Ganhador.com

Paulista A1

Paulistão 2018: como chegam os clubes para a disputa do Estadual?

Reforçado, o Palmeiras entra no Paulistão 2018 com fome de títulos

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

2017 está chegando ao fim e a temporada 2018 vem pedindo passagem com o início dos campeonatos estaduais.

Em um ano “apertado” pela Copa do Mundo da Rússia, o Campeonato Paulista da Série A1 teve seu início antecipado para o próximo dia 17 de janeiro com o duelo entre Red Bull Brasil e Ferroviária, marcado para as 17 horas no estádio Moisés Lucarelli. No mesmo dia, no “horário nobre”, o atual campeão, Corinthians, faz a sua estreia contra a Ponte Preta, as 21:45 no estádio do Pacaembu – o Itaquerão ainda estará passando por reformas no seu gramado nesta data e só deverá ser utlizado novamente pelo Timão a partir de fevereiro.

Com cerca de apenas 2 semanas de pré-temporada, o Paulistão deverá servir na próxima temporada, mais do que nunca, como um “laboratório” para os grandes se prepararem para as demais competições do ano – que serão em ritmo acelerado por conta do mundial de seleções.

Veja a seguir o que poderemos esperar do Campeonato Paulista em 2018 e dos grandes – Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo – que tiveram desempenhos bem distintos em 2017.

 

Como chegam os grandes

Corinthians

O atual campeão paulista tem se movimentado pouco no que diz respeito a reforços – talvez por conta das eleições do clube que acontecem no dia 3 de fevereiro (muito inteligente…). De todo modo, até aqui, o Timão 2018 mais perdeu do que ganhou em termos de elenco. Com as saídas confirmadas de Guilherme Arana (Sevilla), Jô (Nagoya Grampus), Pablo (não teve acordo financeiro) e Marciel (emprestado para a Ponte Preta), o Corinthians confirmou apenas as chegadas do volante Renê Júnior (Bahia) e do atacante Júnior Dutra (Avaí). Negocia ainda a chegada de Juninho Capixaba para a lateral esquerda e do centroavante Trelléz para a vaga de Jô. Muito pouco para um time que tem pela frente a defesa dos títulos Paulista e Brasileiro e a disputa da Libertadores. O planejamento, ao que tudo indica, segue os mesmos erros cometidos na passagem de 2015/2016 e todos se lembram do que aconteceu.

No momento, o clube vem para a competição mais fraco do que em 2017. Deve avançar até as fases decisivas, mas, sem reforços, ficará pelo caminho.

São Paulo

Precisando se recuperar da péssima temporada que fez em 2017, o São Paulo começa 2018 sem Denis, Lugano, Marcinho e Denilson (liberados) além de Léo Natel (emprestado para o Fortaleza). Trouxe de volta do empréstimo o lateral Reinaldo, que se destacou na Chapecoense, o volante Hudson que estava no Cruzeiro e contratou o goleiro Jean – revelação do Bahia no Brasileirão. No mais, confirmou a permanência de Jucilei mas ainda não sabe qual será o time que Dorival Júnior treinará. Diego Souza (Sport) está quase confirmado e o clube ainda negocia a chegada do atacante Lucca pra suprir as saídas de Gilberto (confirmada) e de Lucas Pratto (provável).

Começa 2018 menos bagunçado que em 2017 e, mesmo insistindo no erro de montar o time durante a competição, são grandes as chances de Dorival Júnior arrancar um desempenho melhor do material humano que terá em mãos no início do ano. Pode chegar à final se conseguir organizar a base herdada do Brasileirão.

Santos

Sem dinheiro no bolso, sem parentes importantes e vindo do litoral, o Santos começa a temporada cheio de problemas, desfalcado e sem reforços. O técnico Jair Ventura chega à Vila Belmiro deixando para trás um excelente trabalho no Botafogo-RJ que, infelizmente, não foi coroado com uma vaga na Libertadores-2018. Diante do inevitável desmanche botafoguense (outro clube com os cofres vazios), trocou de ares mas não encontrará uma situação muito melhor.

Com um grande déficit financeiro em mãos, a nova diretoria do Santos não fará grandes contratações. Trouxe até agora apenas o lateral-esquerdo Romário (Ceará) e perdeu os atacantes Ricardo Oliveira (Atlético-MG), Nilmar e Thiago Ribeiro e os meias Lucas Lima (Palmeiras) e Lucas Crispim – emprestado para o São Bento. Recentemente o clube manifestou interesse no futebol de Gilberto – que viria do São Paulo a custo zero – e no volante Hudson, mas nenhum movimento concreto foi feito em relação às suas contratações. Deve, assim como o Corinthians, avançar para as fases de mata-mata, mas, na forma atual, deve ficar pelo caminho.

Palmeiras

Assim como fez na temporada de 2017, o Palmeiras vem mexendo muito em seu time para 2018. Trouxe o supervalorizado técnico Roger Machado e deu-lhe de presente o goleiro Weverton (Atlético-PR), o zagueiro Emerson Santos (Botafogo), o lateral-esquerdo Diogo Barbosa (Cruzeiro) e o meia Lucas Lima (Santos), além do retorno de alguns jogadores que estavam emprestados – com destaque para o meia Allione que fez um bom Brasileirão pelo Bahia.

Ainda na “reformulação” para 2018, o clube se despede do goleiro Vinicius Silvestre, que vai para a Ponte Preta; do lateral-esquerdo Egídio, anunciado como reforço do Cruzeiro; do volante Arouca e do atacante Erik (que foram para o Atlético-MG por empréstimo) e segue de olho no mercado, procurando oportunidades para se reforçar ainda mais.

Pelo elenco que tem, começa 2018 como começou 2017: favorito ao título (e a tudo que disputar na temporada). Resta saber se, diferente do que aconteceu em 2017, conseguirá lidar com a pressão de “ser favorito” e ter a “obrigação” de lutar por títulos. Vamos aguardar e ver.

 

Quem chega

Com o rebaixamento de São Bernardo e Audax para a Série A2, o Campeonato Paulista de 2018 contará com o retorno de duas velhas novas caras: São Caetano e Bragantino, campeão e vice da segunda divisão estadual que retornam à elite do Estado com o objetivo de não mais cair.

 

Quem pode dar trabalho

A Ponte Preta, sem dúvida, é uma equipe com grande potencial para “complicar” a vida dos grandes. O rebaixamento no Campeonato Brasileiro serviu para dar início a uma grande reformulação em toda a parte de futebol do clube. Atletas remanescentes da queda e o próprio técnico Eduardo Baptista farão de tudo para mostrar que a Macaca continua forte e que lutará para retornar à Séria A ao final do Brasileirão de 2018. Um bom desempenho no Paulista servirá para dar confiança ao grupo.

O São Caetano, campeão da Série A2, é outro time que pode dar bastante trabalho, mas que deu azar no sorteio e pegou um grupo complicado (veja mais abaixo). O seu vice, Brangantino, tem mais chances de avançar às próximas fases.

São Bento e Botafogo também chegam bem organizados e com chances de passar pela fase de grupos. Linense, Ferroviária e Santo André são times que costumam engrossar para os grandes – mas, tradicionalmente, não vão muito longe.

 

 

Regras do jogo

A Federação Paulista de Futebol (FPF) – com o aval dos clubes – manteve em 2018 as mesmas regras de 2017, deste modo, os times que estão no mesmo grupo não se enfrentam e os dois primeiros de cada chave avançam às quartas de final. Ao final do campeonato, dois times seguem sendo rebaixados, segundo a classificação geral. A partir das quartas até a final, teremos duelos de ida e volta entre os classificados.

Por sugestão dos clubes, a FPF concordou que os cartões amarelos sejam zerados para os times que cheguem à fase final da competição na próxima edição do Paulistão.

Será mantido também o troféu Campeão do Interior: os seis clubes que não avançarem às quartas de final (e não forem rebaixados) disputarão o título da “competição paralela” do Estadual – que dá uma vaga na Copa do Brasil – e que em 2017 foi vencida pelo Ituano.

 

Os grupos do Paulistão 2018 e seus prováveis classificados

GRUPO A
Corinthians
Linense
Ituano
Bragantino

Quem classifica: Corinthians e Bragantino

 

GRUPO B
São Paulo
Ponte Preta
Santo André
São Caetano

Quem classifica: São Paulo e Ponte Preta

 

GRUPO C
Palmeiras
Novorizontino
São Bento
Ferroviária

Quem classifica: Palmeiras e São Bento

 

GRUPO D
Santos
Botafogo
Mirassol
Red Bull

Quem classifica: Santos e Botafogo

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar