Ganhador.com

Brasileirão Série A

Técnicos dos times brasileiros: demitidos e contratados na Série A de 2017

Técnicos brasileiros de futebol
Fotos: Gilvan de Souza/Flamengo; Buda Mendes/Miguel Schincariol/Ricardo Nogueira/Getty Images; montagem do Ganhador.com

O time está perdendo? Troque o técnico. É a realidade no Brasil…

Se tem algo que o futebol brasileiro não oferece aos treinadores dos times é estabilidade no emprego. Perdeu três vezes seguidas? Rua. Os treinadores estão tentando mudar essa realidade, reivindicando junto à CBF por regras que limitem quantas vezes cada clube poderá trocar de técnico em uma mesma temporada. Mas, enquanto isso não acontece, temos que conviver com a loucura que é o mercado da bola no Brasil.

Como são muitos técnicos entrando e saindo das equipes o tempo todo, decidimos criar uma página para acompanhar as movimentações. Já fizemos isso no ano passado. Abaixo, você confere quais técnicos foram contratados e demitidos em cada um dos vinte times da Série A em 2017, por ordem alfabética.

 

Atlético Goianiense

Marcelo Cabo comandou o Atlético-GO na conquista do título de Campeão da Série B em 2016, com bons 10 pontos de vantagem para o segundo colocado, Avaí. Contudo, suas quatro primeiras rodadas na Série A de 2017 resultaram em derrotas. Foi demitido em 6 de junho, após perder por 3 a 0 para o Bahia. Mais do que os altos e baixos, sua passagem pelo Dragão ficou marcada pela ocasião em que faltou no trabalho e foi dado como desaparecido, mas acabou sendo encontrado em um motel. Comandou o time da 1ª à 4ª rodada.

O auxiliar técnico João Paulo Sanches comandou o time como técnico interino na 5ª rodada e conquistou uma vitória por 3 a 0 contra a Ponte Preta.

Doriva foi contratado em 7 de junho. Chegou sair da zona de rebaixamento em seu segundo jogo à frente do time, quando derrotou o Avaí por 3 a 1 em casa. Porém, esta seria sua única vitória em dez jogos. Além disso, obteve dois empates e oito derrotas, totalizando aproveitamento de 16,6%. Foi demitido após perder para o Sport por 4 a 0.

João Paulo Sanches voltou a comandar o Atlético-GO interinamente e acontinua até hoje. Somando as duas vezes em que esteve à frente do time em 2017, já foram seis jogos, com três vitórias, um empate e duas derrotas, totalizando 55% de aproveitamento.

 

Atlético Mineiro

Roger Machado assumiu o time em janeiro de 2017 e conquistou o título de Campeão Mineiro no clássico diante do Cruzeiro. O Galo chegou no Brasileirão como um dos favoritos ao título — junto com Palmeiras, Grêmio e Flamengo — porém decepcionou. Passou a 4ª e a 7ª rodadas no Z-4. Parecia que ia engrenar quando venceu mais uma vez o Cruzeiro, mas voltou a decair. Roger Machado foi um dos quatro técnicos a serem demitidos na 15ª rodada, após derrota em casa contra o Bahia. Também havia perdido para o Jorge Wilstermann no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Auxiliar técnico permanente do Galo, Diogo Giacomini comandou o time interinamente na 16ª, que resultou em derrota por 2 a 1 para o Vasco.

Treinador campeão olímpico em 2016, Rogério Micale assumiu o Atlético-MG na rodada seguinte e venceu o Coritiba. Foi derrotado pelo líder Corinthians e pelo vice-líder Grêmio e não conseguiu reverter a desvantagem contra o Jorge Wilstermann na Libertadores, o que resultou em sua eliminação do torneio. Mesmo assim, continuou no cargo e ficou conhecido por colocar os dois grandes craques do time, Fred e Robinho, no banco.

 

Atlético Paranaense

Após conquistar o título de Campeão Paranaense em 2016, garantir uma vaga na Libertadores 2017 e levar o time até a fase de grupos, Paulo Autuori deixou o cargo de treinador para se tornar gestor técnico.

Eduardo Baptista pegou o Atlético-PR na vice-lanterna do Brasileirão e subiu até a 14ª posição. Porém, foi eliminado na Copa do Brasil pelo placar agregado de 4 a 2 para o Santos, e também na Copa Libertadores da América, pelo agregado de 7 a 2 para o Grêmio. Foi demitido após o empate com a Chapecoense, que completou quatro jogos sem vitória, e sua demissão ocasionou a resignação de Paulo Autuori do cargo de gestor.

Kelly comandou o Furacão como interino em dois jogos. No primeiro, sofreu uma derrota por 2 a 0 em casa, diante do Cruzeiro na 13ª rodada do Brasileirão. Depois, arrancou um empate com o Corinthians em Itaquera, encerrando a sequência de cinco vitórias do Timão.

Havia quem dissesse que o ano do Furacão já havia acabado, mas Fabiano Soares operou um milagre. Em apenas seis rodadas, foi da 16ª para a 6ª colocação. Só parou de vencer quando esbarrou no Grêmio, mas segurou o empate na Arena. Agora, briga pelo G-6.

 

Avaí

Após conquistar o acesso à elite do futebol brasileiro, Claudinei Oliveira embarcou no Brasileirão 2017 sabendo que sua meta era se manter na Série A. E assim ele continua, rodada após rodada, lidando com as limitações financeiras do clube e buscando vencer os três pontos que parecem sempre se manter entre o Avaí e o primeiro time fora da zona da degola. Permaneceu à frente do time mesmo após sofrer a goleada por 5 a 0 diante do Atlético-PR.

 

Bahia

Em 2016, Guto Ferreira conquistou o acesso à Série A de 2017. Começou o ano erguendo a taça da Copa do Nordeste e estreou no Brasileirão com goleada para cima do Atlético Paranaense. Mesmo as duas derrotas que se seguiram não foram suficientes para derrubá-lo. Porém, recebeu uma proposta do Sport Clube Internacional e decidiu deixar o comando do Bahia para ajudar os Colorados a subirem na tabela da Série B.

O Tricolor Baiano acertou a contratação de Jorginho poucas horas após a resignação de Guto Ferreira, e ele estreou na 4ª rodada. Mas a pressa acabou se mostrando inimiga da perfeição. Catorze rodadas depois, a diretoria estava descontente com o comando, os jogadores não estavam confortáveis e o time amargava a 15ª colocação, com 38% de aproveitamento. Cinco jogos sem vencer diante da torcida levaram à demissão do treinador.

Preto Casagrande assumiu como interino a partir da 18ª rodada e segue buscando subir na tabela. O Bahia não demonstra pressa em contratar outro treinador.

 

Botafogo

Jair Ventura vem fazendo excelente trabalho no Botafogo. No ano passado, liderou o time da fuga do rebaixamento até a classificação para a Copa Libertadores da América. Em 2017, foi até a semifinal da Copa do Brasil, sendo derrotado pelo Flamengo. Segue vivo nas quartas de final da Libertadores, em que enfrentará o Grêmio, o outro time eliminado nas semis da Copa do Brasil.

 

Chapecoense

Após o trágico acidente que vitimou a Chapecoense em novembro de 2016, Vagner Mancini assumiu o comando do time com o objetivo de reconstruí-lo. E conseguiu. Conquistou o Campeonato Catarinense, teve um bom início de Brasileirão e classificou a equipe na fase de grupos da Libertadores. Porém, devido a uma trapalhada da dirigência, a Chape perdeu três pontos e foi eliminada da Libertadores. Agora, joga a Sul-Americana. Apesar do bom trabalho, Vagner Mancini foi demitido após derrota para alguns dos favoritos a Campeão Brasileiro e heroico empate por 3 a 3 contra o Fluminense fora de casa. Seu desligamento foi uma surpresa para todos os envolvidos.

Vinícius Eutrópio assumiu na rodada seguinte. Subiu na tabela, voltou a cair, perdeu para o lanterna do campeonato e se manteve a mesma posição de antes. Por outro lado, reverteu a derrota para o Defensa y Justicia e avançou nos pênaltis para as oitavas de final da Copa Sul-Americana, em que enfrentará o Flamengo.

 

Corinthians

Depois de uma dança das cadeiras no ano passado, o Corinthians precisou se contentar com sua única opção de treinador: Fábio Carille. Tido como “quarta força” do estado, o discípulo de Tite decidiu priorizar o Estadual em detrimento da Copa do Brasil, o que lhe rendeu o título de Campeão Paulista 2017. Depois disso, fez história durante o Brasileirão, ao se manter invicto por 19 rodadas. Somando todos os campeonatos, foram 34 jogos sem perder. A invencidilidade terminou em Itaquera, jogando contra o Vitória. Mesmo assim, o Timão segue com 10 pontos de vantagem para o segundo colocado, Grêmio. Além disso, segue vivo na Copa Sul-Americana, mesmo não sendo prioridade.

 

Coritiba

Paulo César Carpegiani alcançou a meta do ano passado, que era evitar o rebaixamento do Coritiba. Porém, em 2017 foi eliminado da Copa do Brasil em casa pelo ASA, time que joga a Série C, o que custou seu emprego.

Pachequinho entrou como interino, derrotou o Atlético-PR por 3 a 0 na Arena da Baixada e conquistou o título de Campeão Paranaense. Foi efetivado e começou bem o Brasileirão, mantendo-se no G-4 até a 8ª rodada. Porém, foi demitido após sofrer uma goleada de 4 a 0 para a Ponte Preta. A equipe já não vinha bem, tendo conquistado apenas 1 vitória, 4 empates e 5 derrotas nos últimos 10 jogos.

O preparador físico Robson Gomes comandou o Coxa na 16ª rodada do Campeonato Brasileiro e foi derrotado pelo Flamengo, com gol de pênalti nos acréscimos.

Marcelo Oliveira pegou o time na 15ª colocação. Uma derrota o levou à zona de rebaixamento, duas vitórias o levaram à zona da Sul-Americana. Agora está na segunda metade da tabela, ainda tentando encaixar o time.

 

Cruzeiro

Mano Menezes é o técnico da Série A que está há mais tempo no cargo, desde 26 de julho de 2016. Não é à toa. Apesar de acontecerem verdadeiros desastres em momentos cruciais de sua boa campanha, o treinador tem a seu favor uma multa recisória no valor de R$ 5 milhões, e o clube não quer ter que pagar. Na temporada de 2017, o Cruzeiro foi candidato a campeão invicto no Estadual, porém perdeu o último jogo da final no clássico contra o Atlético-MG. Além disso, foi eliminado da Copa Sul-Americana ainda na primeira fase, ainda em maio. Mas no momento os ventos são favoráveis. O Cruzeiro está agora no G-6 do Brasileirão e na final da Copa do Brasil, que decidirá contra o Flamengo.

 

Flamengo

No ano passado, Zé Ricardo sentiu o cheirinho de hepta. No início de 2017, era um dos grandes favoritos a Campeão Brasileiro. Começou o ano bem, vencendo o arquirrival Fluminense nos dois jogos da final do Campeonato Carioca e sagrando-se campeão invicto do Estadual. Porém, o momento iluminado chegou ao fim com um baita golpe de azar na fase de grupos da Libertadores. De nove possibilidades para a última rodada, viu se concretizar a única que eliminaria o Flamengo da competição: uma derrota para o San Lorenzo, aliada à vitória do Atlético-PR jogando no Chile contra o Universidad Católica. Só de raiva, goleou o Palestino na Sul-Americana e eliminou o Santos na Copa do Brasil. Mas uma sequência sem vitórias no Brasileirão derrubou o técnico, que já não contava com o apoio da torcida.

Como interino, Jayme de Almeida goleou o Palestino mais uma vez e perdeu para o Atlético-MG fora de casa.

Para trazer de volta a autoestima do Flamengo, o clube contratou o atual campeão da Copa Libertadores, Reinaldo Rueda. O colombiano venceu o lanterna Atlético-GO no Brasileirão e devolteu o Flamengo ao G-6. Além disso, derrotou o Botafogo na semifinal da Copa do Brasil, indo para a final contra o Cruzeiro.

 

Fluminense

Após terminar o Brasileirão do ano passado na 13ª colocação, este ano Abel Braga tem a missão de sustentar uma campanha consistente e buscar uma vaga na Libertadores, mesmo diante dos problemas financeiros do clube. O Fluminense faz contratações tendo em vista o longo prazo e vende seus jogadores de destaque para equilibrar a folha de pagamento. Foi eliminado da Copa do Brasil pelo Grêmio, mas segue vivo nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

 

Grêmio

Comandando um dos times mais sólidos do atual futebol brasileiro, Renato Portaluppi conquistou a Copa do Brasil no ano passado. Atualmente, é o único time que ainda encara a possibilidade de cobrir os 10 pontos de gordura do líder Corinthians no Campeonato Brasileiro. Tem 63,5% de aproveitamento e o melhor ataque do campeonato. Por outro lado, acabou de sofrer um baque duro ao ter sua vantagem revertida nas semifinais da Copa do Brasil e ser eliminado nos pênaltis, pelo Cruzeiro. Disputará as quartas de final da Libertadores contra o Botafogo.

 

Palmeiras

Eduardo Baptista recebeu a ingrata missão de comandar o atual Campeão Brasileiro diante de uma torcida que se acostumou a cobrar grandes resultados e que tem sede por Mundial. Para complicar ainda mais, precisava corresponder às exigências sem ter à disposição o artilheiro do ano passado, Gabriel Jesus, vendido para o Manchester City. Acabou sendo eliminado do Paulistão por seu antigo time, a Ponte Preta, e foi demitido após a primeira derrota na Libertadores.

Cuca voltou para o Palmeiras após um semestre sabático, e está encontrando dificuldades em colocar o time de volta nos eixos. Foi eliminado da Libertadores pelo Barcelona de Guayaquil, nos pênaltis. Foi eliminado da Copa do Brasil pelo Cruzeiro, após sofrer dois empates e levar a pior no critério de gols fora de casa. Agora, seu grande objetivo para o ano é manter-se no G-4 do Brasileirão. A Mancha Alviverde pede a saída do treinador, mas a pergunta que fica é: para quê? Caso isso aconteça, será por pura retaliação, e não para buscar um objetivo maior este ano.

 

Ponte Preta

Felipe Moreira foi nomeado treinador da Ponte Preta após a saída de Eduardo Baptista para o Palmeiras, mas seu reinado durou pouco. Deu adeus ainda em março, com a eliminação na Copa do Brasil para o Cuiabá, time que joga a Série C.

João Brigatti atuou como interino em quatro jogos do Paulistão, resultando em uma vitória, dois empates e uma derrota.

Gilson Kleina levou a Macaca à final do Campeonato Paulista e segue vivo na Sul-Americana, onde disputará as oitavas de final contra o Sport Recife.

 

Santos

A disparada que o Peixe deu nas últimas rodadas do ano passado serviu para embalar a torcida em mais uma temporada sob o comando de Dorival Júnior. Porém, o Santos foi muito mal no Paulistão. Perdeu os três clássicos — 3 a 1 para o São Paulo, 1 a 0 para o Corinthians e 2 a 1 para o Palmeiras — e foi eliminado pela Ponte Preta ainda nas quartas de final. Havia rumores da religiosidade afetar o desempenho do time, e Dorival Júnior, que apoiava as demonstrações de fé, acabou sendo desligado após sua terceira derrota nas quatro primeiras rodadas do Brasileirão.

Elano comandou o Santos como interino em dois jogos, e foram duas vitórias: em casa contra o Botafogo e fora conta o Atlético-PR, o que rendeu a escalada de seis posições na tabela.

Levir Culpi suspendeu a presença de padres e pastores dentro do clube e buscou aproveitar jogadores diferentes. Estreou com a primeira vitória do Santos em um clássico no ano, colocou o time no G-4 e o manteve lá. Além disso, passou pelo Furacão e chegou às quartas de final da Libertadores, que disputará contra o Barcelona de Guayaquil.

 

São Paulo

Em 2017, a torcida tricolor vibrou com o retorno do mito Rogério Ceni. O goleiro-artilheiro estava de volta ao time de sua vida, desta vez na posição de treinador. Porém, os resultados não agradaram. Eliminado na primeira fase da Copa Sul-Americana pelo Defensa y Justicia, eliminado da Copa do Brasil na quarta fase pelo Cruzeiro e tendo chegado à 11ª rodada do Brasileirão sem vencer fora de casa nem uma única vez, Ceni foi demitido após uma série de seis tropeços seguidos, quando amargava a primeira vaga do Z-4.

Pintado comandou o São Paulo como interino na derrota por 3 a 2 contra o Santos.

Dorival Júnior estreou com empate em casa contra o Atlético-GO, lanterna da competição. Em 9 jogos até agora, houve 3 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, totalizando aproveitamento de 44,4%. O Tricolor Paulista continua no Z-4.

 

Sport Recife

Já tendo comandado o Sport como interino antes, Daniel Paulista foi efetivado no cargo após Oswaldo de Oliveira sair para o Corinthians. Esteve à frente do time nas oito rodadas finais do Campeonato Brasileiro 2016, quando não apenas obteve êxito em fugir do rebaixamento, como também conseguiu uma vaga na Copa Sul-Americana. Em 2017, colocou o Sport na quarta fase da Copa do Brasil, na segunda fase da Copa do Nordeste e na semifinal do Campeonato Pernambucano. Atingiu todas as metas, mas a falta de experiência levou a diretoria a conduzi-lo de volta ao cargo de auxiliar técnico.

Ney Franco ficou pouco mais de um mês, de 9 de abril a 24 de maio, época de grandes decisões. Perdeu para o Botafogo nas oitavas da Copa do Brasil, apenas empatou com o Salgueiro no primeiro jogo da final do Pernambucano, perdeu por 3 a 0 para o Danubio e precisou ir aos pênaltis para avnçar na Sul-Americana. Mas o golpe de misericórdia para o treinador foi o vice na Copa do Nordeste, após derrota para o Bahia.

Daniel Paulista voltou a comandar como interino na 3ª rodada do Brasileirão, quando conquistou a primeira vitória do Sport no campeonato, um 4 a 3 de virada para cima do Grêmio.

O Sport acertou com Vanderlei Luxemburgo em 25 de maio. Em sua estreia, o treinador não conseguiu reverter o resultado desfavorável, empatou com o Botafogo e foi eliminado na Copa do Brasil. Teve um primeiro mês ruim no Brasileirão, mas que culminou na conquista do Campeonato Pernambucano frente ao Salgueiro. Depois disso, teve uma sequência de vitórias importantes que o colocou no G-6 da Série A, e derrotou o Arsenal de Sarandí, avançando para as oitavas da Copa Sul-Americana.

 

Vasco da Gama

Cristóvão Borges veio para comandar o Vasco na temporada de 2017. Porém, em 16 de março, a eliminação na Copa do Brasil diante do Vitória custou sua cabeça.

Como interino, Valdir Bigode conquistou um empate com o Botafogo na fase de grupos do Campeonato Carioca.

Milton Mendes comandou os cruzmaltinos na final da Taça Rio, ocasião em que derrotou o time reserva do Botafogo, e continuou ao longo de todo o primeiro turno do Brasileirão. Porém, uma briga de torcida em São Januário após o clássico entre Vasco e Flamengo rendeu ao time uma dura punição: a perda de mando de campo em seis jogos. A partir de então, o rendimento caiu e caiu também o técnico, após derrota por 3 a 0 para o Bahia, que completou suas cinco rodadas sem vencer.

Entra no lugar Zé Ricardo, com a missão de definir um time titular e se afastar do Z-4. Com o meio da tabela tão equilibrado, o Vasco ainda tem 6% de chances de ir para a Libertadores: apenas 5 pontos o separam do G-6.

 

Vitória

Argel Fucks livrou o Vitória do rebaixamento em 2016 e goleou o Vitória da Conquista na semifinal do Baianão em 2017. Porém, foi eliminado da Copa do Brasil pelo Paraná. A demissão veio após falhar em administrar a vantagem diante do Bahia na final da Copa do Nordeste e coroar o fracasso com o início de uma briga generalizada entre jogadores.

Interino, Wesley Carvalho empatou duas vezes com o Bahia na final do Campeonato Baiano e levou o título. Vinte dias depois de deixar o cargo temporário, assumiu como técnico do sub-20 do Palmeiras.

Dejan Petkovic foi contratado como dirigente, mas acabou assumindo o posto de treinador às vésperas do início do Brasileirão. Acumulou funções por quatro rodadas, antes de ser remanejado para o cargo de diretor de futebol. Anunciou sua própria “dispensa” e quem seria seu substituto.

Alexandre Gallo pegou o time na 18ª posição e não conseguiu progredir. Em 11 jogos disputados, teve apenas 3 triunfos, 2 empates e 6 derrotas, totalizando 33% de aproveitamento. Foi demitido após sofrer 11 gols em 3 jogos.

Flávio Tanajura comandou como interino na derrota por 2 a 1 para a Chapecoense na 16ª rodada do Brasileirão.

Quando Vagner Mancini retornou ao Vitória, o Leão ocupava a vice-lanterna do campeonato, a 5 pontos de distância do primeiro time fora do Z-4. Em cinco jogos, Mancini teve aproveitamento de 66%, com 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota. Inclusive, colocou fim à sequência de 34 jogos de invencibilidade do líder Corinthians, jogando em Itaquera. Hoje está a apenas 3 pontos de escapar do rebaixamento.

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Técnicos dos clubes brasileiros: quem entrou, quem saiu e quem permanece em 2017 | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar