UFC: Podcast

Podcast MMA Ganhador #1 – Entrevista com Junior Cigano, a revolta de Anderson Silva e a despedida de Vitor Belfort

Fala, galera do mundo das lutas! Chegou o Podcast MMA Ganhador! Para começar “com a luva direita”, entrevistamos Junior Cigano, que disputa o cinturão dos pesados do UFC no próximo dia 13 de maio, em Dallas, Texas (EUA), pelo UFC 211. O brasileiro pode reconquistar o cinturão em revanche contra Stipe Miocic – ele já venceu o americano em luta realizada em dezembro de 2014. Também recebemos em nosso programa de estreia a participação de Guilherme Cruz, correspondente do site MMA Fighting que debateu conosco os assuntos do momento, como a revolta de Anderson Silva contra o Ultimate e a luta de despedida de Vitor Belfort no UFC Rio.

Apresentado por Coutinho, o podcast traz entrevistas exclusivas com astros do mundo das lutas, participações especiais de jornalistas especializados e muito debate sobre o mundo das lutas. Dê o play e confira!

 

Podcast MMA Ganhador #1

Apresentação: @luis_coutinho
Convidados: @junior_cigano e @guicruzzz
Edição: @adonias_marques
Duração: 00:39:02

 

Confira a entrevista de Cigano ao Podcast MMA Ganhador:

Com a chegada do seu filho, foi preciso ajustar algo no planejamento do seu dia durante a preparação para essa disputa de cinturão?

Realmente tem sido tudo muito tranquilo. Minha esposa, Isadora, e minha sogra veio para para cá (Flórida) e está nos ajudando. Elas tem dado conta na maior parte do tempo quando estou treinando, cuidando do Bento, para que eu possa focar nos treinamentos. Mas é claro que esteja onde for, seja na academia ou em outro lugar, quando não estou perto dele quero voltar logo para casa para poder ficar com ele, mas estamos nos organizando bem.

Como a chegada do seu filho mudou a sua vida?

Acho que realmente muita coisa tem mudado. A chegada do meu filho é uma motivação extra. Tenho sentido isso nos treinos, os resultados estão sendo ótimos. Acho que é isso. Estou feliz e alegre. Chegar em casa e poder pegá-lo no colo, cuidar dele, tem sido incrível. Mas o que me fez mudar bastante é que hoje eu estou pensando diferente sobre meus sonhos. Muito do que eu pensava antes, queria antes, hoje não quero mais. Hoje, os meus objetivos estão todos atrelados ao Bento, e ele é a prioridade. Quero poder ser um bom pai pra ele mesmo sendo lutador.

A pergunta que não quer calar: você já trocou as fraldas do Bento?

Já, já encarei, já, algumas vezes. Estou pensando até em começar a fazer aqueles vídeos explicativos na internet sobre como faz o neném arrotar, como troca fralda (risos).Essas manhas eu já sei, tem sido bem tranquilo estar presente.

O quão diferente da primeira luta vai ser o Cigano dessa revanche com o Miocic?

Não vou ser muito diferente, não. Não posso ser muito diferente. O que posso dizer é que o Miocic conhece 50% do Cigano. Agora estou preparado para dar 100% do Cigano nessa luta. Não tenho dúvida da minha vitória. As pessoas se apegam a coisas que não fazem tanta diferença. O Miocic é um cara que eu respeito muito. Se tem alguém que eu respeito no mundo do MMA esse cara é o Miocic. Ele é um excelente campeão, mas só tem lugar para um no topo e esse cara serei eu. Ele vem de boas vitórias, nocauteou o Werdum, nocauteou o Overeem, mas ele tem que entender que o Junior Cigano é diferente. Ele sabe disso. Dia 13 de maio essa positividade, e esse momento que estou vivendo… O ano de 2017 será o meu ano. Vocês vão ver isso.

Você e o Miocic tem se destacado por protagonizarem uma relação de respeito antes da disputa de cinturão. Hoje em dia falta isso entre os atletas de MMA?

Acho que isso depende muito de personalidade. O Miocic é um grande campeão e representa bem aquele cinturão. Só tenho que admirá-lo como atleta e pessoa. Mas é aquilo. Negócios à parte (risos). Estive sempre no topo do ranking do UFC. Tudo depende do ponto de vista, as pessoas esquecem rápido das coisas. Sei que sou muito capaz de no dia 13 de maio recuperar o cinturão do UFC.

Você disse que o Miocic só conhece 50% do Cigano. O que vai acontecer se você conseguir mostrar 100% das suas habilidades?

(A luta) acaba rápido. Se for para acontecer como tenho planejado, antes do fim do segundo round eu vou nocauteá-lo. Estou muito confiante. Claro, dentro de uma boa percepção. Eu estou motivado, confiante e sei o que tenho a oferecer. Considerando tudo o que pode acontecer, eu afirmo que antes do terceiro round, no final do segundo round, ele vai cair.

Você acredita que a luta entre o Conor McGregor e o Floyd Mayweather vai acontecer? Como você reage a essa possibilidade já que foi um dos primeiros a comentar o duelo MMA x boxe no passado?

Bem lembrado. É uma questão que tem me chamado a atenção. Se você lembrar, quando fui o campeão, a primeira coisa que eu fiz foi desafiar o Wladimir Klitschko. Eu falei que lutaria boxe com ele. E tinha grandes condições de vencê-lo. Em 2012 eu desafiei o Wladimir. É claro que eu não tinha a capacidade de promoção do McGregor, e ainda não tenho. O McGregor hoje se tornou um cara que chama a atenção por tudo o que ele faz e fala. Acho que essa luta entre ele e o Mayweather envolve o mundo inteiro. Então eu espero que a luta aconteça. Não acho que o McGregor tem muitas chances pelo pouco de boxe dele que pude ver, mas eu acho que ele não tem tanta habilidade no boxe. Acho que ele tem poder de nocaute, uma mão pesada e pode nocautear o Mayweather. Eu quero que essa luta aconteça, torço para que essa luta aconteça. Acredito que será uma forma de abrir portas. Lembrando novamente. Em 2011 eu desafiei o Klitschko e não me deram tanta atenção. É lógico que eu não tinha essa grande repercussão que tem o McGregor, mas durante a minha carreira quero lutar boxe. E se você for olhar o cenário do MMA hoje, quem tem condições de vencer um boxeador trocando boxe, só eu. Quero que essa luta do McGregor com Mayweather aconteça e digo mais: quero que o McGregor nocauteie o Mayweather!

Você já teve a oportunidade de treinar com o Anthony Joshua (campeão mundial peso-pesado de boxe) no Rio de Janeiro…

O Anthony foi uma experiência boa que tive no Rio de Janeiro, é um cara carismático, um grande campeão. A luta dele com o Klitschko. Poder enfrentar um cara como ele seria a realização de um sonh. E digo mais: se você for ver esses caras do boxe, a exemplo do Anthony Joshua, e ainda muitos outros que não conheço, com todo o respeito a eles, são grandes, fortes, mas são lentos como tartaruga. Penso que se eu treinar só boxe, isso aumentaria ainda mais minha velocidade. Me vejo nocauteando esses caras e vencendo essas lutas. Sem sombra de dúvidas.

Comentários

4 Comentários
Voltar