UFC

Superluta entre St-Pierre e Bisping começou antes do UFC 217. Quem saiu na frente?

Foto: Divulgação/UFC

Tá chegando! À medida que o UFC 217 se aproxima, a rivalidade entre Michael Bisping e Georges Saint-Pierre parece aumentar. Os astros se enfrentam em superluta que vale o cinturão dos médios no show que acontece no dia 4 de novembro, em Nova York (EUA). Durante os eventos promocionais ocorridos ao longo das últimas semanas, St-Pierre e Bisping protagonizaram provocações, tensão e um clima para lá de quente especialmente nas encaradas, que chegaram a contar com empurrões do canadense após provocações do inglês. O que isso significa? O duelo já começou.

Antes de mais nada é bom lembrar que Bisping é um mestre do falatório. Antes de Chael Sonnen e Conor McGregor, começarem a ser reconhecidos como mestres do “jogo mental”, o inglês já tinha cartel no quesito. Ele é experiente no mundo das provocações. Tanto quanto Saint-Pierre. Mas no caso do canadense, a experiência é em relação a lidar e se blindar de rivais provocadores. Ele já bateu diversos rivais após meses de farpas disparadas.

Não é à toa que trata-se de uma superluta. São dois dos maiores nomes da história do MMA. Cada com a experiência que tem já está com o “modo luta” ativado. Se engana quem pensa que o combate só começa dentro do octógono. Quando se fala em nomes desse nível, o duelo começa antes. Nas entrevistas, nas ações, na encarada, na postura… E existem alguns exemplos disso.

As provocações de Bisping ao porte físico de St-Pierre são para mexer com o rival. Fazê-lo questionar a própria decisão de ter subido de peso depois de tanto tempo sem lutar. “Gordo”, “mais pesado”… Georges tem de estar com a cabeça em dia para não se deixar abalar pela metralhadora de provocações que é Bisping.

Quer outro exemplo de que a luta já começou? GSP tem aparecido sempre acompanhado por Freddie Roach, treinador de boxe conhecido mundialmente. Todos sabemos que eles já trabalham juntos há tempos, mas ultimamente isso está mais evidente até em redes sociais. Alguém já parou para pensar que isso pode estar acontecendo para influenciar as expectativas de Bisping na hora da luta? O próprio inglês já disse que torce para que St-Pierre venha para a trocação. Sejamos honestos. Seria burrice Georges querer trocar com Bisping. Talvez a ideia aqui seja fazer Bisping acreditar nisso e na hora do combate buscar as derrubadas, “surpreendendo” com o óbvio. Entende onde quero chegar?

Tenho Bisping como favorito para o combate, mas não dá para duvidar da capacidade e inteligência de um ícone como St-Pierre. Quanto a parte pré-luta, Michael parece estar mexendo com GSP. O canadense já deu dois empurrões no rival durante encaradas. Pode ser apenas uma ação para promover a luta, mas pode ser também um sinal de descontrole.

A verdade é que só saberemos o quanto a parte pré-luta terá feito efeito quando ambos entrarem no octógono para realizar uma das superlutas mais expressivas da história do mundo das lutas.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar