Ganhador.com

Copa Libertadores

Ainda sem uma referência no ataque, Corinthians busca a primeira vitória na Libertadores 2018

Sem um centroavante desde a saída de Jô, o Timão vai distribuindo a responsabilidade de fazer gols com todo o elenco e colhe os frutos de seu futebol “solidário”

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Recuperando, jogo a jogo, a solidez defensiva da temporada passada, o Corinthians vai se adaptando ao novo esquema tático de Fábio Carille.

Atuando sem um centroavante típico desde a venda de Jô, muito se falou sobre como o Corinthians – que passou boa parte da temporada de 2017 decidindo seus jogos em “uma bola” graças à competência de seu ex-camisa 9 – definiria seu ataque para esta temporada. Após muito insistir em “improvisações” nas primeiras rodadas do Campeonato Paulista com Kazim e Júnior Dutra, Fábio Carille deu-se por vencido e diante da incapacidade da cartolagem alvinegra para lhe entregar o reforço que tanto pediu, reviu seus conceitos e colocou o Timão para jogar no antigo 4-2-4, com dois pontas abertos pelos lados do campo e a infiltração de seus meias – Rodriguinho e Jadson – ocupando o espaço que seria do centroavante. E para surpresa de muitos, os números, mais uma vez, estão do lado do “professor” e seu limitado elenco. Resta saber se, à exemplo do que aconteceu na temporada passada com as conquistas dos títulos Paulista e Brasileiro, a nova formação dos “operários alvinegros” será o bastante para alçar vôos mais altos na Copa Libertadores da América. Jogando em casa, o Timão quer muito uma vitória sobre os venezuelanos do Deportivo Lara, atual líder do Grupo 7, logo mais, às 21:45 no Itaquerão.

 

Números favoráveis

Após começar a temporada alimentando a desconfiança de sua torcida com a falta de grandes reforços e a perda de peças importantes – Jô e Guilherme Arana – o Corinthians demorou para ganhar ritmo e encontrar uma nova forma de jogar. Mas, a espera valeu a pena. Dono da segunda melhor campanha do Campeonato Paulista, o Timão defende hoje uma invencibilidade de seis jogos (incluindo aí o empate em 0 a 0 com o Milionários da Colômbia na primeira rodada da fase de grupos da Libertadores). Vem de duas vitórias seguidas no estadual – uma delas os 2 a 0 sobre o Botafogo no domingo passado com um time misto – e acumula em seu estádio, nos últimos 10 jogos, 7 vitórias, 1 empate e 2 derrotas.

Seu ataque – calcanhar de aquiles do time depois que os problemas do lado esquerdo da defesa aparentemente foram resolvidos primeiramente com Maycon (improvisado) e depois com Sidcley – marcou em 8 dos últimos 10 jogos que disputou graças ao “esquema solidário” que, na falta de um camisa 9, distribui a responsabilidade de finalizar entre todos os jogadores. Mas isso não quer dizer que tudo é um mar de rosas para o Timão. Longe disso.

A equipe saiu atrás no placar em 5 ocasiões nesta temporada e conseguiu apenas uma virada o que indica aos adversários que marcar o primeiro gol pode ser o melhor caminho para garantir, no mínimo, um empate contra o Corinthians.

Em sua estreia na Libertadores, o Timão não saiu do 0 a 0 contra o Milionarios na Colômbia. Não foi um resultado ruim, mas o futebol apresentado pelo Avinagro no segundo tempo do duelo deixou muito claro que, tivesse o time se poupado menos na etapa inicial – culpa do fantasma da altitude – voltar para São Paulo com os 3 pontos na bagagem não seria de todo impossível (ou improvável).

Para o jogo de hoje as 21:45 no Itaquerão (com TV), Fábio Carille terá apenas o desfalque de Jadson, que sentiu a coxa direita no treino de ontem e será poupado por recomendação do Departamento Médico – juntando-se a Renê Júnior que começou muito bem mas agora, lesionado, perde espaço no time principal e Marquinhos Gabriel que passa tanto tempo no DM alvinegro que cogita investir em imóveis por lá. O veterano Émerson Sheik – que retornou ao clube nesta temporada em uma contratação muito criticada por torcida e conselheiros da oposição dentro do clube –, deverá ser a escolha de Carille para substituir Jadson.

 

O líder improvável

Os Deportivo Lara chega como a grande surpresa do Grupo 7 na segunda rodada. Após vencerem o favorito Independente fora de casa  na abertura do grupo, os venezuelanos chegam ao Itaquerão querendo manter o seu bom momento na temporada e conquistar a segunda vitória como visitante na Libertadores e disparar na liderança do grupo. “Jogar fora” também é uma situação que pouco afeta o adversário do Corinthians na noite de hoje. Somando todas as competições, o Deportivo Lara conquistou em seus últimos 30 jogos, 7 vitórias, 5 empates e 3 derrotas como visitante contra 8 vitórias, 4 empates e 3 derrotas como mandante. Um desempenho bastante parelho dentro e fora de casa. Se pegarmos apenas as últimas 10 apresentações dos venezuelanos (independente de onde foi realizado o jogo), foram 4 vitórias, 4 empates e 2 derrotas.

Invicto há 3 partidas e com apenas 1 gol sofrido no período, o time venezuelano chegará para o duelo de hoje sem problemas em seu time titular e jogando, muito provavelmente, no 4-2-3-1 que o Timão usou tão bem em 2017.

 

Palpite para Corinthians x Deportivo Lara

O Corinthians joga em casa, tem uma defesa que está encontrando sua melhor forma (uma obsessão de seu treinador) e um ataque que está aprendendo a viver sem Jô. No papel, tem um elenco superior e uma estrutura que o torna favorito para o duelo de hoje contra o novíssimo (pouco mais de 10 anos de fundação) Deportivo Lara. Deve, entretanto, se mirar no exemplo do Independente que entrou com um salto 15 na rodada anterior e foi surpreendido em casa. Se jogar sério e simples, o Timão vence (apertado) e conquista sua primeira vitória nesta edição da Libertadores.

 

Vasco cai em São Januário

Seguindo o exemplo dos demais clubes brasileiros que não venceram na primeira rodada da fase de grupos – exceto o Palmeiras –, o Vasco também estreou ontem, terça-feira, com uma derrota diante de sua torcida que lotou São Januário na expectativa de ver uma grande vitória contra a equipe da Universidade de Chile. No aniversário do técnico Zé Ricardo, os chilenos trataram de botar água no chope e assoprar as velinhas no terço final do segundo tempo, quando Araos – que já havia exigido boa defesa de Martín Silva aos 21 minutos – recebeu cobrança de lateral e, no vacilo do zagueiro Paulão, bateu fraco contra a meta do goleiro uruguaio, que aceitou.

Os donos da casa ainda tentaram o empate mas só conseguiram levar perigo aos 44 minutos em um cruzamento que passou por toda a área de La U.

Sob as vaias da torcida – principalmente contra Evander, que errou muitos passes, e Paulão que falhou no lance do gol – o Vasco deixou o gramado e agora se concentra para o próximo jogo na Libertadores, contra o Cruzeiro, no dia 4 de abril, em Minas. Até lá, o cruz-maltino volta suas atenções para o Campeonato Carioca.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar