Ganhador.com

Fórmula 1

Com Vettel na liderança, Fórmula 1 retorna à Europa para o GP da França

Sebastian Vettel
Foto: Charles Coates/Getty Images

Após vitória no Canadá, alemão superou Lewis Hamilton na tabela de classificação

Neste domingo (24), o circo da Fórmula 1 retorna à Europa para a oitava etapa do campeonato mundial. Os pilotos da Ferrari, Sebastian Vettel, e da Mercedes, Lewis Hamilton, chegam à França separados por apenas um ponto na tabela de classificação. Valtteri Bottas assumiu a terceira colocação, deixando para trás o australiano Daniel Ricciardo, que com sua RBR foi apenas o quarto mais rápido no GP do Canadá.

Localizado entre as cidades de Toulon e Marselha, o circuito de Paul Ricard se caracteriza pela grande quantidade de zonas rápidas intercaladas com curvas extremamente longas. Na mais famosa e temida, a chamada Signes, os carros podem chegar a até 290 km por hora. A prova marcará o retorno da Fórmula 1 à pista após 28 anos. Para aumentar a competitividade, a FIA anunciou que a corrida terá duas zonas DRS, aquelas em que os pilotos podem acionar o Sistema de Redução de Arrasto e tornar seus carros mais rápidos com a abertura de um flap na asa traseira. Um deles será na primeira reta longa, e o segundo na reta de chegada.

 

­­­­

Vettel volta a vencer e assume a ponta

Tudo deu certo para Sebastian Vettel no GP do Canadá. O piloto da Ferrari largou na pole position, voltou a vencer após quatro corridas, e de quebra ainda viu seu rival, Lewis Hamilton, cruzar a linha de chegada em uma modesta quinta colocação. Com este resultado, o alemão chegou aos 121 pontos, um a mais do que o inglês, e após a disputa de um terço do campeonato, incendiou a briga pela primeira posição.

Com 207 giros ponteados, o equivalente a 47,70% do total, Vettel foi disparado o piloto que completou mais voltas na liderança nestas sete primeiras provas, e o único a atingir a marca de três dígitos. Neste quesito, Hamilton é apenas o terceiro colocado, com 87.

Depois de padecer nas últimas provas com a redução no perfil dos pneus Pirelli, a Ferrari desenvolveu um novo sistema de suspensão traseira capaz de adaptar melhor o carro. A solução já foi testada nos treinos, mas será utilizada pela primeira vez em uma corrida no GP da França. No momento, a escuderia italiana aparece em segundo lugar no Mundial de Construtores, 17 pontos atrás da Mercedes.

Mercedes usará novo motor na França

A vitória de Vettel no Canadá preocupou o chefão da Mercedes, Toto Wolff, que declarou que o resultado ligava o alerta vermelho nos adversários. O clima na equipe alemã, que colocará em ação no GP da França a segunda geração dos motores W09, de fato, não é dos mais otimistas.

“Definitivamente não somos favoritos para o GP da França, isso é um fato.”, lamenta Valtteri Botas. O finlandês acredita que a troca de motor não será suficiente: “Precisamos melhorar o carro. Já vimos que em pistas com muitas curvas como Mônaco estávamos longe de ser o melhor carro. Então, temos trabalho a fazer em todas as áreas, definitivamente. Espero que possamos ter algumas outras melhorias também no carro, porque cada equipe está desenvolvendo agora corrida por corrida e a competição está bem difícil.”

Com problemas em sua unidade motriz, Hamilton sequer subiu ao pódio na última corrida, e faz coro com os críticos da falta de competitividade nas pistas em 2018. Para o inglês, o GP da França corre o risco de ser mais uma prova monótona.

“Ouvi dizer que no Canadá houve menos ultrapassagens do que em Mônaco, algo assim. Alguns dos meus amigos disseram que a parte mais emocionante da corrida foi um acidente no começo. Se é sobre isso que a Fórmula 1 é, é triste de ouvir, porque há muito mais nisso. Eu realmente não sei o que isso vai proporcionar. Será uma corrida chata como Montreal ou uma empolgante como em Baku? Eu realmente não poderia dizer.”, ponderou.

Apesar do pessimismo, o inglês segue muito vivo na briga pelo título, e retomará a liderança caso termine na frente de Vettel.

Red Bull corre por fora

Consolidada como uma das três grandes forças da Fórmula 1 atual, a RBR paga o preço pela sua falta de regularidade de seus pilotos. Ricciardo poderia ter encostado nos líderes no Canadá, mas perdeu uma posição na tabela depois de terminar na quarta colocação. Max Verstappen, que se destacou nos treinos livres, completou o pódio na terceira posição.

O motor Renault, no entanto, vem apresentando constantemente um desempenho superior ao das Mercedes, e não será nenhuma surpresa se conseguir andar mais rápido em Paul Ricard.

Programação do GP da França 2018

  • Sexta-Feira, 22/06 – 07:00 – 1º Treino Livre
  • Sexta-Feira, 22/06 – 11:00 – 2º Treino Livre
  • Sábado, 23/06 – 08:00 – 3º Treino Livre
  • Sábado, 23/06 – 11:00 – Treino Classificatório
  • Domingo, 24/06 – 11:10 – Corrida

Classificação do Mundial de Pilotos 2018

  • 1º Sebastian Vettel, 121
  • 2º Lewis Hamilton, 120
  • 3º Valtteri Bottas, 86
  • 4º Daniel Ricciardo, 84
  • 5º Kimi Raikkonen, 68
  • 6º Max Verstappen, 50
  • 7º Niko Hulkenberg, 32
  • 8º Fernando Alonso, 32
  • 9º Carlos Sainz Jr., 24
  • 10º Kevin Magnussen, 19
  • 11º Pierre Gasly, 18
  • 12º Sergio Pérez, 17
  • 13º Esteban Ocon, 11
  • 14º Charles Leclerc, 10
  • 15º Stoffel Vandoorne, 8
  • 16º Lance Stroll, 4
  • 17º Marcus Ericsson, 2
  • 18º Brendon Hartley, 1
  • 19º Sergey Sirotkin, 0
  • 20º Romain Grosjean, 0

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar