UFC

Após derrota no UFC 234, qual deve ser a próxima luta de Anderson Silva?

Anderson Silva foi derrotado por Israel Adesanya na luta principal do UFC 234, em Melbourne, Austrália
Foto: Divulgação / UFC

Depois de voltar a empolgar e deixar muitos corações esperançosos a respeito de seu futuro no MMA mesmo após a apertada derrota na decisão dos juízes contra Israel Adesanya, Anderson Silva já tem ideias sobre o que fazer com seu futuro depois do UFC 234. O Spider quer lutar no dia 11 de maio, no UFC 237, que deve acontecer em Curitiba – a organização ainda não confirmou oficialmente. Mas qual seria o próximo adversário ideal para o próximo passo de Spider?

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Eis alguns nomes que já foram citados tanto pelo brasileiro quanto pelos fãs.

Nick Diaz

Essa é a primeira opção na lista de Spider. Logo após o UFC 234, em coletiva de imprensa, Anderson Silva declarou que uma revanche com Diaz em Curitiba “faria sentido” e “é muito importante” para ele. Essa é a luta que ele gostaria de fazer no UFC 237. O problema é que Nick é uma peça difícil de ser encontrada. Para se ter uma ideia, a última vez que o americano pisou no octógono foi em janeiro de 2015, exatamente contra Spider. Desde então ele não luta. No primeiro encontro, Anderson venceu na decisão unânime dos juízes, mas o resultado acabou revertido para “No Contest” (sem resultado) após o teste de doping positivo do brasileiro para esteroides e o do americano para maconha.

Vale lembrar que depois de pegar uma suspensão de um ano e meio por uso de maconha naquele UFC 183, Nick Diaz ainda foi suspenso por mais um ano depois de sumir do radar da Usada (Agência Antidoping dos Estados Unidos) e impossibilitar a agência de testá-lo por três vezes.

Segundo o presidente do UFC Dana White, ele e o irmão Nate Diaz são os caras mais difíceis de se negociar porque mudam de ideia toda hora e os fazem chegar a conclusão de que eles simplesmente não querem mais lutar. Na internet, são diversos vídeos publicados diariamente em festas, fumando, fazendo um bando de coisas. Menos treinando.

Conor McGregor

O maior astro do UFC na atualidade estará apto a lutar a partir do próximo dia 6 de abril. Depois da performance de Anderson contra Adesanya, McGregor foi até a internet para exaltar o brilho da apresentação do brasileiro e deixou no ar a sugestão de que “amaria” pisar no mesmo octógono que Silva. Na coletiva de imprensa pós-luta, Spider abriu as portas para um duelo com o irlandês.

Só existem dois problemas: o primeiro é que se Conor McGregor sonha com a revanche contra Khabib Nurmagomedov pelo cinturão dos leves, a luta com Spider não vai ajudá-lo muito. E a segunda questão é a do peso. Anderson é um peso-médio (83,9kg) grande, já atuou como meio-pesado (94kg). Já McGregor, é um peso-leve (70kg) que atuava como peso-pena (65kg) e já se aventurou como meio-médio (77kg).

Quando o assunto foi especulado o peso sugerido por Spider foi entre a categoria dos médios e dos meio-médios, algo em torno de 81kg. Claro que muita gente adoraria ver Spider e Conor dentro do mesmo cage, mas a questão do peso é uma barreira enorme nesse caso.

Conor inclusive deu uma ideia até melhor depois que Anderson explanou o plano de enfrentar Nick Diaz. Segundo o irlandês, ele aceitaria lutar no Brasil contra Nate Diaz no mesmo card de Spider x Nick. Já pensaram?

Chris Weidman

O responsável por tirar o cinturão das mãos de Anderson Silva e encerrar o maior reinado da história dos médios também aparece como opção. O presidente do UFC Dana White disse que está interessado em fazer o confronto e eu até acho que faria certo sentido. Muita gente gostaria de ver essa luta de novo. Na primeira luta, Anderson acabou nocauteado naquela apresentação polêmica no UFC 162 e na revanche o brasileiro acabou quebrando a perna talvez em uma das cenas mais pesadas da história do esporte. Uma trilogia e ainda mais no Brasil seria especial.

É claro que os fãs também sonham com uma luta entre Spider e Georges St Pierre ou Jon Jones. Mas esses dois nomes parecem longe demais para realizar o confronto. St-Pierre só volta ao MMA diante da combinar dinheiro + cinturão. Acho que hoje a única luta que o faria voltar seria uma disputa de cinturão dos leves contra Khabib Nurmagomedov. Uma superluta interessante que daria a ele a chance do terceiro título em divisões diferentes. Já Jones, tem luta marcada contra Anthony Smith no próximo dia 2 de março, em Las Vegas, pelo UFC 235.

Só pra não deixar passar em branco, Uriah Hall seria um nome interessante. Os dois se enfrentariam no primeiro UFC que teve em Curitiba, em 2016, mas o brasileiro teve de passar por uma cirurgia e o duelo acabou cancelado. Pode ser uma possibilidade.

De qualquer forma, o que ficou claro pra mim no UFC 234 é o seguinte: Anderson Silva tem lenha pra queimar no UFC e pode lutar em alto nível se ele quiser e lutar sério, como foi contra Adesanya. A questão é que pela postura no terceiro round da luta e pela sugestão de enfrentar Nick Diaz em revanche na próxima luta, o brasileiro passa a ideias de que hoje ele se contenta com o espetáculo.

Vencer parece ser mais prioridade pra ele. Ele pode? Sim, assim como poderia bater Adesanya se colocasse mais pressão naquele terceiro round ou tentasse uma derrubada. Mas talvez depois do show de competitividade que deu no segundo assalto ele tenha ficado satisfeito. A vitória moral satisfaz, e parece ser o suficiente a ele hoje. Note nas entrevistas. Ele fala mais sobre o prazer de lutar e fazer o que ama do que sobre a vitória em si. O legado, o respeito que ele conquista a cada luta e a admiração que ele continua cativando de fãs ao redor do mundo valem mais do que qualquer cinturão a ele.

Não culpo ele por isso. Estamos falando de Anderson Silva e ele faz o que quiser da carreira. É um gigante do MMA. Mas já que estamos falando de futuro, temos que entender que não adianta achar que ele vai querer enfrentar com caras como Yoel Romero, Ronaldo Jacaré, Paulo Borrachinha… Israel Adesanya foi uma luta que ele aceitou diante da promessa de uma luta pelo título. Agora que ele perdeu o foco parece ter mudado.

E não há problema nisso. Se ele só quer fazer o que ama, então que faça lutas divertidas.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar