caike ganhou de Pedro Henrique pelo alto (de novo!) e deixou tudo igual.

Os times voltaram para o segundo tempo querendo jogo e Moisés, em um chutaço de fora da área, quase vira aos 11 minutos. Cássio espalmou e a bola ainda bateu na trave e saiu. Claysson respondeu com perigo aos 20 e aos 24 minutos. Mas quando parecia que a equipe paulista faria valer seu jogo sobre os donos da casa, Rogério acionou Gilberto pela esquerda; ele cruzou e Artur passou por Carlos Augusto e estufou as redes. Quando o Corinthians pressionava, o Bahia achou um contra-ataque fatal: Ramires lançou, Ralf furou e Rogério tocou por cobertura, encobrindo Cássio e fazendo 3 a 1.

Na base do tudo ou nada, o Timão diminuiu com Clayson, mas de nada adiantou: o Tricolor começou o Brasileirão com o pé direito e o alvinegro, não.

 

Como foram os demais jogos no domingo

Palmeiras 4 x 0 Fortaleza

Não foi a estreia que Rogério Ceni sonhava para seu Fortaleza na Série A mas foi, sem dúvida, a estreia que o Ganhador indicou como resultado mais provável para o Palmeiras que larga bem em sua corrida pelo bicampeonato brasileiro. Superior ao time cearense desde os primeiros minutos de jogo, a vitória do Verdão começou a ser construída aos seis minutos do primeiro tempo quando Ricardo Goulart, sentindo dores no joelho direito, precisou ser substituído por Zé Rafael – o meia que não conta com grande simpatia de Felipão, mas que é adorado pela torcida. E todo este carinho foi retribuído com uma atuação de gala: foi dele o primeiro gol do jogo; o passe para Marcos Rocha fazer o segundo na etapa final; o lateral-direito acabou retribuindo com uma cobrança de lateral que achou o chute certeiro de Zé Rafael para fazer o terceiro e Bruno Henrique, aos 45 minutos, fechou a fatura. E o estrago na defesa tricolor não foi maior graças à boa atuação do goleiro Felipe Alves que evitou pelo menos outros três gols certos do Verdão.

O resultado coloca o Palmeiras na liderança do torneio, ao lado do Ceará, e Zé Rafael no coração da torcida palmeirense (e que Felipão se coce para arrumar um lugar para ele entre os 11 titulares).

Athletico-PR 4 x 1 Vasco

O Campeão Paranaense não tomou conhecimento do Vice-Campeão Carioca na tarde do último domingo, dia 28, na Arena da Baixada. O Athletico-PR manteve a regularidade do início de temporada e não deu chances para o Vasco que segue no mercado à procura de um novo técnico e não conseguiu reproduzir a boa atuação que teve contra o Santos na última quarta-feira pela Copa do Brasil (vitória por 2 a 1 que não bastou para levar o cruzmaltino à próxima fase do mata-mata). A vitória por 4 a 1 serviu também para confirmar as dicas de aposta deste Ganhador que davam como certo o triunfo do Furacão na primeira rodada do Brasileirão.

Absoluto em seu estádio, o Athletico abriu o placar com Bruno Guimarães aos dois minutos da etapa inicial. Sem tirar o pé do acelerador, o time comandado por Tiago Nunes seguiu sufocando o Vasco que esboçou equilibrar as ações em um lance claro de gol desperdiçado do Maxi Lopez. No contra-ataque, o rubro-negro ampliou com Marco Ruben e apagou de vez a chama de esperança vascaína. No segundo tempo, o Furacão abusou do direito de perder gols mas, mesmo assim, foi recompensado com o gol contra de Werley após jogada de Bruno Guimarães. Aos 40 minutos, Nikão guardou o dele e confirmou a goleada que só não foi maior porque, com a ajuda do VAR, o juiz Luiz Flávio de Oliveira voltou atrás em um pênalti que havia marcado de Pikachu em Renan Lodi. Aos 43 minutos, Bruno César fez o gol de honra dos cariocas que iniciam do Brasileirão no Z-4 e vêem os paranaenses no alto do G-4.

Grêmio 1 x 2 Santos

Um dos melhores jogos da rodada aconteceu na matinê do Brasileirão. Comandados pelos técnicos que mais prezam pelo futebol ofensivo e bem jogado em atividade no Brasil – Renato Gaúcho e Jorge Sampaoli – Grêmio e Santos fizeram um jogaço na Arena em Porto Alegre e o Peixe não apenas calou os mais de 34 mil torcedores que foram assistir ao jogo como também derrubou as indicações do Ganhador que acreditava ser este um jogo com cara de empate.

Mas valeu a pena errar. Com Tite nas tribunas, o Santos abriu o placar com Eduardo Sasha aos cinco minutos do primeiro tempo. Apesar de ter maior posse de bola – 63% contra 37% – o Grêmio (assim como o Botafogo no jogo contra o São Paulo) foi menos vertical e pagou o preço por isso ainda na etapa inicial quando o lateral-esquerdo Felipe Jonathan ampliou para o Peixe.

O Imortal voltou para o segundo querendo pelo menos a igualdade e colocou Diego Tardelli e Luan nos lugares de Alisson e Jean Pyerre. O time melhorou mas parou na atuação impecável de Vanderlei que impediu o sucesso do ataque Tricolor em pelo menos quatro lances claros. Aos 47 minutos, a pressão deu resultado e Everton diminuiu. Mas não havia mais tempo para buscar o empate na matinê que teve sabor de atração principal.

Fluminense 0 x 1 Goiás

Fluminense e Goiás fizeram um dos piores – se não, o pior – jogos da primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O futebol dos dois times não ajudou e a chuva que caiu no Rio de Janeiro durante a partida, também não. Para ajudar, o VAR foi acionando em três momentos, fazendo o árbitro acertar dois lances e errando outro. E, em outro erro de arbitragem, aos 44 minutos do segundo tempo, Rafael Vaz cobrou falta que não existiu e fez o gol da vitória dos visitantes.

No primeiro tempo, o VAR roubou a cena por dois momentos: primeiro para que o árbitro Dewson Freitas anulasse um pênalti, que não existiu, em Bruno Silva. Depois para marcar, acertadamente, pênalti de Yago aos 47. Luciano se encaminhava para a cobrança quando forte chuva e ventania se abateram sobre o Maracanã. O jogo ficou parado por 20 minutos e, na volta, Luciano bateu a penalidade muito mal, facilitando a vida do goleiro Tadeu que fez a defesa.

Com o gramado encharcado, o jogo que não era bom ficou pior no segundo tempo – com o Goiás conseguindo até ser ligeiramente melhor – e o VAR mais uma vez apareceu para anular, errôneamente, o gol de Everaldo por conta de um impedimento de Luciano que não afetou a jogada. Fechando o jogo ruim e confuso, Dewson Freitas viu falta (que não existiu) de Everaldo em Leandro Barcia que Rafael Vaz cobrou com perfeição dando números finais ao jogo e derrubando os palpites deste Ganhador que apostava em uma vitória do Tricolor jogando em casa.

Ceará 4 x 0 CSA

Com uma atitude em campo completamente diferente da que a equipe mostrou nas últimas semanas sob o comando de Lisca, o Ceará, agora com Enderson Moreira à frente, foi absoluto durante toda a partida contra o CSA na tarde do domingo, dia 28, e com uma goleada por 4 a 0 parece ter deixado de lado a apatia vista nas eliminações da Copa do Nordeste, Copa do Brasil e no vice-campeonato cearense. Pior para o CSA que além de ajudar a confirmar a dica de aposta do Ganhador que cravou como certa a vitória do Vozão reforçou nossa impressão de que é uma equipe que entra na Série A lutando para não voltar à Série B – como mencionamos aqui.

 

Classificação do Campeonato Brasileiro

  1. Ceará – 3
  2. Palmeiras – 3
  3. Athletico-PR – 3
  4. Flamengo – 3
  5. São Paulo – 3
  6. Chapecoense – 3
  7. Bahia – 3
  8. Atlético-MG – 3
  9. Santos – 3
  10. Goiás – 3
  11. Corinthians – 0
  12. Avaí – 0
  13. Grêmio – 0
  14. Fluminense – 0
  15. Cruzeiro – 0
  16. Internacional – 0
  17. Botafogo – 0
  18. Vasco – 0
  19. CSA – 0
  20. Fortaleza – 0

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar