Ganhador.com

Copa Sul-Americana

Fluminense x Defensor: Longe da briga pelo título do Brasileirão, Fluminense foca na Copa Sul-Americana

Prognóstico do jogo entre Fluminense e Defensor pela segunda fase da Copa Sul-Americana 2018.
FOTO: LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.

Após classificação dramática contra o Nacional Potosí na Bolívia, tricolores têm duelo perigoso contra os uruguaios 

O Fluminense dá sequência ao projeto “título da Copa Sul-Americana 2018” nesta quinta-feira (2 de agosto) ao receber o Defensor, do Uruguai, no estádio do Maracanã, às 21h45, pela segunda fase do torneio continental. Em posição intermediária na tabela do Brasileirão e longe da briga pelo título – 15 pontos de desvantagem para o líder Flamengo – , o Tricolor das Laranjeiras vê na competição sul-americana uma possibilidade real de conquistar um troféu de importância nesta temporada.

Fase tricolor

O Fluminense chega para a segunda fase da Copa Sul-Americana calejado após quase perder uma classificação que parecia ser consumada. Depois de golear o Nacional Potosí por 3×0 no Maracanã, o então time treinado por Abel Braga foi à Bolívia podendo perder por até dois gols. Sentindo o efeito da altitude, o Tricolor Carioca sucumbiu ao Nacional por 2×0, mas só se manteve vivo no torneio graças ao goleiro Júlio César e a dupla de zaga Renato Chaves e Gum, os destaques daquele embate.

Com Abelão já fora do clube, caberá ao técnico Marcelo Oliveira levar o clube à taça. Em quatro partidas com a nova equipe, o bicampeão brasileiro com o Cruzeiro tem duas vitórias, um empate e uma derrota. O último jogo marcou justamente o fim de sua invencibilidade no comando do Fluzão, ao perder para o Ceará pela 16ª rodada do Brasileirão.

Em nono na tabela e longe da disputa pelo título, o Fluminense foca na Copa Sul-Americana para poder retornar à Copa Libertadores. Com expectativa de casa cheia, já que a diretoria tem trabalhado em promoções de ingressos para trazer o torcedor de volta ao Maracanã, o time das Laranjeiras tem na atual sincronia dos jogadores com a massa tricolor para passar por um duro rival.

Dentro de campo, Marcelo Oliveira pode finalmente abandonar a escalação cautelosa com três volantes e optar por um time mais ofensivo. Se isso acontecer, um dos marcadores (Richard, Jadson ou Matheus Norton) deve ir para o banco. Assim, Matheus Alessandro pode surgir. Na frente, o Flu terá o retorno de Marcos Júnior, que entra no lugar de Júnior Dutra, uma das novidades da lista para esta fase da competição, mas que está vetado por conta de um edema na coxa esquerda.

 

Como vem o Defensor

Assim como o Fluminense, o Defensor vem de derrota no Nacional. Mas ao contrário do time brasileiro, que está na metade da temporada, o rival uruguaio ainda tenta pegar ritmo depois de duas rodadas do Campeonato Uruguaio. A última, inclusive, com um revés no clássico com o Danúbio, por 2×1, em pleno Luis Franzini.

Vindo da Copa Libertadores por terminar a fase de grupos na terceira posição do Grupo A, com Grêmio e Cerro Porteño avançando às oitavas de final, o clube chega à Copa Sul-Americana com diversas modificações do plantel que foi vice-campeão uruguaio em 2017. Peças como Maxi Gomes, Carlos Benavídes, Matías Cabrera, Gonzalo Carneiro e Facundo Castro já deixaram o clube, obrigando a equipe dirigida por Eduardo Acevedo passar por uma reformulação. Chegaram Martín Correa, Matías Santos (Veracruz) e Álvaro Navarro (Puebla), mas a equipe ainda não engrenou. Tanto é que ocupa o oitavo lugar no Clausura.

Em meio à instabilidade que cerca o clube desde o período pré-Copa do Mundo, o Defensor espera voltar a eliminar um carioca em competição internacional depois de 11 anos. Em 2007, o clube derrubou o favorito Flamengo nas oitavas de final da Copa Libertadores – goleada por 3×0 no Uruguai e derrota por 2×0 no Rio de Janeiro.

 

As escalações

Fluminense: Júlio César, Gilberto, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Jadson (Matheus Alessandro), Mateus Norton e Sornoza; Marcus Júnior e Pedro.
Técnico: Marcelo Oliveira

Defensor: Guillermo Reyes, Maulella, Nicolás Correa e Emiliano Álvarez; Ayrton Cougo, Rabuñal, Cardacio, Mathías Suárez e Boseli; Germán Rivero e Pablo López.
Técnico: Eduardo Acevedo

 

Palpite

Apesar de o Defensor não ter a força de Peñarol ou Nacional, o time uruguaio deve ser um bom medidor para avaliarmos onde o futebol do time carioca pode chegar. Principalmente para sabermos como alguns jovens, como o goleador Pedro, irá se comportar em um jogo que promete ser pegado e catimbado. Ainda assim, o Fluzão sai na frente e deve ganhar o embate por diferença mínima.

 

Confira os jogos da segunda fase da Copa Sul-Americana 2018

Terça-feira, 31 de julho

  • 19:30 – Jorge Wilstermann 2 (5 x 6) 2 Deportivo Cuenca – Palpite: Jorge Wilstermann
  • 19:30 – El Nacional 1×0 Defensa y Justicia – Palpite: El Nacional
  • 21:45 – Santa Fe 2×0 Rampla Juniors – Palpite: Santa Fe

Quarta-feira, 1º de agosto

  • 19:30 – Nacional-PAR 2×1 Botafogo – Palpite: Nacional-PAR
  • 21:45 – Banfield 2×0 Boston River – Palpite: Banfield

Quinta-feira, 2 de agosto

  • 19:30 – São Paulo x Colón – Palpite: São Paulo
  • 21:45 – Bolívar x Deportivo Cali – Palpite: Bolívar
  • 21:45 – Fluminense x Defensor – Palpite: Fluminense

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar