Ganhador.com

Dicas de Apostas

Faltam três jogos ou 270 minutos para a Suécia ser coroada campeã mundial

Seleção Sueca
Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

Muita gente falou demais, mas ninguém pode com os vikings!

Por Miguel Gonzalez

Normalmente, antes de uma Copa do Mundo só se fala nos favoritos. Estes favoritos são sempre os oito times que já conquistaram o Mundial, além de um ou outro que está aparecendo bem. Este ano estes dois eram a encantadora Bélgica e Portugal, de Cristiano Ronaldo. Da Suécia, e de outras seleções como a Croácia, ninguém disse uma palavra. Falaram horrores de como a Rússia era ruim e está ela aí viva e contente. Sem badalação ou euforia, deixaram os nórdicos chegarem. Restam três jogos e o cheirinho do troféu de ouro está cada vez mais forte. Confira abaixo a análise da forte Suécia.

 

A campanha da Suécia nas eliminatórias

A Suécia montou este time, que está entre os oito melhores do planeta, muito antes da Rússia 2018. Em 2016, a esquadra já entrava em campo pelo grupo da morte das eliminatórias da UEFA.

Numa chave com França, Holanda e Bulgária, além de Belarus e Luxemburgo, os suecos terminaram em segundo lugar e foram para a repescagem com a Itália.

Os de amarelo e azul ganharam da Squadra Azzurra em domicílio e seguraram o empate sem gols na casa do adversário.

  • Suécia 1×1 Holanda, em Solna.
  • Luxemburgo 0x1 Suécia, na Cidade de Luxemburgo.
  • Suécia 3×0 Bulgária, em Solna.
  • França 2×1 Suécia, em Saint-Denis.
  • Suécia 4×0 Belarus, em Solna.
  • Suécia 2×1 França, em Solna.
  • Bulgária 3×2 Suécia, em Sófia.
  • Belarus 0x4 Suécia, em Barysaw.
  • Suécia 8×0 Luxemburgo, em Solna.
  • Holanda 2×0 Suécia, em Amsterdã.
  • Suécia 1×0 Itália, em Solna.
  • Itália 0x0 Suécia, em Milão.

 

Eles sonham com o Brasil na final

Sempre que a Suécia foi bem numa Copa do Mundo, ela esbarrou no Brasil. Esta escrita começou em 1938 quando ela venceu a Áustria por WO e Cuba por 8 a 0. Na semifinal, perdeu para a Hungria por 5 a 1 e foi derrotada na disputa pelo bronze pelo Brasil: 4 a 2.

Em 1950, ela passou em primeiro numa chave que tinha Itália e Paraguai (a Índia desistiu). No quadrangular final, ela apanhou de 7 a 1 da Seleção Canarinho no Maracanã (um 7 a 1 pro NOSSO lado, sabia?). A Suécia ainda acabaria derrotada pelo Uruguai (3 a 2), mas venceria a Espanha (3 a 1) para conquistar o terceiro posto.

Os vikings foram os anfitriões do Mundial de 1958. Classificaram-se em primeiro num quadrangular que tinha País de Gales, Hungria e México. No mata-mata, ganharam da União Soviética (2 a 0) e da Alemanha Ocidental (3 a 1). Na decisão, em tarde inspirada, o Brasil de Pelé arrasou: 5 a 2.

Em 1994, foram duas chances contra o Brasil, mas a sorte continuou do lado dos sul-americanos. Na primeira fase, eles ficaram no 1 a 1. Os escandinavos passaram em segundo lugar no Grupo B, que tinha também Camarões e Rússia. Nas oitavas de final, ganharam da Arábia Saudita, e, nas quartas, da Romênia, nos pênalties. Nas semifinais, o Brasil manteve a escrita: 1 a 0. Na briga pelo terceiro lugar, os suecos sapecaram 4 a 0 diante da Bulgária de Stoichkov.

Já deu para entender o desejo de uma revanche contra os brasileiros numa final, né?

 

Destaques individuais

Começo falando do bom goleiro Robil Olsen, do Copenhague. Ele fez a gente esquecer do camisa 1 de 1994 Thomas Ravelli. Ele sofreu dois gols nesta Copa do Mundo, o que lhe dá uma média de 0,50 tentos por jogo. Ambos os gols foram marcados pela Alemanha, numa peleja em que o árbitro interferiu diretamente no resultado.

Os defensores são muito fortes e seriam titulares em praticamente qualquer equipe do mundo. Faço referência a Mikael Lustig, do Celtic escocês, a Victor Lindelöf, do Manchester United, e ao capitão Andreas Granqvist, do Krasnodar russo.

Do meio campo para frente, os craques são Sebastian Larsson, do Hull City, Emil Frosberg, do RasenBallsport Leipzig e o artilheiro Marcus Berg, do Al Ain, dos Emirados Árabes.

 

Jogos da Suécia

Até agora a Suécia só perdeu para o VAR. Explico: no jogo contra a Alemanha, houve uma penalidade clara de Boateng sobre Marcus Berg. O árbitro não quis nem consultar o pessoal que assiste ao jogo pela televisão. Um absurdo! Imoral! Naquele momento, os vikings abririam a contagem e fariam o que seria 2 a 0 logo depois. Com certeza, nocauteariam os alemães e jamais permitiriam uma virada da Mannschaft como o que acabou acontecendo.

Nos demais jogos, cem por cento de aproveitamento contra sul-coreanos, mexicanos e suíços.

1ª fase:

  • 18 de junho: Suécia 1×0 Coreia do Sul (R$ 2,05)
  • 23 de junho: Alemanha 2×1 Suécia (R$ 1,44)
  • 27 de junho: México 0x3 Suécia (R$ 3,20)

Oitavas de final:

  • 03 de julho: Suécia 1×0 Suíça (R$ 3,43)

Quartas de final:

  • 07 de julho: (R$ 4,75) Suécia x Inglaterra (R$ 1,90) (Empate R$ 3,40)

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 14/06/2018

Não é nenhuma maluquice. Por que eu acredito na Suécia?

Não sou órfão de Zlatan Ibrahimovic

Por OddsShark Brasil

Depois de estar ausente das Copas do Mundo da África do Sul em 2010 e do Brasil em 2014, a Suécia está de volta à maior festa do velho esporte bretão. Vale registrar o comentário que com o craque Zlatan Ibrahimovic, os vikings não foram a nenhum lugar. Sem ele, existe a real possibilidade dos de camisas amarelas e calções azuis irem longe. Ter eliminado Itália, Holanda e Bulgária já quer dizer alguma coisa, não? Confira abaixo o prognóstico da seleção nórdica, cujo título está pagando R$ 101 / um, segundo o Oddsshark.

 

Histórico

A melhor campanha dos suecos foi em 1958, quando disputou a grande final contra o Brasil. Na primeira fase, ganhou do México (3 a 0), da Hungria (2 a 1) e empatou com o País de Gales (0 a 0). No mata-mata, bateu a União Soviética (2 a 0) e a Alemanha Ocidental (3 a 1). Na decisão, Pelé e companhia afundaram o navio viking por 5 a 2. Vale lembrar que a edição de 1958 foi disputada em terras suecas.

A medalha de bronze de 1994 também merece destaque. Na fase de grupos, empatou com o Brasil (1 a 1) depois de ter ganho da Rússia (3 a 1) e empatado com Camarões (2 a 2). Nas oitavas de final, venceu a Arábia Saudita (3 a 1) e precisou dos pênaltis para eliminar a Romênia nas quartas de final (1 a 1 no tempo normal, 1 a 1 na prorrogação e 5 a 4 nos penais). Na semifinal, a Seleção Canarinho impediu o título sueco novamente: 1 a 0. Na disputa pelo terceiro lugar, massacre de 4 a 0 diante da Bulgária.

  • 1934 – quartas de final.
  • 1938 – quarto lugar.
  • 1950 – terceiro lugar.
  • 1958 – vice-campeã.
  • 1970 – primeira fase.
  • 1974 – quartas de final.
  • 1978 – primeira fase.
  • 1990 – primeira fase.
  • 1994 – terceiro lugar.
  • 2002 – oitavas de final.
  • 2006 – oitavas de final.

 

Como chega a Suécia?

Com 19 pontos no Grupo A, a Suécia terminou em segundo lugar na “Chave da Morte” das eliminatórias da UEFA para a Copa do Mundo. Foram seis vitórias, um empate e três derrotas contra França, Holanda, Bulgária, Luxemburgo e Belarus. Somente os franceses tiveram desempenho melhor ao acumularem 23 pontos.

Por causa da vice-liderança, os vikings precisaram passar pela segunda fase. O mata-mata foi contra a Itália. No jogo de ida, em Solna, 1 a 0, gol de Jakob Johansson. Na volta, em Milão, ela aguentou a pressão e o 0 a 0 e carimbou o passaporte.

Desde que comemorou a classificação, porém, os resultados amistosos têm sido abaixo do aceitável. O primeiro deles foi logo um empate em um gol contra a fraquíssima Estônia. Seu melhor placar veio logo depois ao vencer o clássico escandinavo contra a Dinamarca por 1 a 0. Há quatro pelejas que os suecos não sentem o gostinho da vitória: 1 a 2 para o Chile, 0 a 1 diante da Romênia, 0 a 0 com a Dinamarca e 0 a 0 frente ao Peru. Neste último, o prêmio para o apostador foi de R$ 3,16 / um, segundo o Oddsshark.

 

Destaques individuais

A Suécia tem talento de sobra em seu setor defensivo. Por ali joga o jovem zagueiro Victor Lindelöf, 23 anos (do Manchester United), e os mais experientes Mikael Lustic, 31 anos (do Celtic) e o capitão Andreas Granqvist, 33 anos (do Krasnodar).

No meio de campo, temos o vice-capitão Sebastian Larsson, que defende o AIK. Ele é o único do plantel a atuar na liga sueca. Os demais atletas estão espalhados por diversas nações europeias e nos Estados Unidos.

Sem a sombra de Zlatan Ibrahimovic, o atacante Marcus Berg ganhou seu espaço. Aos 31 anos, ele é o único a jogar na Ásia, pois defende o Al Ain, dos Emirados Árabes.

O treinador é Jan Olof Andersson. Depois que terminou sua carreira de atleta profissional, ele iniciou a sua de técnico. Depois de ser assistente por várias temporadas, trabalhou no Halmstads, no Örgryte e no Norrköping antes de chegar à seleção. A Federação Sueca de Futebol o contratou em 2006.

 

Os convocados

  • Robin Olsen (Copenhague)
  • Mikael Lustic (Celtic)
  • Victor Lindelöf (Manchester United)
  • Andreas Granqvist (Krasnodar)
  • Martin Olsson (Swansea)
  • Ludwig Augustinsson (Werder Bremen)
  • Sebastian Larsson (AIK)
  • Albin Ekdal (Hamburgo)
  • Marcus Berg (Al Ain)
  • Emil Frosberg (RasenBallsport Leipzig)
  • John Guidetti (Alavés)
  • Karl-Johan Johnsson (Guingamp)
  • Gustav Svensson (Seattle Sounders)
  • Flip Helander (Bologna)
  • Oscar Hiljemark (Genoa)
  • Emil Krafth (Bologna)
  • Viktor Calesson (Krasnodar)
  • Pontus Jansson (Leeds United)
  • Marcus Rohdén (Crotone)
  • Ola Toivonen (Toulouse)
  • Jimmy Dumaz (Toulouse)
  • Isaac Thelin (Waasland-Beveren)
  • Krisoffer Nordfeldt (Swansea)

Jogos da Suécia na 1ª fase

Segundo o Oddsshark, a Suécia deve estrear vencendo a Coreia do Sul e proporcionando R$ 2,05 / um ao investidor.

Na sequência, ela passa a ser zebra diante da Alemanha (R$ 7,50 / um) e México (R$ 2,40 / um), com quem disputa teoricamente o segundo lugar da chave.

  • 18 de junho: (R$ 2,05) Suécia x Coreia do Sul (R$ 3,80) (Empate R$ 3,20)
  • 23 de junho: (R$ 1,44) Alemanha x Suécia (R$ 7,50) (Empate R$ 4,20)
  • 27 de junho: (R$ 2,40) México x Suécia (R$ 3,20) (Empate R$ 3,00)

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Copa do Mundo: motivos para acreditar no bi da França são muitos; veja quais | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar