UFC

Cinco opções de rivais para Lyoto Machida enfrentar em sua próxima luta no UFC

Foto: Divulgação/UFC

Depois de encarar – e vencer – uma difícil batalha contra Eryk Anders na luta principal do UFC Fight Night que aconteceu em Belém, no último sábado (3), Lyoto Machida apontou Michael Bisping como rival pretendido para seu próximo compromisso dentro do octógono. Mas como no mundo das lutas tudo pode acontecer a qualquer momento, é sempre bom ter mais de uma opção na manga.

Eis cinco opções de adversários para o futuro de Lyoto Machida no UFC:

Michael Bisping

Sim, o astro inglês é um nome interessante. Seria um duelo de veteranos que estão perto da aposentadoria. Bisping mais do que o brasileiro, mas diante da performance em Belém, com mais um ou dois resultados negativos, Machida pode muito bem considerar o fim de sua trajetória. Se o Lyoto Machida de hoje não é o mesmo de anos atrás, o Michael Bisping também não é. O inglês vem de duas derrotas traumáticas e busca um par para sua despedida do MMA. Lyoto pode ser uma boa oportunidade do inglês se despedir em grande estilo do esporte. Um rival expressivo e um duelo competitivo. Para Machida, é uma boa opção também por se tratar de uma chance de levantar a sua moral e recuperar a confiança se bater o ex-campeão da divisão. Sem contar que ambos podem faturar alto com a luta. Um combate entre os dois pode vender muito bem e garantir um bom salário a ambos, seja onde for o duelo. Um belo incentivo no caminho rumo à aposentadoria.

Vitor Belfort

Este é mais um nome em busca de seu par para a despedida. Lyoto já chegou a desafiar Vitor anos atrás, mas o duelo nunca saiu do papel. Embora já tenha declarado preferir enfrentar atletas gringos, Machida admitiu que aceitaria encarar Belfort em sua próxima luta. Seria um duelo interessante. É uma luta competitiva entre lendas brasileiras. Pode liderar um evento no Brasil ou ter destaque em qualquer lugar do mundo. Faria sentido para ambos nesta fase da carreira.

Uriah Hall

Nono colocado no ranking, Hall poderia ser um bom combate para o futuro de Machida. O jamaicano tem seus altos e baixos, mas é um atleta de certa expressão. Uma vitória contra ele daria a Lyoto confiança para seguir em frente na categoria e seguir sonhando com um reencontro com o cinturão. Hall chegou a ser escalado para enfrentar Belfort, em janeiro, mas teve problemas no corte de peso e acabou ficando fora da disputa.

David Branch

É outra boa opção para Lyoto, atual número 13 na divisão dos médios. Uma vitória contra David, oitavo colocado na lista, pode garanti-lo no top 10 da categoria e fazer com que ele se aproxime do topo. É um degrau na medida, cuidadoso. Tem seus riscos, assim como toda luta. Mas Lyoto é capaz de vencer Branch em um bom dia.

Kelvin Gastelum

Este é um desafio mais ousado. Gastelum representa, na minha opinião, o limite da categoria para Machida encarar atualmente. Incluindo Kelvin, todos os nomes do topo da divisão dos médios (leia-se: Chris Weidman, Ronaldo Jacaré, Luke Rockhold, Yoel Romero e Robert Whittaker) me parecem desafios pesados demais para Lyoto encarar no momento. O carateca precisa melhorar bastante coisa para melhorar suas chances contra um desses nomes. Machida seria azarão contra todos, e teria grandes dificuldades.

Seja qual for o futuro de Lyoto Machida, se ele realmente sonha com cinturão do UFC, ele deve enfrentar um rival mediano. Depois da performance sem brilho contra Eryk Anders, o brasileiro precisa recuperar a confiança. Dele, dos fãs nele e da própria organização do UFC. Aos 39 anos, Machida é uma lenda a ser preservada. Não é hora de desafiar os leões da categoria. Com o caminho certo, ele pode chegar longe na divisão.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar