Ganhador.com

Humor

Paixão Nacional: aí não, né?

Quem viu o jogo no último domingo entre Corinthians e Vasco pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, sabe que o placar não reflete o que foi a partida. Recuperado da “letargia” – espírito de “já ganhou” para os íntimos – que tomou conta do elenco nas primeiras 4 rodadas do returno, o líder do Brasileirão voltou o jogar como gente grande e se impôs em sua casa diante de um adversário que vem alternando boas e más apresentações.

Não fosse a tarde inspirada do goleiro Martín Silva e de todo o sistema defensivo  do cruzmaltino – além, é claro, dos tradicionais erros de finalização de Romero e seus Blue Caps – o jogo teria sido, sem sombra de dúvidas, um novo 5 a 2 (ou até mais).

Mas quis o destino – sempre ele! – que o duelo fosse resolvido em um cruzamento de Marquinhos Gabriel, o Renascido, que encontrou conforto nos “braços de Diós” – conhecido em Itaquera como “Jô” – e foi dormir, mansamente, no fundo do gol defendido por Martín Silva que, inconformado com a marcação da arbitragem, tenta morder os prórpios cotovelos até hoje como forma de terapia.

Claro que foi com o Corinthians. Claro que foi em Itaquera. Claro que “apito amigo” bombou nas buscas do Google e nas mesas redondas dos canais esportivos do país – com a corintianada de sempre tentando defender o indefensável. E claro que foi um gol irregular.

Fosse uma partida de vôlei, faltariam mais 24 pontos para o Timão fechar o set. Infelizmente, não era.

Se o Corinthians der o azar de conquistar o Campeonato com uma diferença de 3 pontos ou menos para o segundo colocado, sempre se lembrarão deste jogo e esquecerão que árbitros erram para todos os times em todas as rodadas – Gabriel foi expulso de forma errada no Paulista (mas este erro deu pra consertar) e foi pênalti em Neilton no domingo durante Vitória e São Paulo (apenas para mencionar dois lances).

Futebol é isso. Vale o que está na súmula: gol de Jô, legal. E a vida segue até o próximo erro de arbitragem – porque futebol sem as polêmicas falhas humanas, não é futebol… é NFL. Ou nem isso.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar