Ganhador.com

Brasileirão Série A

Terminado o Campeonato Brasileiro de 2017, é hora de pensar o Brasileirão de 2018

Veja quem sobe e quem desce ao final da temporada e o que os clubes estão fazendo para se reforçarem em 2018.

Foto: Agência Corinthians

Encerrada a 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, é chegado o momento de avaliar os resultados, analisar quem se deu bem e quem se deu mal na temporada e o que podemos esperar em 2018 – ano de Copa do Mundo e calendário apertado.

O Brasileirão terminou com uma rodada de poucas surpresas – uma grande surpresa para ser honesto: os 3 a 0 do Atlético-PR pra cima do Palmeiras. No mais, nenhum resultado fora da normalidade – mas vale o destaque para os 7 gols de Atlético-MG e Grêmio (4 a 3 para o Galo).

Com o título antecipado do Corinthians, a rodada tinha ainda três questões a serem respondidas:

  • Quem leva o vice-campeonato?
  • Como fica o G-8 (e o eventual G-9)?
  • Como os clubes estão se preparando para 2018?

Pela ordem, vamos primeiro fazer um breve resumo dos jogos da última rodada.

 

Não chegou a dar sono

Com pouca coisa em jogo na última rodada, os resultados, no geral, foram quase todos dentro da normalidade. Como “pontos fora da curva” tivemos:

Atlético-PR 3 x 0 Palmeiras

Canditado ao título, o Palmeiras teve que se contentar com o vice-campeonato. (foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Grande surpresa da rodada o jogo teve o Furacão arrasador no primeiro tempo. 3 a 0 construídos nos primeiros 45 minutos em cima de um apático Palmeiras que, num reflexo de sua péssima temporada, pouco fez para reverter o placar. A sorte entretanto sorriu para o Verdão na despedida do “professor” Alberto Valentim: os demais resultados da rodada garantiram o vice-campeonato para o alviverde e a bolada de mais de R$ 11 milhões – que deve dar um refresco ao  bolso do patrocinador em 2018.

O resultado, infleizmente não foi o bastante para colocar o Atlético-PR na Libertadores, mas, feliz com a vaga na Sul-Americana, a torcida rubro-negra comemorou também a queda do rival Coritiba para a Série B.

Atlético-MG 4 x 3 Grêmio

Considero o jogo um dos dois “pontos fora da curva” na rodada pelo placar e não pela vitória do Galo. Como foi dito nas Caneladas, se o Atlético-MG, com o elenco que tem, não desse conta de vencer – em casa – um time composto apenas por garotos do Grêmio, era melhor fechar a Cidade do Galo e repensar essa história de continuar com futebol. Mas 7 gols, isso , sim foi uma surpresa. E não foi fácil.

O Galo precisou correr atrás do resultado por 3 vezes até conseguir a virada salvadora. Aos 33 minutos do primeiro tempo, Jean Pyerre colocou o Grêmio na frente. 3 minutos depois, Elias empatou para o Atlético, que levou o segundo aos 44 em lance (novamente) de Jean Pyerre concluído por Pepê. Nos acréscimos, Otero empatou mais uma vez.

O segundo tempo seguiu movimentado e Batista, aos 15 minutos, recolocou o Grêmio na frente. Fred aos 20 conquistou novo empate. Aos 37, o Galo ficou com um a menos após a expulsão de Gustavo Blanco – que fez entrada dura em Pepê. Pouco depois, uma queda de energia paralisou o jogo por 11 minutos. Com a bola rolando, aos 53, Otero, de falta, fechou a fatura para o alvinegro mineiro que agora torce pelo Flamengo na Sul-Americana para conseguir entrar na Libertadores em 2018.

Botafogo 2 x 2 Cruzeiro

O esforçado Botafogo do técnico Jair Ventura bem que tentou mas, jogando em casa, não encontrou forças para vencer o Cruzeiro – resultado que o colocaria na Libertadores. O alvinegro saiu na frente com Brenner, levou a virada com Thiago Neves e Arrascaeta, foi buscar o empate com o jovem Ezequiel e foi só isso. Com apenas 2 pontos conquistados nos últimos 15 disputados, o Fogão despencou na tabela e com 53 pontos fechou o Brasileirão na 10ª posição.

Vasco 2 x 1 Ponte Preta

Enfrentando a rebaixada Ponte Preta, o Vasco da Gama fez a sua lição de casa e, dependendo apenas de si para chegar à Libertadores, venceu de forma convincente em São Januário com gols de Paulinho e Mateus Vidal. No final do jogo, Lucca diminuiu cobrando pênalti, mas nada que pudesse acabar com a festa cruzmaltina – que não foi maior porque, no último lance de seu jogo, o Flamengo fez o gol que impediu que o rival entrasse diretamente na fase de grupos. Precisará jogar a pré-Libertadores – o que para um time que chegou a se engraçar com o rebaixamento, é um grande resultado.

Vitória 1 x 2 Flamengo

O torcedor do Vitória passou por fortes emoções ontem: viu seu time sair na frente ainda no primeiro tempo, tomar o empate aos 30 do segundo, levar a virada aos 50 em gol de Diego (cobrando pênalti) e passar segundos na Série B – até o gol salvador da Chapecoense que rebaixou o Coritiba. De sua parte, o Flamengo se garantiu na fase de grupos da Libertadores e fez um excelente aquecimento para encarar o Independiente no primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira.

Chapecoense 2 x 1 Coritiba

O jogo que fez a festa de dois rubro-negros: Atlético-PR, que comemorou o rebaixamento do rival, e Vitória, que celebrou sua permanência na Série A.

No mesmo estádio onde, há exatamente um ano, 50 pessoas eram veladas, a Chapecoense fechou a sua melhor campanha no Brasileirão com a vaga para a Libertadores no último lance do jogo que teve o Coritiba abrindo o placar aos 14 minutos com Kleber. Mas Elicarlos, no final do primeiro tempo deixou tudo igual.

No segundo tempo o jogo ficou mais aberto – principalmente porque o Sport batia o Corinthians, o que obrigava o Coxa a vencer para não cair. Foram oportunidades dos dois lados até que aos 50 minutos Túlio de Melo aproveitou a assistência de Apodi e deu a vitória aos donos da casa que disputarão, novamente, a Libertadores. Para o Coritiba, sobrou a disputa da Série B em 2018.

Sport 1 x 0 Corinthians

Como era de se esperar, o Sport não encontrou grande resistência para vencer o Corinthians e se garantir na Série A – ajudado, é claro, pela derrota do Coritiba. Com boa parte dos titulares de férias e escalando um time repleto de jogadores que não foram utilizados na temporada, o atual campeão Brasileiro pouco se importou com o resultado. Melhor para André – que não agradou em outros clubes (inclusive no próprio Corinthians) – e, autor do gol da vitória, vem pouco a pouco se candidatando ao posto de “ídolo” no rubro-negro ao lado de Diego Souza. Terá toda a temporada de 2018 – na Série A – para conseguir.

Santos 1 x 1 Avaí

Foi por muito pouco que o Avaí não se manteve na Série A. Jogando melhor que o Santos em plena Vila Belmiro, o time catarinense ficou a apenas 1 gol de seu objetivo. Tudo por conta de um problema, aliás, que a equipe mostrou em toda a temporada: a má-qualidade de seu ataque.

Copete, aos 30 minutos do primeiro tempo, abriu o placar. Pedro Castro (ex-Santos) empatou 1 minuto depois. No segundo tempo do jogo que marcou também a despedida de Elano do comando da equipe, só deu Avaí, mas a falta de qualidade nas finalizações – e a presença de Vanderley no gol do Peixe – determinou o rebaixamento do time catarinense.

São Paulo 1 x 1 Bahia

Na despedida do zagueiro Lugano, São Paulo e Bahia, que ainda sonhavam matematicamente com uma vaga na Libertadores, morreram abraçados cada um com sua vaga na Sul-Americana.

Apesar da menor posse de bola, o Bahia foi mais perigoso no primeiro tempo mas, sem qualidade na frente, não soube aproveitar as chances que criou. O São Paulo, no segundo tempo, abriu o placar com Brenner mas, a exemplo do que fez em toda a temporada, foi incapaz de definir o jogo e diante de um Bahia que não se apavorou com a desvantagem, voltou a falhar defensivamente na bola parada e permitiu o empate com Éder.

Atlético-GO 1 x 1 Fluminense

Foi em clima de fim de festa que o tricolor carioca conseguiu, diante do lanterna Atlético-GO, o pontinho salvador que o coloca na Sul-Americana de 2018. Sem marcar (Wendell fez para o Flu), Henrique Dourado termina o Brasileirão dividindo a artilharia com Jô do Corinthians.

 

Sobem, descem, ficam na mesma

Subiram

Campeão Brasileiro, o Corinthians, sem dúvida, subiu muito. De equipe que lutaria por um 4º ou 5º lugares, o time de Fábio Carille se mostrou consistente diante de elencos melhores – e maiores – e soube se manter frio nos momentos de baixa durante o returno. Encabeça a lista com méritos.

Vasco: patinou durante boa parte do torneio e chegou a namorar com o Z-4 até que a chegada de Zé Ricardo (“expulso” do Flamengo pela pressão da torcida) recolocou o time nos trilhos e a vaga na Libertadores é um prêmio mais que merecido.

Chapecoense: teve 3 técnicos diferentes ao longo da competição e, mesmo assim, fez seu melhor Brasileirão. Volta à Libertadores e, com organização, pode ir mais longe desta vez.

Descem

O Atlético-MG do artilheiro Fred foi uma das principais decepções da temporada. (foto: Bruno Cantini / Atlético)

Flamengo, Palmeiras e Atlético-MG são, evidentemente, as grandes decepções da temporada. Com elencos cascudos – e caros – os times passaram longe de seus objetivos na temporada. O Verdão se deu melhor, se recuperou (um pouco) com o comando de Alberto Valentim e colocou os dentes no segundo lugar. O Flamengo pode, ainda, ser campeão da Sul-Americana e diminuir o vexame de investir milhões para ser campeão estadual. Diferente do Atlético-MG, que gastou muito, teve 3 técnicos na temporada e termina torcendo pelo Mengão na Sula para conseguir além do campeonato Mineiro, uma vaga na pré-Libertadores.

O São Paulo, que foi uma bagunça durante toda a temporada também cai bastante. Após todos os erros cometidos pela cartolagem do Morumbi, é preciso cair de joelhos e agradecer a vaga na Sul-Americana. É muito mais do que o tricolor fez por merecer em 2017. Que sirva de lição para 2018.

O Fluminense também tem que agradecer a vaga na Sul-Americana sob o comando de Abel Braga. Graças à experiência de seu treinador, o tricolor das Laranjeiras não caiu (de novo) para a Série B. Se o clube não se arrumar para 2018, corre risco de cair na próxima temporada.

O Botafogo que vinha tão bem na temporada, mas que sentiu a falta de títulos e “perdeu o tesão” pelo torneio nacional. Tanto caiu que ficou fora até da pré-Libertadores. Uma pena.

A Ponte Preta, que começou bem o Brasileirão desceu tanto que, merecidamente, foi parar na Série B, ao lado do Coritiba (que também fez por merecer um visto de trabalho na segundona) e de Avaí e Atlético-GO que se esforçaram ao máximo mas não conseguiram evitar a queda mais que esperada.

Na mesma

Grêmio e Cruzeiro fizeram o que deles se esperava quando o Corinthians disparou na liderança do Brasileirão: priorizaram as competições que lhes pareciam mais fáceis de vencer e foram bem-sucedidos. Com o título da Copa do Brasil no bolso, a Raposa apenas cumpriu tabela enquanto que o tricolor gaúcho, focado em conquistar a Libertadores, colocou um time reserva na reta final do Brasileiro. Com o 4º e 5º lugares conquistados fecham o campeonato na mesma: no alto da tabela e sem terem do que se queixar.

No único objetivo que lhe restava, o Santos também foi bem-sucedido e terminou o Brasileirão no G-4 mantendo-se no nível de 2016.

Bahia e Atlético-PR depois que uma série de infortúnios no Brasileirão, terminam no meio da tabela – algo condizente com seus elencos – e com vaga garantida na Sul-Americana. Terminam no lucro.

Sport e Vitória faziam parte do grupo de times que entram no campeonato “lutando para não cair”. Não cairam – o que não significa que entrarão no Brasileiro de 2018 em uma condição muito melhor que a atual.

Substituto do demitido Vanderlei Luxemburgo, Daniel Paulista foi bem-sucedido na tarefa de manter o Sport na Série A. (foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife)

 

O que esperar?

Mal terminamos a temporada de 2017 (menos para Grêmio e Flamengo) e os clubes começam a se movimentar pensando em 2018.

  • O Corinthians – que tem eleições em fevereiro (alguém dê um prêmio ao gênio que colocou esta data) – tem a venda de Guilherme Arana praticamente fechada com o Sevilla e trabalha agora na busca de reforços para o ataque (Kazim deve ir embora e Trelléz está na mira do clube), lateral-esquerda e zaga (após o fim das negociações com Pablo). Com pouco dinheiro, o clube precisa se reforçar com jogadores pouco badalados e que dêem retorno no grupo (casos de Ralf, Paulinho e Felipe) se quiser ser realmente candidato a títulos em 2018. Henrique, zagueiro do Botafogo e Renê Júnior, meia do Bahia, são nomes bem-vistos no Parque São Jorge.
  • No Palmeiras, Roger Machado chega junto com Lucas Lima – que há tempos não tinha destaque no Santos. Alberto Valentim que já declarou não querer voltar ao cargo de auxiliar tem reunião com a duretoria nesta segunda e pode sair, junto com outros jogadores, além de Arouca e Egídio que seguem, respectivamente, para Atlético-MG e Cruzeiro. Reforços são discutidos e David, do Vitória, e Weverton do Atlético-PR podem chegar, além do cobiçado Rafinha (Bayern de Munique).
  • Desde que escapou do rebaixamento, o São Paulo planeja a temporada de 2018. O goleiro Jean do Bahia é um reforço que deve ser anunciado em breve pelo tricolor. As chances de Jucilei seguir no Morumbi também são grandes. Por outro lado, o atacante Gilberto – que não renovou com o clube – pode desembarcar no Santos.
  • Além de poder assinar com Gilberto, precisar definir a vida de Ricardo Oliveira e entrar ou não no “leilão” por Luiz Fernando do Atlético-GO, o Santos passa por eleições agora no final do ano e a primeira coisa que a nova diretoria precisará fazer é achar um técnico, uma vez que publicamente todos no clube dizem que Elano não será efetivado. Abel Braga (disputado por Internacional e Fluminense) é uma possibilidade.
  • Abel Braga aliás, que ouviu os gritos de “fica” da torcida do Fluminense e declarou que define seu futuro nesta semana. Se ficar, o técnico não deve encontrar, em 2018, uma situação muito melhor que a deste ano. Orejuela, por exemplo, já está de malas prontas e deverá passar 1 ano por empréstimo na LDU – como se o Fluminense não tivesse jogadores de menos. O zagueiro Henrique é outro que pode trocar o tricolor pelo Corinthians.
  • O Flamengo deve esperar a decisão da Sul-Americana antes de fazer grandes movimentos ou não. Por enquanto a única grande possibilidade é a saída de Muralha.
  • Com a vaga na Libertadores garantida, o Vasco parte agora na busca de novos patrocínios para “fazer caixa” e buscar reforços para o time que sofrerá a baixa do volante Jean, que retorna do empréstimo ao Corinthians.
  • Fora da Libertadores, o Botafogo junta os cacos e começa a pensar o time em 2018 que não contará com Roger (contratado pelo Internacional) e Bruno Silva (a caminho do Cruzeiro). Enquanto que os salários fizeram a negociação com Bergson – artilheiro da Série B – esfriar, o alvinegro tenta fechar com Rafael Moura (que está em fim de contrato com o Atlético-MG).
  • Ainda com possibilidades de chegar à Libertadores – torce pelo Flamengo na Sul-Americana –, o Atlético-MG fará os exames de rotina e depois disso pretende anunciar Arouca como o primeiro reforço para 2018. Luiz Fernando do Atlético-GO também está nos planos do clube.
  • Quietinho, quietinho, o Cruzeiro vai se movimentando e demonstrou interesse em Acosta, do Lanús – que já pode assinar um pré-contrato com outro clube – e se desvia do boato de que fez uma procura por Bogarín, do Guaraní, além de tentar fechar negócio com Bruno Silva e manter o empréstimo de Hudson. O lateral Egídio, que estava no Palmeiras, retornará enquanto que Rafael Sóbis deve ir embora.
  • Pensando apenas no Mundial de Clubes, o Grêmio ainda se mexe timidamente para a temporada de 2018. Tenta a contratação de Luiz Fernando do Atlético-GO e segurar Arthur – que foi fotografado vestindo a camisa do Barcelona na última semana.
  • No Atlético-PR apenas as saídas dão o tom de 2018. Paulo Autuori, gestor de futebol do clube, pediu demissão. O técnico Fabiano Soares não deve ficar também, Weverton está negociando com o Palmeiras e pode deixar o clube em breve. Jogadores do Furacão que estão emprestados – como o lateral Eduardo que atuou no Bahia – devem voltar.
  • O Bahia é outro clube cuja movimentação para 2018 está focada nas saídas imediatas. O goleiro Jean deve ir para o São Paulo, enquanto que o meia Allione pode voltar para o Palmeiras e Renê Junior está de malas prontas para o Corinthians. Além disso, o lateral Eduardo deve voltar para o Atlético-PR e com as eleições para a presidência do clube se aproximando, até mesmo o técnico Paulo César Carpegiani pode estar de saída.
  • Classificada para a Libertadores, a Chapecoense é outra equipe que começa primeiro a “arrumar a casa” administrativamente antes de planejar o elenco para 2018.
  • Garantido na Série A na última rodada, o Sport sofreu a primeira baixa para 2018: Daniel Paulista – que assumiu a equipe interinamente após a saída de Vanderlei Luxemburgo – entregou o cargo após a vitória sobre o Corinthians.
  • Na mesma situação está o Vitória que seguirá na Série A e planeja 2018 a partir de hoje e muito provavelmente sem Trelléz (alvo do Corinthians) e sem David (na mira do Palmeiras). Uillian Corrêa, volante emprestado pelo Cruzeiro quer ficar, mas ainda tem futuro incerto.
  • Rebaixada para a Série B, a Ponte Preta deve passar por uma grande reformulação. Nomes como Emerson Sheik. Renato Cajá e Rodrigo não seguem no clube, que perderá também os emprestados Lucca e Yago (retornam ao Corinthians) e Nino Paraíba (possível reforço do Santos). Eduardo Baptista segue no clube com a missão de retornar à Série A em 2018.
  • Outro clube que começa a pensar 2018 agora é o Avaí que, rebaixado, repensará o elenco – que terá a baixa certa do goleiro Douglas Friedrich que retornará do empréstimo ao Corinthians.
  • Agora na Série B, o Coritiba começa seu planejamento para 2018 enxugando o elenco. Marcelo Oliveira começa definir a sua lista de cortes nesta segunda-feira.
  • O Atlético-GO pensa seu 2018 mantendo o técnico João Paulo Sanches e acreditando na melhora do time com base nos resultados do segundo turno do Brasileirão. Sem acordo para continuar, o meia Diego Rosa está saída enquanto que o atacante Tito está chegando. Andrigo pode retornar do empréstimo ao Inter enquanto que  Luiz Fernando é disputado por Grêmio, Santos e Atlético-MG.

 

Retornando

Com o rebaixamento de Coritiba, Avaí, Ponte Preta e Atlético-GO, sobem para a Série A o América-MG (campeão), Internacional (vice), Ceará e Paraná.

 

Classificação do Campeonato Brasileiro 2017

  1. Corinthians, 72 – Campeão + Taça Libertadores (fase de grupos).
  2. Palmeiras, 63 – Taça Libertadores (fase de grupos).
  3. Santos, 63 – Taça Libertadores (fase de grupos).
  4. Grêmio, 62 – Taça Libertadores (fase de grupos).
  5. Cruzeiro, 57 – Taça Libertadores (fase de grupos).
  6. Flamengo, 56 – Taça Libertadores (fase de grupos).
  7. Vasco da Gama, 56 – Taça Libertadores (fase preliminar).
  8. Chapecoense, 54 – Taça Libertadores (fase preliminar).
  9. Atlético-MG, 54 – Copa Sul-Americana.
  10. Botafogo, 53 – Copa Sul-Americana.
  11. Atlético-PR, 51 – Copa Sul-Americana.
  12. Bahia, 50 – Copa Sul-Americana.
  13. São Paulo, 50 – Copa Sul-Americana.
  14. Fluminense, 47 – Copa Sul-Americana.
  15. Sport, 45
  16. Vitória, 43
  17. Coritiba, 43 – Série B.
  18. Avaí, 43 – Série B.
  19. Ponte Preta, 39 – Série B.
  20. Atlético-GO, 36 – Série B.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar