Ganhador.com

UFC

Colby Covington bate Lawler, provoca Usman e passa dos limites outra vez

Colby Covington venceu Robbie Lawler no UFC Newark
Foto: Divulgação/ UFC

Colby Covington é um picareta, sem noção, irritante, ambulante, mas dentro do octógono ele dá conta do recado. Na luta principal do UFC Newark, no último sábado (3), ele venceu Robbie Lawler na decisão unânime dos juízes com uma apresentação absolutamente dominante em cinco rounds, confirmou o favoritismo nas casas de apostas, e agora se aproxima da chance pelo cinturão da categoria dos meio-médios contra o atual campeão Kamaru Usman. O problema é o baixo nível de suas farpas, que chegou a um escalão preocupante.

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$600

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saiba como ganhar dinheiro com o UFC

A gente pode falar o que for do estilo irritante que Colby tem fora do cage, mas dentro dele o americano tem surpreendido. Na luta principal do UFC Newark, Colby não deu chances para Lawler. Mais uma vez misturando bem a trocação com socos, cotoveladas e chutes para buscar as entradas nas pernas de Robbie, o americano protagonizou um verdadeiro passeio contra o veterano.

Confiante em pé e usando muito bem a mão da frente para atingir Lawler, que engoliu uma infinidade de jabs, Colby trabalhou bem a distância e mais uma vez mostrou um volume incrível. Incansável, sem desacelerar o ritmo e com uma variação grande de golpes, o americano alcançou o recorde de maior número de golpes desferidos em uma luta do UFC. Segundo os números do UFC.com, Covington disparou 540 golpes em Lawler durante os 25 minutos de luta. É uma média de um golpe a cada 2,8 segundos. Simplesmente incrível. Sem contar que ele derrubou Lawler dez vezes após 18 tentativas. A pressão que ele colocou no Lawler foi inacreditável. Tão inacreditável quanto a resistência de Lawler, que passou 25 minutos tentando respirar, sempre andando pra frente como um zumbi. A pressão do Colby cansou Lawler muito rápido e o poder de nocaute de Robbie foi pro espaço logo no começo da luta.

Só pra vocês terem uma ideia do preparo físico do Colby Covington, que não lutava desde junho do ano passado, os dois rounds que ele mais conectou golpes foram o quarto e o quinto, os dois últimos assaltos da luta. O que torna o jogo do Colby difícil de se lidar é que ele mistura bem os ataques. Ele faz você acreditar que ele quer trocar porrada em pé e no primeiro descuido vai pra derrubada. Ele finta muito golpe pra acabar nas pernas dos rivais.

Depois de fazer bonito dentro do cage, é claro que o americano não perdeu a chance de “bagunçar o coreto” diante das câmeras. Logo depois da luta, Colby Covington desafiou Kamaru Usman, foi correspondido e durante a transmissão americana eles ficaram muito próximos fazendo comentários sobre a luta e trocando provocações com dois seguranças em seus cangotes tamanho o risco de ambos saírem na mão ali mesmo. A rivalidade entre os dois já quase deu briga num cassino em Las Vegas e certamente vai render capítulos bem barulhentos antes da disputa de cinturao entre eles no octógono.

Com a vitória, Colby Covington chegou a sete vitórias consecutivas nos meio-médios e agora tem um cartel de 15 triunfos e apenas uma derrota no MMA. E volto a repetir: dentro do cage, Colby tem se mostrado um lutador de altíssimo nível, mas fora do cage, na frente das cameras e com o microfone na mão, ele ultrapassa todos os limites, perde a noção, é um mala.

E só pra reforçar e vocês não acharem que estou torcendo o nariz para ele, segundos após a vitória no UFC Newark, Colby Covington deu uma das declarações mais desrespeitosas da história do mundo das lutas: “Robbie Lawler deveria ter aprendido alguma coisa com seu grande amigo Matt Huges. Quando o trem está vindo, você sai da frente, sai dos trilhos”, declarou o lutador, fazendo piada com o acidente (!) que quase matou e causou danos físicos seríssimos a Matt Huges, ex-campeão e lenda do UFC

Eu sou totalmente a favor de provocações, autoconfiança, autopromoção… Tudo isso contribui pra que o publico tenha interesse nas lutas, vende pay per view, gera audiência… Mas já tá na hora do Covington aprender que há limite para tudo.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar