Ganhador.com

Tênis

Chuva atrapalha programação do Rio Open e duelo Cilic x Monfils terá continuação nesta quinta-feira

Foto: Buda Mendes/Getty Images

Francês joga com a vantagem de um set diante do cabeça de chave número 1; brasileiro Marcelo Melo também terá de retornar à quadra para tentar concretizar vitória na rodada de abertura das duplas

O terceiro dia do Rio Open tinha tudo para ser mais um daqueles dias tranquilos no Jockey Club Brasileiro. Mas, como acontece todo ano no torneio brasileiro, a chuva resolveu dar o ar da graça no ATP 500 e, é claro, atrapalhar a programação de quarta-feira (21 de fevereiro). Principal jogo da segunda rodada da chave de simples, Marin Cilic x Gael Monfils foi interrompido no meio do tie-break do segundo set. Em apuros após ceder a primeira parcial, o croata foi salvo pela “água”, já que não vinha encaixando o jogo diante do rival. Já a paralização será certamente lamentada pelo francês, que em melhor fase e até mesmo desperdiçando um match point, poderia fechar o jogo. Confira o que de melhor rolou e, é claro, o que vai rolar logo mais!

 

Chuva: ruim para uns, boa para outros

Dois dos principais tenistas da atual edição do Rio Open, Marin Cilic e Gael Monfils iniciaram o embate em alta intensidade. Mas o fato de o croata realizar apenas sua terceira partida no saibro em 2018 – jogou o confronto da Copa Davis contra o Canadá e a primeira rodada no Rio de Janeiro – pode ter influenciado o seu início instável.

O resultado foi um 6/3 a favor do showman, que adaptado as condições de jogo – é o terceiro torneio na terra batida, na gira sul-americana, que ele disputa na temporada -, conseguiu um repertório melhor.

O segundo set veio e a partida ficou mais equilibrada, apesar de o francês ter aberto 4/2. O terceiro colocado no ranking da ATP igualou as forças, devolveu a quebra e levou a decisão para o tie-break. Lá, o croata abriu 5/2, mas não conseguiu ser eficiente. Aí foi a vez de o francês trazer para si a vantagem, porém também não concretizou o match point.

Com chances desperdiçadas para cada lado, a chuva resolveu não esperar mais e um pé d’água obrigou a partida a ser suspensa. Melhor para Cilic, que terá uma noite inteira para repensar o jogo e quem sabe virar o placar. Vale lembrar que a partida foi paralisada em 7/7. Ou seja, ela pode ter uma duração mínima ou então ter um resultado dramático. Vamos aguardar!

 

O adversário

Quem vencer do embate entre Cilic e Monfils, que é o quarto da história entre os dois jogadores, sendo que o francês tem vantagem de 2-1, pegará Diego Schwartzman. O baixinho argentino despachou o conterrâneo Federico Delbonis por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/3.

 

Chuva vitória de Melo e Kubot

Outra partida que acabou sendo adiada envolvia o atual número 1 do mundo nas duplas Marcelo Melo e seu parceiro Lukasz Kubot, principais favoritos ao título do Rio Open, diante do chileno Nicolas Jarry e do tcheco Jiri Vesely. Eles faziam uma estreia sólida até a chuva tomar conta do Jockey Club Brasileiro. Depois de largar na frente vencendo o primeiro set por 6/4, a parceria do brasileiro empatava a parcial seguinte em 4/4. Agora, terá que retornar à quadra 1 para completar o jogo.

Caso vençam os azarões de logo mais, Melo e Kubot irão entrar novamente em quadra na quinta-feira, em embate válido pela segunda rodada. Eles enfrentarão o vencedor do jogo entre Andres Molteni (ARG)/Horacio Zeballos (ARG) x Thomaz Bellucci/André Sá, que nem chegou a ser realizado na quarta-feira por conta do mau tempo.

 

Início tranquilo

Se Melo e Kubot ainda buscam a primeira vitória no Rio Open, Bruno Soares e o britânico Jamie Murray já trataram rapidamente de garanti-la. A dupla, que já foi campeã do Aberto dos Estados em 2016, passou sem dificuldades por Fabiano de Paula e Thiago Monteiro por 6/3 e 6/1.

Agora, a parceria cabeça de chave número 2 encara o tcheco Roman Jebavy e o argentino Leonardo Mayer nas quartas de final, que surpreenderam na estreia os espanhóis Guilhermo García-López e Albert Ramos. Depois de parar na semifinal da competição em todas as quatro edições, Soares tentará enfim encerar o tabu. Será?

 

Um rival a menos

Se as duplas de Melo e Soares confirmarem o favoritismo nas próximas rodadas, temos tudo para ver uma final entre os dois principais tenistas brasileiros da atualidade. Isso porque a pedra no sapato mineiro chamada Juan Sebastian Cabal e Robert Farah caíram logo na estreia. Bicampeões do Rio Open e atuais vice-campeões do Aberto da Austrália, os colombianos deram adeus logo na primeira rodada. Boa notícia para os brasileiros, que têm caminho aberto – em teoria – para a decisão.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar