Tênis

Rafael Nadal e Roland Garros: esta história de amor vai para o seu 10º capítulo?

Foto: Dennis Grombkowski/Getty Images

Grand Slam francês começa neste domingo na expectativa de novo feito do gênio espanhol.

Quem acompanha o circuito mundial de tênis sabe bem que não há nada mais charmoso que Roland Garros. Há mais tradição (Wimbledon), mais tecnologia (Melbourne) e mais calor humano (Nova York). Mas para aquecer os corações nada se compara ao Aberto da França, que tradicionalmente invade a luxuosa e inigualável Paris na virada de maio para junho.

Também inigualável é Rafael Nadal, o maior tenista de todos os tempos sobre o sagrado saibro francês.

Recuperado das lesões que atormentaram seu corpo nos últimos anos, o espanhol hoje ocupa a posição 4 no ranking da ATP – e sabe bem que os números, as estatísticas e o ranking pouco valem depois que a bola sobe e o primeiro saque é dado na verdadeira maratona chamada Roland Garros.

Nadal tem tudo para brigar em condições de igualdade, para não dizer favoritismo, e chegar ao seu décimo título na competição – algo que desde já estaria entre as maiores façanhas do esporte, seja a modalidade que for.

O espanhol de 30 anos disputa o Aberto da França desde 2005 (ver quadro abaixo) e foi campeão logo na primeira campanha em Paris. Os oito títulos seguintes vieram quase sempre em forma de massacre. O histórico de Rafa neste Grand Slam é o mais perfeito que um tenista jamais alcançou neste nível de competição. Ele disputou 74 jogos e venceu 72, um aproveitamento sobre-humano de 97%.

Por mais que Nadal e sua equipe técnica prezem pela discrição, Toni Nadal, tio e técnico de Rafa, não escondeu que o nove vezes campeão está sim na lista de favoritos para vencer Roland Garros mais uma vez.

“Não podemos negar, mas há outros jogadores em boa fase e com chances. O Djokovic é um deles. Não gostaria de enfrentá-lo em uma final”, analisou o treinador, que saberá a chave e o caminho de seu pupilo no saibro francês no sorteio que ocorre já nesta sexta-feira.

   

QUEM PODE PARAR RAFAEL NADAL?

Vamos listar os grandes adversários de Nadal nesta campanha e o perigo que podem representar ao eventual (e histórico) título:

ANDY MURRAY – O número 1 do mundo está em má temporada no saibro. Sequer chegou às finais dos torneios disputados antes de Paris. Corre totalmente por fora. Seu melhor resultado na terra batida foi uma semifinal no ATP de Barcelona, quando acabou dominado por Dominic Thiem.

ROGER FEDERER – O suíço alegou dores nas costas e nos joelhos e não vai atuar no Grand Slam francês.

NOVAK DJOKOVIC – Número 2 do ranking, tem tênis e bagagem para enfrentar Nadal em qualquer instância decisiva. Vai estrear em Roland Garros a parceria com Andre Agassi, seu novo técnico – e querer que a dupla vingue logo de cara no território de Nadal parece um pouco otimista demais.

STAN WAWRINKA –
Habilidoso e inconstante. Também não fez nada de digno na temporada no saibro, em que pese ainda estar em atividade – e na semifinal – do fraco ATP de Genebra.

DOMINIC THIEM – Sétimo no ranking, tem 23 anos e golpes com qualidade para incomodar a maioria dos favoritos. A cabeça ainda é um ponto fraco, como mostrou nas derrotas para Nadal e Djokovic em Madri e Roma.

ALEXANDER ZVEREV – Campeão do Masters 1000 de Roma em cima de Novak Djokovic, é grande candidato a zebra. Se controlar os nervos, tem chances de ir longe, mas não ainda de bater os mais experientes em cinco sets.

JUAN MARTIN DEL POTRO – Voltou a sentir dores nas costas e nos ombros. Bem provável que siga o exemplo de Federer e sequer entre na competição.

   

Como foi Nadal em Roland Garros:

Confira o desempenho do espanhol no Aberto da França

  • 2005 – campeão em cima de Mariano Puerta (ARG): 6/7(6), 6/3, 6/1 e 7/5
  • 2006 – campeão em cima de Roger Federer (SUI): 1/6, 6/1, 6/4 e 7/6(4)
  • 2007 – campeão em cima de Roger Federer (SUI): 6/3, 4/6, 6/3 e 6/4
  • 2008 – campeão em cima de Roger Federer (SUI): 6/1, 6/3 e 6/0
  • 2009 – eliminado nas oitavas por Robin Söderling (SUE), 2/6, 7/6 (2), 4/6 e 6/7 (2). Campeão: Federer
  • 2010 – campeão em cima de Robin Söderling (SUE): 6/4, 6/2 e 6/4
  • 2011 – campeão em cima de Roger Federer (SUI): 7/5, 7/6 (3), 5/7 e 6/1
  • 2012 – campeão em cima de Novak Djokovic (SER): 6/4, 6/3, 2/6 e 7/5
  • 2013 – campeão em cima de David Ferrer (ESP): 6/3, 6/2 e 6/3
  • 2014 – campeão em cima de Novak Djokovic (SER): 3/6, 7/5, 6/2 e 6/4
  • 2015 – eliminado nas quartas por Djokovic (SER): 5/7, 3/6 e 1/6. Campeão: Stanislas Wawrinka (SUI)
  • 2016 – abandonou na 3ª rodada por lesão no punho. Campeão: Djokovic

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.