Vôlei

Liga das Nações de Vôlei Masculino: quais as chances de vitória do Brasil contra a Rússia na semifinal em Lille?

Seleção Brasileira de Vôlei Masculino
Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

 Depois de dois jogos empolgantes contra França e Sérvia, equipe do técnico Renan dal Zotto encara a Rússia às 11h30 (de Brasília) deste sábado (7)                         

Não há muito espaço para tristeza no esporte. Se o Brasil foi eliminado da Copa do Mundo de futebol na tarde desta sexta-feira (6), a seleção de vôlei masculino está mais viva do que nunca em uma competição de altíssimo nível que vai conhecer a sua semifinal neste sábado (7). Será em Lille, na França, que o Brasil vai encarar a sempre poderosa Rússia no confronto que começa às 11h30 (de Brasília) e terá transmissão ao vivo do SporTV 2. A primeira semifinal será às 9h e vai colocar em quadra outras duas potências da modalidade: França x Estados Unidos.

 

O verdadeiro Brasil

Cheio de dúvidas por uma fase de classificação de muitas oscilações e derrotas raras para Canadá e Argentina, o Brasil mostrou que na hora da decisão continua jogando bem e continua sendo capaz de ganhar de qualquer adversária. O duelo contra a França na última quarta (4) foi decidido no limite, apenas no 15/13 em favor dos franceses no quinto set. Havia então a obrigação de ganhar bem da Sérvia, e a equipe brasileira respondeu como era necessário no estádio Pierre Mauroy, em Lille, na França: 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 28/26 e 25/19. Não, não há nenhum erro de digitação. A Sérvia não conseguiu passar de 20 pontos em dois dos três sets. Foi talvez a melhor atuação recente do bloqueio brasileiro, que garantiu 14 pontos apenas neste fundamento.

O oposto Wallace foi um gigante, derrubando 16 bolas (15 no ataque e um no bloqueio) e sendo o maior pontuador da partida. O central Lucão também esteve muito bem, especialmente no bloqueio: quatro pontos de ataque, oito no block e três no saque. O ponteiro Douglas Souza, titular depois da lesão de Maurício Borges, respondeu por 10 pontos no segundo compromisso da equipe em Lille.

“Fizemos um bom jogo diante da Sérvia”, comemorou o técnico Renan. “Existia uma expectativa muito grande, até porque essa formação nunca havia jogado junto, e valeu a pena ter mexido durante toda a competição. Os dois ponteiros tiveram a oportunidade de pegar ritmo e hoje estiveram muito bem”, elogiou o treinador.

O central Maurício Souza também comemorou: “Fico feliz pela atuação da equipe e isso mostra o quanto esse grupo é merecedor de chegar a uma semifinal da Liga das Nações”, disse.

“Cada um faz a sua parte e a minha é mais de compor o fundo de quadra. Esse é um desafio grande para mim e estou recebendo muito apoio do grupo, da comissão técnica e isso tem me ajudado muito. Fico feliz por estar podendo ajudar e contra a Sérvia tivemos mais uma prova de que o grupo é o segredo do sucesso”, concluiu o ponteiro Lucas Lóh.

França e Brasil, nesta ordem, se classificaram pelo Grupo A, enquanto Rússia e Estados Unidos avançaram pelo Grupo B. As semifinais ocorrem neste sábado, às 9h e 11h30 (de Brasília). O domingo marca a disputa pelo título (15h45) e a decisão do bronze (12h).

 

Palpite

O Brasil merece muitos elogios pelo que demonstrou nas duas partidas realizadas em Lille. Contra a França, o ataque segurou a onda legal, e a defesa também conseguiu encontrar respostas para o pesado jogo do time da casa. E o bloqueio, como citamos acima, teve uma atuação realmente primorosa contra uma Sérvia que deixou bastante a desejar tanto na partida contra o Brasil como na fácil vitória obtida pela França também por 3 sets a 0.

A Rússia, por sua vez, promete ser uma adversária de um nível tão alto quanto a França. O mais interessante de se acompanhar nesta semifinal de Liga das Nações é que não há dúvidas de que as quatro melhores seleções do mundo estão juntas nesta fase competição. Para a gente, a ordem atual seria França, Rússia, Brasil e Estados Unidos – mas convenhamos que não há nenhuma discrepância que não impossibilite que esse quarteto se reveze nos lugares disponíveis no pódio.

É difícil, mas o Brasil tem armas sim para incomodar esta Rússia que varreu os EUA por 3 a 0 e ganhou de 3 a 1 da Polônia. Especialmente se o bloqueio jogar como na partida contra a Sérvia. Vai ser muito interessante de se acompanhar: há quase uma certeza de cinco sets, e esperamos que a vitória seja brasileira.

 

Jogos da semifinal da Liga das Nações de Vôlei Masculino

Sábado, 7 de julho 

  • 09:00 – França x EUA – Palpite: França
  • 11:30 – Rússia x Brasil – Palpite: Brasil

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.