Ganhador.com

UFC

‘Funcionário’ dos últimos tempos, Fabricio Werdum volta ao UFC em meio a contraste

Foto: Divulgação/UFC

O UFC Fight Night que acontece em Londres, no próximo sábado, conta com o retorno de Fabricio Werdum. E o brasileiro tem uma missão importante pela frente. Diante de Alexander Volkov, o gaúcho vai em busca da terceira vitória consecutiva dentro do octógono. Mais do que se aproximar de uma nova disputa de cinturão na categoria dos pesados, o peso-pesado parece querer mostrar serviço para a maior organização de MMA do mundo. Após alguns desentendimentos e polêmicas, Werdum tem se saído o “funcionário do mês” na divisão dos pesados.

Voltemos ao tempo. Em outubro passado, no dia do UFC 216, o “Vai cavalo” estava escalado para enfrentar Derrick Lewis, mas o americano sofreu uma lesão nas costas e acabou saindo de ação. Em cima da hora, o Ultimate substituiu Lewis e colocou Walt Harris na reta de Werdum. O brasileiro aceitou a mudança de adversário no dia da luta e finalizou Harris no primeiro round. Ele podia simplesmente ter recusado se apresentar, mas encarou o desafio contra um rival que ele nem teve tempo de estudar e se saiu bem.

Em novembro passado, pouco tempo depois da luta em outubro, o brasileiro foi convocado para substituir Mark Hunt e liderar o UFC Fight Night ocorrido na Austrália contra Marcin Tybura, Foi uma luta dura, mas vencida por Werdum na decisão dos juízes. Agora, ele vai até Londres para encarar Alexander Volkov, outro peso-pesado que está abaixo dele no ranking oficial da divisão. O brasileiro tem cumprido seu papel de funcionário e, sem escolher luta, está aceitando enfrentar rivais que não necessariamente o ajudarão a chegar a uma nova disputa de título. Mas talvez ele esteja usando da sua postura para agradar a organização. O que não está errado.

Vale lembrar que Werdum se envolveu em diversas polêmicas no ano passado. O brasileiro perdeu o posto de comentarista do UFC América Latina por conta de uma piada feita na internet com a patrocinadora oficial do Ultimate e ficou meses sem participar das transmissões – ele só voltou ao cargo no mês passado. Além disso, ele foi punido por conta de ofensas homofóbicas a Tony Ferguson durante uma discussão em um evento promocional do UFC 216, e para completar, em novembro, ele foi denunciado à polícia depois de arremessar um boomerang e discutir com o lutador do UFC Colby Covington.

Esses últimos acontecimentos contrastam com o trabalho feito dentro do octógono. O que não é ruim. O lutador tem personalidade e isso nem sempre agrada a todos. O importante é encontrar o meio termo para que suas atitudes dentro do cage não sejam influenciadas por nada que aconteça fora dele.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar