Copa do Mundo Rússia 2018

Messi e Sampaoli vão escrever, contra a Nigéria, o último capítulo do calvário da Argentina?

Messi da Argentina
Foto: Maja Hitij - FIFA/FIFA via Getty Images

Vizinhos gastam a última chance de classificação em um Mundial que está entre os mais loucos já disputados pelo país em todos os tempos

Não falta absolutamente nada no cardápio de drama, paixão e loucura que está sendo servido pela Argentina nesta Copa do Mundo que é realizada na Rússia. A partida das 15h (de Brasília) desta terça-feira (26) em São Peterbusrgo contra a Nigéria vê o técnico Jorge Sampaoli e seus compatriotas esgotando aquilo que os vizinhos chamam de “argentineadas”: há improvisos por todos os lados, como insistimos há tempos aqui no Ganhador, e somente o orgulho próprio pode imaginar que o desfecho desta história repleta de desavenças e problemas pode terminar com a classificação do país para as oitavas de final da Copa do Mundo que está sendo disputada na Rússia.

 

Razão x emoção

Pelo menos a Argentina é uma pátria reconhecida em todo o mundo por sua psicologia, que é uma das mais tradicionais e fascinantes de todo o planeta. Pois apenas ela, a ciência da mente, poderia explicar tamanha capacidade de autodestruição de uma Argentina que rasgou os manuais daquilo que seria desejável em um grupo de trabalho para chegar a este momento de caos que vemos agora.

Quando falamos de caos, não exageramos, porque a seleção ainda não sabe que time vai escalar, porque Sampaoli e os jogadores racharam faz tempo, com cada um querendo impor a sua vontade sobre o outro. Foi até por isso que os argentinos gastaram o fim de semana todo com a versão de que o técnico seria demitido para a entrada em seu lugar de um atual dirigente, Jorge Burruchaga. Inúmeras versões circularam sobre agressões entre jogadores. Mascherano apareceu com um machucado abaixo de um dos olhos, e o histórico Diego Armando Maradona chegou a dizer que “se alguém estava com gelo na cara naquele instante, era um bom sinal”, em virtude do papelão que foi a derrota por 3×0 para a Croácia.

Entre machucados e feridos, o provável time titular da Argentina para enfrentar a Nigéria é o seguinte: o goleiro finalmente vai ser Franco Armani, do River, depois da patacoada de Willy Caballero na última partida. A defesa vai ser formada por uma linha de quatro, com Mercado e Tagliafico nas laterais e Otamendi e Rojo como zagueiros de centro.

Os dois volantes serão Mascherano e Enzo Pérez – a preferência seria por Biglia, que está machucado. A armação será composta por Pavón e Messi, que tentarão fazer a bola chegar para os atacantes Higuaín e Agüero. Os nomes são passíveis de alterações, porque ninguém na Argentina tem confiança nas decisões de Sampaoli, que está à beira de um ataque de nervos antes mesmo do início das partidas.

 

Nigéria ameaça

Enquanto a Argentina briga entre si para encontrar um time, a Nigéria mostrou contra a Islândia que tem uma equipe capaz de lutar com forças para ficar com esta vaga. Não custa repetir: um simples empate basta para os africanos garantirem a segunda colocação da chave, atrás apenas da Croácia. Uma vitória argentina precisaria ainda de uma diferença tranquila no saldo de gols para tirar as chances de classificação da Islândia, que no mesmo horário (15h) enfrenta a Croácia em Rostov. Hoje, os argentinos têm saldo de gols de menos três, enquanto a Islândia aparece com menos dois.

O que põe medo na Argentina para esta decisão é a rapidez nigeriana e a capacidade africana de armar o jogo pelas laterais, algo que os vizinhos até aqui não demonstraram como fazer diante de times que usaram este tipo de recurso.

Como a Nigéria tem a vantagem do empate, é de se imaginar que ela se feche e avance apenas nos contra-ataques, aproveitando as inúmeras brechas que a Argentina está demonstrando em sua retaguarda.

As duas seleções se enfrentaram em novembro, em Moscou, em um amistoso que dá o que falar até hoje: terminou 4×2 para a Nigéria em cima da Argentina de Sampaoli.

 

Palpite

Nas Eliminatórias, a Argentina não conseguiu ganhar em casa nem da Venezuela e nem do Peru. Nesta Copa do Mundo, repetiu a falta de brilho contra a Islândia e contra a Croácia. Beira o impossível imaginar uma reviravolta diante da forte Nigéria, que não vai ter pudores em recorrer à violência para empurrar os argentinos de volta para casa. Messi e companhia precisam jogar 100% no ataque, e os nigerianos vão encontrar muitos espaços vazios. Por isso, imaginamos um 2×1 para a Nigéria, com Messi e Sampaoli dando adeus à Copa ainda nesta semana. E para você? Como vai terminar a “Batalha de São Petersburgo”?

Jogos do Grupo D da Copa do Mundo 2018

Terça-feira, 26 de junho 

  • 15:00 – Nigéria x Argentina – Palpite: Nigéria
  • 15:00 – Islândia x Croácia – Palpite: Croácia

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Grupo D na Copa do Mundo 2018: Argentina, Islândia, Croácia e Nigéria | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.