Ganhador.com

Copa do Mundo Rússia 2018

França-2018 x Brasil-2002: qual o melhor campeão de Copa do Mundo deste século?

Foto: Matthias Hangst/Getty Images e David Cannon/Getty Images

Título contundente sobre a Croácia oferece bons argumentos para colocar Mbappé e Griezmann no mesmo nível de Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho

Tal comparação causa estranheza no Brasil – colocar a Amarelinha em xeque gera uma resistência imediata, o que é mais do que natural, por ser um país que preza tanto pela tradição nos gramados. E o fato de ser com a França, algoz brasileira, ainda mais (tanto que precisei consultar o nosso apaixonado editor anti-futebol-francês para saber se valia a pena insistir com este tema ou não).

Mas para quem olha o futebol sem enxergar tanto a camisa ou a bandeira, a sensação que se tem com o final desta Copa do Mundo da Rússia é que a França de Griezmann e Mbappé merece ser olhada como a melhor campeã mundial deste século, em que pese o timaço do Brasil de 2002 e a sua campanha impecável no Mundial da Ásia. Mas há algumas particularidades que merecem ser detalhadas pelo Ganhador a partir de agora.

França faz mais com menos

É claro que não nos esquecemos do trio de “Rs”, Ronaldinho, Ronaldo e Rivaldo – e ainda com a ajuda sempre valiosa de Roberto Carlos. Mas todos eles chegaram àquela campanha impecável de 2002 já como estrelas e alguns com a rodagem de chegar à sua terceira final seguida, caso de Cafu. O que se viu na Coreia e no Japão foi uma seleção vencedora em todos os jogos, é verdade, mas que oscilou demais e que não teve a contundência demonstrada pela França agora na Rússia. Outro argumento pró-Mbappé e Griezmann? Eles desabrocharem para o futebol de ponta justamente na Copa, algo que os brasileiros de 2002, quase “medalhões”, não precisaram.

O primeiro tempo da decisão contra a Croácia foi claro o suficiente para demonstrar o quão letal foi esta França. Os Azuis chutaram ao gol apenas uma vez – e mesmo assim já ganhavam por 2×1, pelo gol contra de Mandzukic e pelo pênalti cobrado com perfeição por Griezmann.

Não nos esquecemos também dos oito gols de Ronaldo em 2002 – convenhamos que não deveria ser diferente enfrentando defesas esquálidas como China e Costa Rica. Mas o mata-mata em si mostrou problemas ao Brasil que a França realmente não teve.

(Eram, afinal, tempos em que não se existia o VAR, e se ele fosse usado, a partida daquelas oitavas de final contra a Bélgica certamente começaria com os belgas na frente. O Brasil foi ajudado demais pela arbitragem naquele jogo, algo que a França não experimentou em nenhuma partida desta campanha – salvo, talvez, pelo primeiro tempo da final.)

Trajetória mais eficaz

Os brasileiros têm na ponta da língua a partida mais difícil da Copa de 2002: o 2×1 de virada contra a Inglaterra, com o “gol espírita” de Ronaldinho Gaúcho que ainda seria expulso logo depois. E é praticamente impossível falar de algum sobressalto francês nesta Copa, porque a seleção comandada por Didier Deschamps esteve sempre com o baralho na mão. Não tremeu nem quando levou a virada da Argentina nas oitavas, transformando um 1×2 em um 4×2 em meros 11 minutos de jogo numa partida histórica tanto para franceses como argentinos.

O Brasil em 2002 enfrentou a Alemanha na decisão, uma rival de camisa muito mais pesada que a Croácia, com certeza, mas era uma Alemanha muito aquém da sua tradição, que chegou à decisão suando para deixar pelo caminho adversários praticamente nulos como Estados Unidos e Coreia do Sul – enquanto esta Croácia tirou a Inglaterra, que ostentava a sua melhor geração dos últimos anos.

Por fim, algo que pode deixar a situação ainda mais clara, convém lembrar que o título brasileiro em 2002 veio de uma falha de um goleiro, do até então impecável Oliver Kahn, que soltou uma bola no pé de Ronaldo que chutou para o gol vazio para abrir o marcador. E esta França foi campeã com um auto-explicativo 4×2 na decisão ainda dando um gol “de lambuja”, com a falha de Lloris quando o jogo estava 4×1.

Para este humilde escriba do Rio da Prata, a França merece, sim, ser colocada como a melhor campeã de Copa do Mundo deste século, levemente acima do Brasil de 2002, pelas razões já mencionadas.

E onde colocamos as demais? A Espanha-2010 perdeu na estreia para a Suíça e só ganhou a final contra a Holanda na prorrogação. Os franceses jamais precisaram de tempo extra agora na Rússia. A Itália-2006 vai carregar para sempre a dúvida sobre o que aconteceria caso Zidane não acertasse aquela cabeçada insana no peito de Materazzi. E a Alemanha-2014 arrasou o Brasil no Mineirão, é verdade, mas sofreu horrores tanto contra a Argélia nas oitavas como na decisão contra a Argentina – que ganhou jogando pior que Messi e companhia.

E para você? Brasil-2002 ou França-2018? Qual é a melhor seleção a ganhar uma Copa do Mundo neste Século XXI?

França campeã 2018

Campanha – 1ª fase 

  • 1ª fase: 2×1 Austrália
  • 1ª fase: 1×0 Peru
  • 1ª fase: 0x0 Dinamarca
  • Oitavas: 4×3 Argentina
  • Quartas: 2×0 Uruguai
  • Semi: 1×0 Bélgica
  • Final: 4×2 Croácia

Brasil campeão 2002

Campanha 

  • 1ª fase: 2×1 Turquia
  • 1ª fase: 4×0 China
  • 1ª fase: 5×2 Costa Rica
  • Oitavas: 2×0 Bélgica
  • Quartas: 2×1 Inglaterra
  • Semi: 1×0 Turquia
  • Final: 2×0 Alemanha

 

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Humor: Irredutíveis gauleses | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar