Ganhador.com

Mercado da bola

Mercadão 2018: Favorito na Série B, Coritiba reforça rivais Londrina e Ponte Preta

Foto: Heuler Andrey/Getty Images

Keirrison deixou equipe paranaense para retornar ao Tubarão; Tiago Real é a novidade na Macaca

Ainda faltam cinco meses para o início do Campeonato Brasileiro da Série B, mas os 20 clubes que irão compor a edição de 2018 já estão a mil com a eminente estreia na temporada. A principal atração do Nacional deste ano é a presença de diversos clássicos estaduais, que prometem elevar o nível do torneio e tornar as quatro vagas para a elite mais disputadas do que nunca. É o caso de Atlético Goianiense, Goiás e Vila Nova em Goiás; CSA e CRB em Alagoas; Coritiba e Londrina no Paraná; Guarani e Ponte Preta em São Paulo; e Figueirense, Avaí e Criciúma em Santa Catarina. Quem irá largar na frente com a chegada dos reforços? Dá só uma olhada no resumo do mercado da bola!

 

Coritiba e Londrina

Um dos favoritos ao título, o Coritiba espera que esta temporada seja rápida e eficaz! O Coxa Branca não quer conviver com o pesadelo de ficar mais de um ano na divisão de acesso. O time do Alto da Glória aposta em uma receita caseira para subir para a Série A. Sai questionado Marcelo Oliveira e entra Sandro Forner, promovido das categorias de base do clube.

Ao que tudo indica, o novo comandante terá que se virar com as peças que têm atualmente. Isso porque o Coxa contratou até o momento apenas dois jogadores: César Benítez e Wellington Simião. Isso significa que os experientes Wilson (goleiro), Werley (zagueiro), Kleber Gladiador (atacante) e Alecsandro (atacante) terão que segurar o “piano”.

Se não contratou, o Coritiba tratou de fazer negócios com rivais. O Londrina, por exemplo, terá o retorno do atacante Keirrison, que estava no time da capital paranaense. Já a Ponte Preta “ganhou” Tiago Real do Coxa.

 

Goiás, Atlético Goianiense e Vila Nova

Em Goiânia, a cidade promete ferver não somente com as já conhecidas altas temperaturas. Isso porque teremos três times da capital de Goiás na Série B. E como sabemos, nenhum dos três clubes – Atlético Goianiense, Goiás e Vila Nova – quer ficar para trás.

Os Esmeraldinos esperam que 2018 seja finalmente o ano da redenção. E para isso o clube conta com uma série de reforços. O técnico Hélio dos Anjos ganhou nada mais do que 10 novos atletas. Destaque para Maranhão, com passagens por Fluminense, Atlético Paranaense e Ponte Preta, e o goleiro Marcos, que veio do rival Atlético-GO.

Por falar no Dragão, a expectativa é saber como o rubro-negro irá se comportar em seu ano pós rebaixamento. O que sabemos é a reformulação no elenco de João Paulo Sanches, que teve reforços de “baciada”. São 15 novos jogadores, como o volante Rodrigo, ex-Goiás e com poucas chances no Palmeiras.

Já o Vila Nova teve uma meta bem clara nesta janela de transferências: reforçar o seu gol. São dois novos goleiros: Mateus Pasinato, do XV de Piracicaba, e Matheus Kayser, do Grêmio Anápolis. A dor de cabeça ficará com o técnico Hemerson Maia. Quem ficará com a camisa 1?

 

Avaí e Figueirense

Em Santa Catarina, Avaí e Figueirense mostram com suas contratações que querem retornar o quanto antes à Série A. No Leão da Ilha, por exemplo, o técnico Claudinei Oliveira recebeu o goleiro Rubinho, que por muito tempo foi reserva de Buffon na Juventus; e o argentino Alejandro Martinuccio, que foi prejudicado nos últimos anos por inúmeras lesões.

Já no Figueira, a novidade é o ex-são-paulino Dênis, que agora será o responsável pela meta alvinegra. Quem também chega é o lateral Diego Renan, então na Chapecoense, e o ligeiro atacante Maikon Leite, com passagens por Santos e Palmeiras.

 

Guarani e Ponte Preta

Já em Campinas, os eternos rivais Guarani e Ponte Preta voltam a duelar. No Bugre, que no ano passado lutou até o final para permanecer na segunda divisão, o clima ainda é de insegurança pela saída repentina do técnico Fernando Diniz. Contratado para 2018, ele saiu do clube após proposta tentadora do Atlético Paranaense. A “batata quente” ficou com Umberto Louzer, que irá dirigir uma equipe que aposta na base da temporada passada: 16 dos 25 atletas estiveram no elenco bugrino em 2017.

Na Macaca, o objetivo é colocar ordem na casa após o descenso. Apesar da tragédia que foi o rebaixamento, os alvinegros ainda seguem na elite do Campeonato Paulista, no qual são os atuais vice-campeões. Por isso, o principal foco de Eduardo Baptista é levantar o astral da equipe. Como adiantamos, o meia Tiago Real é a novidade do clube e terá a missão de organizar as jogadas no meio de campo.

 

Fortaleza

No Ceará, a expectativa é pelo retorno do Fortaleza à Série B e, é claro, por Rogério Ceni. O Mito é o grande reforço do Tricolor para a disputa da segunda divisão. Será que o segundo trabalho do ex-goleiro do São Paulo como treinador de futebol irá dar certo? Vamos aguardar!

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar