NBA

NBA: como Manu Ginóbili fez o San Antonio Spurs renascer

Foto: Stacy Revere/Getty Images

O argentino de 40 anos provou a sua condição de lenda e conduziu a franquia a uma arrancada que pode garantir uma vaga no apertado playoff do Oeste                     

Manu Ginóbili é um caso especial na NBA. Com 40 anos e desafiando seu corpo a uma rotina até mesmo pioneira para avaliar recuperações, nutrições e maneiras de suportar a exigência da temporada, ele mostrou que está muito longe de ser um mero figurante. No momento em que os Spurs mais precisaram da sua experiência, ele respondeu como um verdadeiro gigante das quadras: falando pouco e fazendo muito.

 

Invencibilidade

Os Spurs estão em uma situação que ninguém antes da temporada poderia imaginar. A equipe comanda pelo durão Gregg Popovich ocupa a sexta colocação no geral na Conferência Oeste e ainda precisa confirmar o seu favoritismo para ficar com uma das oito vagas para o playoff. Quando o San Antonio parecia realmente perdido e sem ter a quem recorrer, Ginóbili fez o que sempre pedem que ele faça: que fosse uma versão em “formato jogador” de Poppovich. E deu certo. É claro que os números individuais de Manu não são brilhantes – seria loucura pedir para um atleta de 40 anos ficar o tempo todo em quadra, sem descansar. Mas o argentino conseguiu colocar a sua famosa inteligência esportiva em ação e comandou os colegas como se fosse realmente um técnico em quadra. Tanto deu certo que os Spurs amealharam seis vitórias seguidas, uma sequência que a equipe ainda não havia encaixado nesta temporada.

A série chegou ao fim só na noite deste domingo (25), quando o San Antonio não conseguiu fazer frente ao Milwaukee Bucks de Giannis Antetokounmpo, que acabou de retornar de lesão. A partida foi disputada no Bradley Center, casa dos Bucks, e Ginóbili respondeu por apenas 2 pontos e 3 assistências. O placar final foi apertado: 106×103 para os Bucks.

Foi, na verdade, uma “ressaca” da dramática vitória anterior, no sábado, diante do Utah Jazz – a partida terminou só na prorrogação, em 124×120, e Manu anotou 18 pontos, oferecendo todo o suporte para LaMarcus Aldridge ser o cestinha do duelo, com impressionantes 45 pontos – LaMarcus, aliás, tem sido outro ponto positivo na equipe, batendo sucessivos recordes pessoais e provando que Poppovich realmente tira “leite de pedra”, como se costuma falar no esporte.

 

Uma vida dedicada ao basquete

Ginóbili reconhece: em sua mente, a aposentadoria era algo a ser colocado em prática já há muito tempo. Não é mesmo comum que atletas tenham carreiras tão longas em esportes tão desgastantes. Uma outra forma de mostrar como a sua performance tem sido impressionante é que Roger Federer, que voltou ao topo do tênis mundial aos 35 anos, admitiu que se inspira em Ginóbili e deixou escorregar que ambos trocaram ideias a respeito da recuperação física e de como fazer o corpo aguentar tantas exigências em uma idade em que só quer descanso.

Manu reconhece que são os seus cuidados fora de quadra que permitem que ele atue tão bem. O argentino deu uma entrevista bastante extensa ao jornal “La Nación” na semana passada dizendo que jamais poderia estar onde está sem a paz mental oferecida pela sua esposa, Marianela Oroño. Os dois são casados desde 2004.

Outro fato que está esticando a carreira de Ginóbili e permitindo que os Spurs ofereçam resistência mesmo sem poder contar com seu principal astro, o ainda lesionado e desaparecido Kawhi Leonard, é o fato de Manu não ser o único experiente do grupo.

Poppovich, o argentino e outros dois estrangeiros, o francês Tony Parker e o espanhol Paul Gasol, formam uma espécie de “velha guarda” para oferecer conselhos e referências aos mais jovens. Convenhamos que é bem difícil aprontar em um elenco que vê tamanho esforço de atletas de 40 anos, caso de Ginóbili, e de outros que estão a caminho das quatro décadas, como Gasol, de 37, e Parker, de 35.

Neste caso, com o seu “big three” sendo mesmo um “old three”, o San Antonio luta para cacifar sua ida ao pós-temporada. A equipe soma 43 vitórias até aqui. O oitavo colocado hoje é o Utah, com 42. Ainda restam oito partidas para o encerramento da temporada regular. Tem tudo para ser realmente emocionante.

 

Jogos da temporada regular da NBA 2017/2018

Domingo, 25 de março

  • Brooklyn Nets 114×121 Cleveland Cavaliers
  • Milwaukee Bucks 106×103 San Antonio Spurs
  • Indiana Pacers 113×107 Miami Heat
  • Toronto Raptors 106×117 Los Angeles Clippers
  • Washington Wizards 97×101 New York Knicks
  • Sacramento Kings 93×104 Boston Celtics
  • Oklahoma City Thunder 105×108 Portland Trail Blazers
  • Houston Rockets 118×99 Atlanta Hawks
  • Golden State Warriors 91×110 Utah Jazz

Segunda-feira, 26 de março

  • 20:00 – Philadelphia 76ers x Denver Nuggets – Palpite: 76ers
  • 20:00 – Charlotte Hornets x New York Knicks – Palpite: Hornets
  • 20:00 – Detroit Pistons x Los Angeles Lakers – Palpite: Pistons
  • 21:00 – Minnesota Timberwolves x Memphis Grizzlies – Palpite: Grizzlies
  • 23:00 – Phoenix Suns x Boston Celtics – Palpite: Celtics

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.