Copa do Brasil

Sem Guerrero, mas pronto para a guerra na Copa do Brasil: Flamengo e Botafogo abrem a semifinal do bate-boca

Flamengo
Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Clássico do Rio ocorre às 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira (16) no Estádio Nilton Santos

Flamengo e Botafogo dispensam qualquer apresentação em qualquer parte do mundo. O grande duelo carioca que já decidiu um Campeonato Brasileiro – o de 1992, com título do Fla – desta vez vai valer pela semifinal da Copa do Brasil. No outro lado da chave, Grêmio e Cruzeiro se enfrentam no mesmo dia e horário, mas em Porto Alegre.

Que a rivalidade entre os dois clubes do Rio já é grande, nem é preciso falar. Mas a situação subiu alguns níveis nesta semana.

 

Flamengo ganha técnico e perde Guerrero

Livre da grande polêmica que era a sequência ou não de Zé Ricardo no comando do clube, a torcida do Flamengo recebeu de braços abertos o atual treinador campeão da Libertadores, o colombiano Reinaldo Rueda, que fez história ao levar o Atlético Nacional ao título da competição do ano passado. Rueda tem 60 anos e um currículo digno de respeito. Ele é tão adorado em seu país que seu apelido por lá é “Rei”.

 

Reinaldo Rueda

Reinaldo Rueda, novo técnico do Flamengo. Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

 

Mas o futebol brasileiro, tão acostumado a receber jogadores estrangeiros, reagiu mal à sua contratação. O mais incisivo foi Renato Gaúcho: “Acho que, infelizmente, não vai dar certo”, atirando no próprio pé quando reclama da falta de paciência com o trabalho do treinador brasileiro. E analisar um trabalho que sequer começou, é o quê?

E o que dizer do líder disparado do Brasileirão, Fábio Carille, que ninguém botava fé e que hoje bota todo mundo no bolso?

O discurso precipitado atingiu até quem preza pela serenidade e discrição. O treinador Jair Ventura levantou a chuteira ao analisar a chegada do técnico colombiano: “Para o mercado isso é muito ruim, porque parece que não temos profissionais capacitados pra trabalhar dentro do nosso próprio país. Isso é muito ruim para a gente, principalmente para a gente que está começando. Hoje eu não posso trabalhar no exterior porque eu não tenho a licença e qualquer pessoa pode chegar e trabalhar no Brasil, então isso não é legal”, falou à FOX Sports.

Ou seja, na mesma frase ele 1) reconhece que está começando e 2) quer se comparar ao atual técnico campeão da Libertadores, alguém que “não é qualquer pessoa” para trabalhar no Brasil.

O discurso, claro, inflamou a torcida do Botafogo nas redes sociais, que passaram a hostilizar os flamenguistas justamente com este pensamento tacanha de “travar o mercado”, mesmo se tratando de um profissional de ponta que tem muito a ensinar para qualquer um que queira aprender. Este é o enorme problema: a abertura para aprender e reconhecer que alguém de fora do Brasil possa saber mais do que os que estão aqui.

Dureza.

Dureza vai ser também a vida do Flamengo sem Guerrero. O atacante peruano – quando os gols são de outro país eles sim servem, como não? – está com uma lesão de grau 2 na coxa direita. Sua ausência se soma às de Diego Alves, Everton Ribeiro, Geuvânio e Rhodolfo, que não estão inscritos na competição.

 

Botafogo dosa desgaste

Grande surpresa deste ano, o Fogão está brilhando como não brilhava desde o título do Brasileirão em 1995. A vitória por 3×1 sobre o Atlético-MG nas quartas de final da Copa do Brasil está fresca na mente do torcedor, assim como o 2×0 sobre o Nacional do Uruguai pela Libertadores e o 1×0 em cima do Grêmio no Brasileirão. Vale lembrar: Botafogo e Grêmio vão se enfrentar também nas quartas da Libertadores, a partir de 13 de setembro.

A equipe deve estar completa e com todas as suas virtudes: a segurança de Gatito Fernández no gol, a imponência de Joel Carli na zaga e o ótimo futebol da dupla Roger e Rodrigo Pimpão. É um Botafogo forte como poucas vezes se viu na história recente do clássico.

 

Palpite

O Botafogo hoje teria chances de eliminar até o temido Corinthians nos mata-matas. Reforçamos: esta é melhor versão da equipe desde o título brasileiro de 1995. E lá se vão 22 anos.

Hoje, o Fogão tem um time e tem um técnico, enquanto o Flamengo ainda está engatinhando para as duas coisas. Para piorar, o Rubro-Negro ainda não vai poder contar com Guerrero, que, convenhamos, ganhou sozinho algumas partidas para o time neste ano.

É de se imaginar um Flamengo trancado na defesa e minimizando os riscos para entrar no Maracanã, na partida de volta, com danos reversíveis. O Botafogo tem chances bem maiores: nossa previsão é por uma vitória da Estrela Solitária por 2×0. E a sua? Qual é?

 

Jogos da semifinal da Copa do Brasil 2017

Quarta-feira, 16 de agosto

  • 21:45 – Botafogo x Flamengo – Palpite: Botafogo
  • 21:45 – Grêmio x Cruzeiro – Palpite: Grêmio

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.