Brasileirão Série A

Bahia x Vitória: Invencibilidade de um ano no Ba-Vi é combustível para Tricolores saírem do Z-4 na 14ª rodada do Brasileirão

Prognóstico para o jogo entre Bahia e Vitória na 14ª rodada do Brasileirão da Série A
FOTO: MAURICIA DA MATTA

Primeiro clube dentro da zona do rebaixamento, Bahia depende de um triunfo sobre o arquirrival para sair da confusão e ganhar tranquilidade na sequência da competição

O quarto Ba-Vi do ano entra em ação neste domingo (22 de julho) com as duas equipes agonizando por situações distintas na temporada, mas que terão influências semelhantes dependendo do resultado do clássico de logo mais, que será disputado na Arena Fonte Nova, às 16 horas (horário de Brasília). Se por um lado o Bahia, que tem oito jogos de invencibilidade contra o rival, está pressionado por abrir a zona do rebaixamento com 13 pontos, o Vitória, que pegou o elevador na tabela ao atingir o 13º lugar, convive com um jejum no principal clássico do Estado. Separados por dois pontos na classificação, o jogo de seis pontos é decisivo para os dois lados de Salvador.

 

Momento Tricolor

Na expectativa de ver a Arena Fonte Nova lotada, o Bahia deposita todas as suas fichas em uma vitória sobre o Vitória para encerrar de vez a má fase. Apesar do título Estadual sobre o rubro-negro e a classificação dramática sobre o Vasco para as quartas de final da Copa do Brasil, o Esquadrão de Aço está devendo um bom futebol há tempos. O inesperado vice-campeonato da Copa do Nordeste diante do Sampaio Corrêa, um dos candidatos ao rebaixamento à Série C, e a 17ª colocação no Nacional, jogam toda a pressão para o Tricolor, que há um mês contratou o técnico Enderson Moreira.

Desde que assumiu a equipe, o novo comandante viu o ataque falhar. Foi apenas um gol em quatro jogos disputados. Se ampliarmos para todas as partidas do Brasileirão ainda com Guto Ferreira no comando técnico, a performance do setor é ainda pior, com apenas 11 gols e dono da terceira pior marca entre todos os 20 clubes da Série A.

Tal falta de gols, aliada as constantes idas e vindas de Edigar Junio e Júnior Brumado ao departamento médico, fez a diretoria baiana se mexer, trazendo o atacante Gilberto durante a parada para a Copa do Mundo. Com passagens por Botafogo, São Paulo e recentemente pelo Yeni Malatyaspor, da Turquia, o goleador tem tudo para ser o número 9 que a equipe desejava. E a camisa tricolor parece ter caído bem no jogador, já que anotou o gol do clube no empate com a Chapecoense na Arena Condá.

 

Retrospecto

Apesar da má fase na temporada, o Bahia pode se gabar de ao menos estar invicto no Ba-Vi de 2018. Em três jogos contra os rubro-negros, o Tricolor tem 100% de aproveitamento, incluindo o jogo pela primeira fase do Baianão, marcado por uma briga generalizada entre as equipes. Um dos triunfos mais comemorados no ano foi o placar de 1×0 alcançado na final do Campeonato Baiano em pleno Barradão, que garantiu o 47º título Estadual ao Esquadrão de Aço.

Mas a invencibilidade sobre o Leão é ainda maior ampliarmos o período de jogos. O Bahia não perde para o arquirrival desde abril de 2017, quando caiu na partida de ida da Copa do Brasil por 2×1. De lá para cá são oito clássicos disputados, sendo cinco triunfos da parte tricolor de Salvador e três empates.

Se os números servem de incentivo para o Tricolor de Aço sair da zona do rebaixamento, o Bahia também leva vantagem no histórico do confronto. São 183 vitórias da equipe ao longo de uma rivalidade superior a 80 anos, contra 154 triunfos do Vitória e 149 igualdades.

 

O lado rubro-negro

O triunfo sobre o Paraná na quarta-feira tirou um caminhão das costas da equipe dirigida por Vagner Mancini, que já é a 13ª colocada na classificação com 15 pontos. Mas a distância para a turma do Z-4 é ainda pequena, tanto que um revés logo mais fará com que os rivais superem os rubro-negros na classificação.

Um dos times que mais se movimentaram até agora nesta janela de transferências, o Leão terá à disposição todos os seus oito reforços. O principal deles é o argentino Walter Bou, irmão de Gustavo Bou, goleador do Racing. Aos 24 anos, o hermano tem tudo para começar jogando o clássico já que André Lima, autor do gol salvador sobre o Tricolor Paranaense, está suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Outra novidade deve ser Neilton, principal nome do clube nesta temporada com 18 gols. Após cumprir suspensão, a estrela do Vitória deve ser uma importante arma para acabar com o jejum de oito jogos sem ganhar do rival.

 

Palpite

O momento do Vitória pós Copa do Mundo é melhor, mas clássico é aquela história: não existe favorito. Jogando em casa, o Bahia precisará dar uma resposta para sua exigente torcida, que está cansada dos recentes maus resultados – perda da Copa do Nordeste e quase eliminação na Copa do Brasil. É contando com essa pressão vinda das arquibancadas que o Leão pode ser dar bem, arrancando pelo menos um empate na Arena Fonte Nova.

 

Confira os jogos da 14ª rodada do Brasileirão da Série A

Sábado, 21 de julho

  • 19:00 – Flamengo x Botafogo – Palpite: Flamengo
  • 21:00 – São Paulo x Corinthians – Palpite: empate

Domingo, 22 de julho

  • 16:00 – Paraná x América-MG – Palpite: Paraná
  • 16:00 – Bahia x Vitória – Palpite: empate
  • 16:00 – Vasco x Grêmio – Palpite: Grêmio
  • 16:00 – Palmeiras x Atlético-MG – Palpite: Palmeiras
  • 16:00 – Sport x Fluminense – Palpite: Sport
  • 19:00 – Cruzeiro x Atlético Paranaense – Palpite: Cruzeiro
  • 19:00 – Chapecoense x Santos – Palpite: Chapecoense

Segunda-feira, 23 de julho

  • 20:00 – Internacional x Ceará – Palpite: Internacional

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.