Humor

Humor: mantendo a promessa

Deixando de lado as polêmicas com os dois pênaltis marcados à favor do Bahia no Allianz Parque no domingo, 11, o palmeirense Felipe Melo teve papel crucial no empate em 2 a 2 que manteve o Palmeiras longe do Santos – que perdeu o clássico San-São no sábado, 10 – ao final da 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sem uruguaios suficientes para dar “tapa na cara com responsabilidade”, o volante do Verdão não perdeu viagem em um lance bobo com o atacante Lucca, do Bahia, e acabou expulso após acertar o braço no queixo do adversário. Protestando com o juiz e explicando que não entrou no lance com maldade ou intenção de acertar o atacante do tricolor– e pelas imagens até parece que não mesmo – Melo acabou expulso após a confirmação do VAR que assim como o árbitro de campo, entendeu que a ação do meia foi exagerada e digna de expulsão.

O que é uma constante da carreira do atleta como bem lembrou André Kfoury no programa Linha de Passe da ESPN Brasil: em toda sua trajetória, Felipe Melo nunca tirou o pé em uma dividida. Até pode não ter havido intenção de acertar o braço no queixo de Lucca, mas ao “voar” na direção dele e da bola como um trem desgovernado, Melo assume o risco de causar estragos e ser punido por isso. Como foi.

Com um jogador a menos, o Palmeiras tentou segurar o Bahia, mas, no final, prevaleceu o empate em 2 a 2 – conforme comentamos aqui –, que no cômputo geral, foi ruim para os dois times e muito bom para o Santos que não pontuou na rodada, mas segue líder com uma confortável folga de 3 pontos sobre o vice-líder, Palmeiras.

É impossível encerrar este texto sem lembrar o óbvio: Palmeiras e Flamengo se enfrentam na 17ª rodada do Brasileirão e o uruguaio Arrascaeta deverá atuar… #fikaoaviso

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar