Ganhador.com

UFC

Paulo Borrachinha nocauteia Uriah Hall no UFC 226 e leva bônus de US$ 50 mil em Las Vegas

Foto: Divulgação / UFC

O UFC 226 reservou fortes emoções para o Brasil dentro do octógono. Neste sábado, na Arena T-Mobile, em Las Vegas (EUA), Paulo Borrachinha brilhou ao vencer Uriah Hall por nocaute no segundo round e manteve sua invencibilidade e ascensão arrasadora na categoria dos médios do Ultimate. Em luta dura diante do americano, o brasileiro apresentou algumas falhas no início da luta, mas teve maturidade, mostrou queixo duro e garra para conquistar o nocaute e chamar mais uma vez a atenção do mundo das lutas.

Antes do evento, Borrachinha havia anunciado que Hall estava diante de um “fim trágico”. Na hora da luta, Hall mostrou que não seria uma presa fácil. Pelo contrário. O lutador conseguiu conter o ímpeto inicial do brasileiro com um trabalho de golpes com a mão da frente que confundiu Borrachinha. O nariz do mineiro sangrou desde os primeiros minutos de combate. Mas foi interessante vê-lo lidando com um momento de dificuldade. Diferente dos rivais anteriores, Borrachinha sofreu muitos golpes e encarou um rival perigoso na trocação, que se movimentava bem. Ele se saiu bem diante do desafio. No segundo round, ele chegou a sofrer um knockdown, mas logo se levantou e não se intimidou, abrindo assim caminho para a vitória por nocaute técnico.

O resultado ainda rendeu um dos prêmios de “performance da noite” no valor de US$ 50 mil (cerca de R$ 93 mil). Ele se uniu a Anthony Pettis, Khalil Rountree e Daniel Cormier como os premiados pelas melhores performances da noite.

Depois de entrar no top 10 da categoria dos médios, Borrachinha agora deve subir mais na divisão. O brasileiro ainda não deve chegar ao top 5, mas ficará bem mais perto a partir de agora. O triunfo diante de Hall foi mais uma vez expressivo e complementa seu cartel impressionante de 12 vitórias em 12 lutas, sendo todos os triunfos via finalização (1) ou nocaute (11). Seu retrospecto é impressionante e sua chegada ao topo do UFC faz barulho.

O melhor da apresentação de Borrachinha foi exatamente vê-lo em apuros e superando adversidades. Como ele bem falou semanas atrás, ele procura rivais competitivos, que possam permitir que ele mostre que é mais do que apenas um lutador forte que vai para cima e nocauteia rivais. A dificuldade contra Hall serviu para o brasileiro mostrar que também tem queixo duro, dota de certa maturidade ao lidar com adversidades, trabalha golpes no corpo de forma inteligente, entre outras coisas. Que Borrachinha continue nos mostrando cada vez mais caracteristicas de seu jogo, pois daqui para frente, a tendência é ele ser cada vez mais exigido. O lado bom é que ele tem mostrado estar pronto para cada passo que tem dado no octógono.

Brasileiros em ação

Além de Paulo Borrachinha, outros dois brasileiros entraram em ação no UFC 226. Gilbert Durinho e Raphael Assunção representaram o país pelo card preliminar do evento. O primeiro acabou nocauteado por Dan Hooker no primeiro round, e o segundo superou Rob Font na decisão unânime dos juízes. Enquanto Durinho se afasta mais uma vez do top 15 da divisão dos leves, Assunção mostra mais uma vez que é um top dos galos e merece uma chance pelo cinturão da categoria.

CONFIRA OS RESULTADOS DO UFC 226

Daniel Cormier nocauteou Stipe Miocic no primeiro round
Derrick Lewis venceu Francis Ngannou na decisão dos juízes
Mike Perry venceu Paul Felder na decisão dos juízes
Anthony Pettis finalizou Michael Chiesa no segundo round
Khalil Rountree nocauteou Gokhan Saki no primeiro round
Card preliminar
Paulo Borrachinha nocauteou Uriah Hall no segundo round
Raphael Assunção venceu Rob Font na decisão dos juízes
Drakkar Klose venceu Lando Vannata na decisão dos juízes
Curtis Millender venceu Max Griffin na decisão dos juízes
Dan Hooker nocauteou Gilbert Durinho no primeiro round

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar