Ganhador.com

NBA

Líder da NBA mesmo lutando contra a depressão. O que a bela história de DeMar DeRozan nos ensina

Foto: Tom Szczerbowski/Getty Images

Primeiro colocado na Conferência Leste, o Toronto Raptors é a surpresa da temporada. E o que dizer de tal resultado sabendo que o craque do time briga pela sua saúde mental?                  

Os corpos dos jogadores da NBA talvez sejam os mais imponentes do esporte mundial. Afinal, os atletas se submetem a extenuantes treinamentos com tudo aquilo que há de mais moderno no mundo da ciência. Tamanho esforço produz gigantes que dificilmente expõem alguma fraqueza.

Não foi o que fez o brilhante ala-armador DeMar DeRozan, de 28 anos, 2,01 metros e 98 quilos. Ele cumpre sua nona temporada na NBA e participou do All-Star Games por quatro vezes. E nesta semana chamou a atenção do mundo todo por revelar que está lutando contra uma depressão. “Às vezes, ela tira o melhor de mim”, postou em uma rede social.

 

Mundos incompatíveis

Se há a obrigatoriedade de alcançar uma excelência física, mental e técnica para competir entre os melhores, a postagem de DeRozan causou uma imediata desconfiança: ele estaria fazendo isso para chamar a atenção, para aparecer, para se promover? Afinal, uma pessoa que está lutando contra a depressão não teria energia para se submeter a tantas viagens, tantos treinamentos e tantos jogos como ele – que, afinal, está fazendo tudo bem feito o suficiente para levar o seu Toronto Raptors à liderança da Conferência Leste.

É muito difícil diagnosticar uma depressão. Graduá-la, dizendo o que se deve ou não fazer submetido a ela, é algo realmente impossível à distância.

O apelo de DeRozan serve para alertar: “No fim do dia, somos humanos como qualquer outro”, como ele próprio falou.

 

Muitas vidas e uma só cabeça

O camisa 10 dos Raptors foi além: disse que tais desconforto ocorrem por problemas em sua vida pessoal. Ele não citou quais e preferiu não abrir o jogo, mas disse que avaliar a felicidade de alguém pelo seu sucesso profissional não é uma atitude muito lúcida.

“Todos nós temos sentimentos e às vezes parece que o mundo inteiro está acima de você”, desabafou ao jornal canadense “Toronto Stars”. “Não é nada de que me envergonhe. Agora, na minha idade, tenho ciência de quantas pessoas passam por isso. Mesmo que algumas possam olhar e dizer coisas como ‘ele passa por isso e ainda está aí tendo sucesso e fazendo as coisas?’, estou bem com isso”, concluiu o jogador.

A NBA já se mobiliza para cuidar também da saúde mental de seus atletas. A atitude faz total sentido. A temporada é extenuante e as pressões são realmente desumanas em alguns casos. São muitos mundos – esportivo, econômico, midiático… – para uma única pessoa lidar, casos dos grandes astros deste show, como LeBron James, Stephen Curry e o próprio DeMar DeRozan.

A lógica do melhor basquete do mundo, porém, precisa ser afinada em um ponto: de nada adianta tratar a mente dos seus atletas apenas para fazê-los suportar mais pressões. Convém, na verdade, olhar de forma menos gananciosa para o campeonato em si, avaliando até que ponto é saudável fazer um mesmo time jogar duas partidas em menos de 24 horas. Outro ponto que deve ser olhado com urgência é o uso das substâncias que permitem que o atleta tenha um físico realmente primoroso, mas que comprometem todo o seu organismo para funções que não tenham a ver com esporte.

Esporte. Sempre foi dito que “esporte de alto rendimento e saúde não andam juntos”. Na ânsia por ganhar e fazer andar a insana máquina financeira que caracteriza qualquer modalidade, a corda passou a estourar no lado mais fraco – a dos jogadores. Milionários, famosos, cheios de facilidades, vivendo uma vida de sonhos. Mas ainda assim humanos, como ensina DeRozan.

 

Jogos da temporada regular da NBA 2017/2018

Terça-feira, 27 de fevereiro

  • Sacramento Kings 100×118 Minnesota Timberwolves
  • Cleveland Cavaliers 129×123 Brooklyn Nets
  • Charlotte Hornets 118×103 Chicago Bulls
  • Miami Heat 102×101 Philadelphia 76ers
  • Milwaukee Bucks 104×107 Washington Wizards

Quarta-feira, 28 de fevereiro

  • Portland Trail Blazers 116×99 Sacramento Kings
  • Denver Nuggets 120×122 Los Angeles Clippers
  • 21:00 – Orlando Magic x Toronto Raptors – Palpite: Raptors
  • 21:00 – Detroit Pistons x Milwaukee Bucks – Palpite: Pistons
  • 21:30 – Atlanta Hawks x Indiana Pacers – Palpite: Pacers
  • 21:30 – Boston Celtics x Charlotte Hornets – Palpite: Celtics
  • 22:00 – Washington Wizards x Golden State Warriors – Palpite: Warriors
  • 22:00 – Memphis Grizzlies x Phoenix Suns – Palpite: Grizzlies
  • 22:30 – Dallas Mavericks x Oklahoma City Thunder – Palpite: Thunder
  • 22:30 – San Antonio Spurs x New Orleans Pelicans – Palpite: Spurs

Quinta-feira, 1º de março

  • 00:30 – Los Angeles Clippers x Houston Rockets – Palpite: Rockets

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar